Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • que bom outra vez e natal querido

    Que bom, outra vez é Natal!!!

    Querido Blogue,

    É inevitável. Crescem os pelos das pernas, acumulam-se nas bermas as folhas caidas durante o outono, faz um frio do caraças dentro de casa, a Baixa fica com um ar pindérico e a Quadra Natalí­cia chega outra vez (esta coisa da quadra só me lembra a cavalos, mas pronto).

    A mim o nascimento do Menino e trolaré afecta-me. Sinto cá nos meus interiores que algo se move e nao é exactamente um kinder sorpresa. Nesta altura do campeonato (mais ou menos quando o Corte Ingles poe a decoraçao com esses reis magos taaao portugueses) costumo fazer uma acto de contriçao do mais profundo e saudável. Analiso cristianamente o ano que passou e da-me por ser sado-maso em versao gingle bells:

    Nao fui tao amável como a minha irma, nem tao generosa como o meu mais-que-tudo, nem tao trabalhadora como os meus pais, nem tao crista como os meus avós, nem li tanto como a minha tia, nem fui ao ginasio como a minha prima, nem tive um filho como a minha melhor amiga, nem tirei uma pos-graduacao como a minha colega.

    Este exercicio é altamente recomendável; a mim pessoalmente deixa-me logo toda esmerdadinha da silva.

    Para ver se me suicido este ano (e me escapo ao jantar de familia) continuo com uma boa dose de sofa, hipnotizada pelo macabro Natal nas Prisoes e um filme de um reno do Pai Natal raptado por terroristas arabes. (!!!)

    Com esta boa disposicao e tres unzinhos pra carola enfrento ano após ano as compras de Natal. E assim se justifica que o meu tio ande a receber há  quatro natais seguidos uma colecçao de luvas estilo ingles. Pois.

    (proximamente… a Noite de Natal em familia)



    Por Rititi @ 2003/12/22 | Sem comentários »


    mais comentarios pos lisboa ou como

    (mais comentários pós Lisboa, ou como estar sozinha em casa é uma enorme seca)

    Querido Blogue,

    Anda tudo muito histérico. Deve ser do Saddam, do Natal ou das dívidas, mas paira no ar um cheirinho a nao-me-toques-que-me-desmanchas que tresanda. E é que há muita gente a quem a vida lhe pesa.

    Malta com vidas até porreiras, daquelas com frigoríficos a condizer com o soalho, que até dá estillo e fica bem com a visita mensal da sogra; pequeno-burgueses com direito a votos e a cartoes multi dourados e carros com abs na cadeira do bebé; gentinha, enfim, com vida com que sempre sonhou e com ressaca ao acordar desse pesadelo no Lumiar da idade madura. E andam tristes, fartos e gordos aos encontroes nas carrinhas classe z-quinhentos, a tirar macacos nos semáforos.

    Mas mais tristes sao quando olham para a vida que lhes passou bem ao lado, como a roçar e que eles proprios empurraram com cagufa para lá. E agora, que giro que eu era, ai, ai, que moderno que eu era ai, ai. Paciência.

    A todos os pos-modernos dos anos oitenta que se enfrascam uma vez por ano na festa da empresa, um Bom Natal.



    Por Rititi @ 2003/12/18 | 1 Comentário »


    querido blogue amputada variz toca la

    Querido Blogue

    Amputada a variz, toca lá de emigrar que se faz tarde. Adeus Lisboa, ou até já, “Tu volverás” (Mocedades dixit) e neste momento sinto-me tao fatela como a cançao. Apetece-me esta nostalgia de ir às lágrimas e à Portugalia, esta meia tristeza de telejornal da tvi e portugal real. Mas snob, cagona e superlativa como sou, nao dá. Conformo-me com choramingar em silêncio ao atrevessar a Ponte Vasco da Gama, deixando Moscavide longe e avistando o Barreiro entre a nevoa pós 25 de Abril. Ai, Lisboa, que me despedaças.

    Na minha viagem pelo Alentejo fora caminho do conforto do lar materno (viva a sopa de caçao) dei por mim a pensar nos sete anos que por Lisboa pastei. Já alguma vez disse que as recordaçoes sao exageradas e costumam servir de muleta para momentos de tensao pre-menstrual. E seguindo com esta pessoal linha de pensamento venho já anunciar que amei, amei, amei Lisboa! Tudo, tudinho!

    Estive na abertura do parque de estacionamento do Marques com banda filarmónica e amei. Fui à inauguracao do Colombo com o Presidente Sampaio e amei. Caminho de Sintra no IC 19 fui perseguida por um gang de reboleiros e amei. Tive a sorte de partilhar com nove milhoes de portugueses o pontapé do Marco à Sonia do Big Brother. E amei. Portugal ardeu sete veroes consecutivos e amei. Assisti à queda do socialismo e de duzias de pontes e amei. Gente famosa foi presa por papar meninos entregues à maior instituiçao de caridade estatal e amei. O Santana transformou Lisboa numa permanente campanha eleitoral e amei.

    bla, bla, bla, bla, bla, bla, bla,bla, bla,bla, bla,bla, bla,bla, bla,bla e amei mil vezes

    Conheci o melhor homem do mundo. Casei. Vou viver com ele para Madrid. Amei.



    Por Rititi @ 2003/12/17 | 3 comentários »


    Viva a Familia!!!

    Somos assim na minha família: Shanghay, Madrid, Travessa de São Plácido, ninguém nos tira a veia literária.

    Directamente da China, João Cruz Neves:

    “Shanghay, a cidade dos pasteis de nata

    Pois é, Portugal é uma grande nação e é preciso vir a Shanghai e tomar esta

    oriental perspectiva para chegar a essa conclusão! O numero de

    porugueses (é assim que aqui se escreve!) e a profusão de casas de

    pasteis de nata é admirável! Bom, os pasteis não são como os de Belém, mas

    considerando o numero de fotografias do Jorge Sampaio no sumptuoso Peace

    Hotel, acho que mais cedo ou mais tarde vão acertar com a receita.

    Shanghai é assim, cheia de imitações e reinvenções. Cidades ao estilo

    inglês, ao estilo francês, hotéis à espanhola­, é o que for, desde que não

    seja chinês! A China transformada no seu sonho­

    A sensação é que existem duas cidades. Uma neónica, cheia de luz e

    fancy shops, de arranha céus e polidas fachadas de vidro, e uma outra na

    penumbra, onde texturas, sujidade e cheiro a comida lhe dão outra

    autenticidade. A primeira esta a substituir a segunda. O obvio reclama o

    misterioso.

    Não pode haver maior ironia de que o bairro onde foi fundado P. Comunista

    Chinês se tenha tornado no sitio mais trendy cá do sitio (o edificio em

    si está transformado em museu, certamente de arqueologia ideológica). É o

    sitio onde proliferam todos os Macs e afins, tudo numa atmosfera Merry

    Christmas, que o natal é algo que os chineses também andam a importar.

    Contradições não faltam neste planeta Shanghai e ainda me falta muita coisa

    por descobrir. Mais reports se seguirão”



    Por Rititi @ 2003/12/11 | 2 comentários »


    querido blogue tenho que me controlar

    Querido Blogue,

    Tenho que me controlar. Os meus amigos ficaram com medo de mim. Que nauseabunda sensaçao… Que grande porcalhota que me sinto… Que… ???? Qual quê!! Ser temida é fixe! Nao me esquecerei destes meus quinze minutos de poder.

    Pront’s.

    Para nao dar sempre aspecto de mete nojo, dedicarei este tempo de antena a falar bem. E de algo bem português, ainda por cima, para que logo nao digam que os únicos que merecem o meu respeitinho sao os membros da Casa Real Espanhola. Até parece.

    O grande vencedor dos “Prémios TV Rosa Cueca 2003” é: O Natal dos Hospitais!!! (Plac, Plac, Plac).

    Razoes pelas quais achei este lendário programa merecedor de tao extraordinário galardao:

    - O meu inevitável espírito natalício

    - As mensagens de amor, de fraternidade e de numeros de contas bancárias passando em rodapé

    - O guarda roupa dos artistas convidados (dos mini shorts das bailarinas da Ana Malhoa aos casacos feitos com cortinas do Emanuel)

    - O Manuel Luís Goucha já nao aparece porque desertou para a TVI

    - O Coro de Santo Amaro de Oeiras

    - E sobretudo: só passa na televisao uma vez ao ano

    Hoje já posso dormir descansada!



    Por Rititi @ 2003/12/10 | Sem comentários »


    Gente Triste

    Querido Blogue,

    Daqui por uma semana lá estarei em terras castelhanas, preparando-me para esquecer o meu cinismo lisboeta e transformar-me mais uma vez em emigrante saudosista. Como terei uns belos anitos para chorar pelas maravilhas desta minha pátria querida, aproveito para me vingar na semana que me resta deste Potugal dos Pequeninos e das suas estrelas estreladas e televisadas.

    Criar esta Galeria dos Mais Tristes tem-me sido facílimo, de tanta gente ordinária que enche todos os dias o nosso ecrã… Mas mesmo com tanto pindérico, existe uma rainha, única e incontestável, que graças à sua falta de sentido do ridículo conseguiu desbancar o cadáver do Júlio Isidro e a histérica da Alberta Marques Fernandes. Bem vinda seja a grande e sempre menstruada Judite de Sousa!!!

    Esta mulher deve fazer de propósito. Nunca vi ninguem com tanto jeitinho para cagar todas as potenciais entrevistas em que se mete, nao interessa se é o Patriarca de Lisboa, o Pelé ou o Sapo Cocas. Aposto que até já existe um “Grupo de Apoio às Vitimas da Judite”. Alguém deveria explicar a esta coitada a diferença entre uma conversa e um monólogo (mas quem, se a gaja é a Directora Adjunta da RTP????)

    Mas para ser Rainha da Pirosice é preciso algo mais que uma inacreditável falta de cultura geral. Não chega só ser parva que nem um portão nem ter um ego do tamanho da testa do Santana Lopes.

    É preciso ser muito feia, sabê-lo e potencia-lo semana após semana com roupinhas que não lembram ao diabo! Onde compras a roupa, filha? No Pronto a Vestir Claudine & Vanessa, Modas Post-Mortem?

    E porquê exagerar essa penca descomunal com uma franja que nao se via desde Vila Faia? E essa boquinha… com a massa que todos lhe pagamos, já poderia passar pela sala de operaçoes e fazer que deixe de espalhar os gafanhotos pelas salas da RTP.

    Que a mulher mais bimba seja a mais poderosa do jornalismo só é possível num país onde a democracia se mede pelas horas nas bichas para entrar nos colombos que infectam a nossa paisagem.

    Somos patéticos



    Por Rititi @ 2003/12/08 | 2 comentários »


    querido blogue no outro dia fui

    Querido Blogue,

    No outro dia fui indecente. Nao quando falei daquelas coisas todas sobre a masturbaçao e os gajos; aí acho que estive muitíssimo bem. Mas tenho ouvido algumas críticas porque nao escrevi que também há o lado feminino do blogue. Como no cérebro, percebes?

    Pois bem, eles andam aí, tao giros, tao voláteis, com tanta foto do cao, do gato, do filho, merda pro filho. Que grandessíssimas secas. Que gajas sao essas? Antes os gajos, quero lá saber da solidariedade feminina e dos soutiens queimados nos sessenta.

    Claro que nao vou dizer os nomes dos blogues. Nao por ética ou medo a perder audiência: nao me lembro. E mesmo que me lembrasse, tenho medo.

    Vamos ao que interessa: Independentemente da filosofia do blogue existem características comuns:

    A tolerancia, por supuesto, faz parte do lado feminino da humanidade (e segundo algumas parece ser mesmo exclusivo). O que estas gajas nao estao a ver é que para se tolerar alguem esta-se a fazer um grande frete, aliás nem se pode com o gajo, é estupido que se farta e só em nome do parece-bem nao lhe vamos aos cornos. Portanto, ó minhas, ser tolerante é, no minimo, ser uma grande vaca hipócrita!!

    Outro tópico. A sensibilidade. Pois, levem lá a bicicleta. Isso e mais o sexto sentido. Se vinha no kit, entao que lhe devolvam o dinheiro à minha mae porque eu nao trazia nada disso.

    Mas para Top Mais: a maternidade! Depois de ler alguns textos eu até tenho medo de algum dia ficar grávida. Pelos vistos as mulheres ficam automaticamente transformadas em heroinas da Marvel, com poderes que multiplicam os sentidos por 500 milhoes de capabaites. Um duche de amor e ouro… Ai, foda-se.

    Deve ser, aliás, graças a esses mega poderes (aliados à tolerancia, pues) que as Maes de Bragança se têm safado tao bem!



    Por Rititi @ 2003/12/05 | Sem comentários »


    querido blogue mesmo agora te criei e

    Querido blogue,

    Mesmo agora te criei e já me saíste torto. Rica merda.

    Pelos vistos quando te fiz ia rebentando com o sistema blogger todo, deve ser porque ainda nao é desta que vou lá ou entao as minhas madeixas ficaram demasiado loiras da ultima vez que visitei my dear Marco. Um dia destes ainda és trocado por um bloco de notas da papelaria fernandes.

    Entretanto tenho-te a confessar que fui um bocado promíscua e andei a dar umas voltas pelos blogues dos outros. Eis as minhas descobertas:

    – A blogosfera portuguesa é um imenso bosque de pirilaus!

    – As pilas estão chateadas: Os blogues mais parecem livros de reclamações da DECO. Não há pachorra.

    – Os nossos caralhinhos pátrios querem ser o Pacheco Pereira quando forem grandes.

    – Pelo exagero do tamanho dos textos publicados os gajos já não se devem conformar com medir as pilas. A nossa juventude está perdida.

    Será que as gajas não têm nada para contar? Para ser blogável é preciso ser gajo? Machismo na net?

    Ou não serão os blogues uma nova forma de masturbação em grupo? Afinal, todos os homens que conheço concordam que já bateram uma piviazinha com uma assistência masculina… Tentemos agora pôr a situação no feminino:

    - Ó Tânia, que domingo tão chato!

    - Pois é, Carla, bora aí esfregar o grelo!

    - ?!?!?

    MAS QUEISTO!!!! Pois é. Tá tudo explicado.



    Por Rititi @ 2003/12/02 | Sem comentários »


    era tao mais facil ter um diario

    Era tao mais fácil ter um diário…

    Mas nao, cá estou eu a tentar ser gentinha a sério, dessa que tem blogue e amigos no blogue e conversas às três da manha à porta do lounge sobre o seu proprio blogue e piadinhas do blogue e…

    Duvido que este meu diário cibernáutico dure muito tempo. Para já tenho que descobrir como é que esta merda funciona. Estou aqui há uma hora e ainda nao percebi népia disto. E já lá vao dez cigarros e a roupa por passar. Ser mulher na net tem a sua coisa. E quando se está perto dos trinta, ai maezinha…

    Pra já… com tanto tuga nesta globosfera, porque é que está tudo em inglês??? Reivindico aqui a ignorância tecnológica, apesar do meu amantíssimo esposo reiterar a facilidade de criar um blogue. O tanas!!!



    Por Rititi @ 2003/12/01 | Sem comentários »