Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • querido blogue houston we have problem

    Querido Blogue,

    Houston, we have a problem, que é o que eu me digo cada vez que um amigo me pede para conhecer uma nova namorada. Visto-me de heroína da Marvel e rezo a Santa Rita de Cássia para que seja feia, gorda e anã, uma nódoa de mulher, porque eu já não estou para que a vida me confronte com mais Super Gajas. Daquelas Super Giras, Super Altas, vedetas elas num mundo de gente baixinha nos ténis da Nike, Super Penteadas e Restauradas vinte e quatro horas por dia, Super Simpáticas e com ar de quem vai apresentar uma Gala na RAI 1, impecáveis elas num bar da moda e eu, a afundar-me na minha normalidade de quem apanha autocarros para ir trabalhar e espreme as borbulhas frente ao espelho em momentos de crise existencial. Super Gajas no seu mundo de pastel de nata e festas Super Divertidas, com o obvio domínio do físico e do baile do verão, aserejé, já, dejé. Descomprimem-me estas gajas e mais ainda quando tenho um período galopante, eu com a pele feita um nojo e as gajas com a cara de porcelana.

    O meu triste ego já não resiste a comparação física nesta altura do campeonato, muito me custam os soutiens reforçados que dissimulam a força da gravidade para que tenha que lutar de estômago vazio contra a lei da relatividade do tempo e das mamas dessas Super Siliconadas, com tops implacáveis para a minha sanidade mental e a libido do macho ibérico, que sonha com poder levar uma dessas bonecas insufláveis aos jantares com a malta do escritório. É que estas Super Gajas tiram-me do sério, sobretudo porque de tão diminuída que fico com o poder da perfeição cirúrgica, agarro uns pifos descomunais, de caixão à cova e do bar à cama em três tempos. Fica o caldo entornado, com Mr Pinheiro à solta e eu com um complexo de bêbada ao dia seguinte que nem te conto. O meu homem, obrigado que está pelos compromissos conjugais, diz-me que não, minha querida, a beleza é outra coisa e eu gosto de ti por natural, boa gente e doida varrida, coitado, a jurar-me de pés juntos que a ele as mamocas de borracha mais que excitar-lhe dão-lhe a sensação de balão de feira. O que faz o amor e a paciência infinita.

    Claro que isto tudo é inveja, que me corrói, para que mentir, por muito que me tentem convencer que a beleza está no interior assim que uma daquelas Super Estilizadas e Super Bronzeadas se cruza no meu caminho tenho uma vontade louca de me internar na Corporación Dermo-Estática, reconstruir-me de pés à cabeça e voltar ao mundo de peitoral renovado e exuberante beleza exterior, que nos momentos de complexos físicos não há cultura geral, amigos interessantes nem drogas sintéticas que me valham!

    Porque quando me assaltam as dúvidas estéticas e o suicídio intelectual está tão eminente, o que eu quero é saber andar de saltos altos, sentar-me com mini-saia, ter uns dentes eternamente brancos e um rabo sem celulite. Quero estar sempre morena e ter umas unhas inquebrantáveis, umas madeixas perenes e umas pernas eternas. Caguei para os clássicos da literatura universal e agora quero ser uma Barbie pós-moderna, aparecer nas revistas e que perguntem pelas férias!

    Que saiba o Mundo (e os meus amigos que trocam de gaja com uma frequência doentia) que eu ainda não estou preparada para as Misses, que me desestabilizam e provocam em mim urticárias interiores. E depois não há quem me ature!

    Ai, a inveja…



    Por Rititi @ 2004/08/30 | Sem comentários »

    Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *