Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • portuguesices versao 2

    Portuguesices, versao 2.975

    Quando for grande quero ser um gajo de pelo no peito e chamar-me Zé Manel.

    Para coçar o tomatame enquanto passa uma boazona e levantar o dedo ao taxista filhodaputa sem passar por louca varrida. Quero ser gajo para poder mijar de pé e comer as gajas todas e ser o heroi do bairro e bater uma em grupo porque faz parte da iniciaçao à vida. Quero ser gajo para palitar os dentes nos restaurantes e para ver a bola cagando-me na mae do arbitro. E quero ser gajo para ir às putas.

    Porque os gajos vao às putas y tan tranquilos que se quedan, oyes, de euro na mao e piloca exaltada, a ideia de felicidade masculina deve passar por um puticlibe de estrada e tangas transparentes em bundinhas brasileiras. Vai um champanhe sinhor, pois claro, e lá escorre a baba e a testosterona, levantada à pala de cartao de crédito, que afinal essas gajas estao cá para me servir, era o que faltava, um homem todo o dia no campo e agora ainda me moem os cornos com os direitos do putedo.

    E que nao faltem as table-dance para os mais finórios, que uma uma coisa sao as putas velhas e celulíticas e outra essas meninas soviets, que quase parecem modelos e só fazem isto porque querem, que trabalhos há muitos, nao querem é lavar escadas, las muy putas, mas que lindas que ficam a abanar a mama e o que for preciso, sobretudo no private, que elas também gostam de ser apalpadas, pois nao.

    Que bonito é depois voltar a casa, à esposa e ao crédito à habitaçao, bom pai de familia e pessoa do mais serio que há, nunca nenhuma dívida lhe foi conhecida.

    Que bonito que é resolver os problemas de poder com cinquenta euros o broche na estrada de Ovar, mas por poder, até as atropelava a todas, ordinárias que só vêm à nossa santa terra desorientar os bons maridos, que razao tens minha querida, onde queres que eu assine a carta ao bispo de Braga.

    E vê lá se te fazes homem, meu filho, e vais com o pai ali aprender o que for preciso que ainda me sais roto e o desgosto que dás à tua mae, nao me sejas um pervertido que te vou às trombas.

    E a quem lhe importa se as gajas sao obrigadas ou escravas, que isso das máfias é tudo mentira, afinal só é puta quem quer.



    Por Rititi @ 2004/06/08 | Sem comentários »

    Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *