Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • querido blogue com um novo ian macewan

    Querido Blogue,

    Com um novo Ian MacEwan debaixo do braço, overdose da Grande Alface e muita pachorra como mochila vital, ai que bem que se está de ferias na nossa casa… Porque os emigrantes somos assim, queremos lá saber de pacotes turísticos aos subúrbios do turismo de massas, pacotes para os pobres de espírito, que a gente gosta é de volta à terra, reconhecer lugares, gentes e sabores sem a dobragem fatela e sotaque de Madrid. E eu, de tanto misticismo acumulado no outro lado da fronteira não sou muito diferente do senhor que partiu com pochette de carton à procura de uma vida digna e um futuro para a prole lá pelos anos sessenta, quando o mundo acabava na serra da Gardunha e na missa com comunhão ao domingo. Não, eu sou uma emigra de verdade, uma exilada na capital dos impérios zapateros, uma triste que quando atravessa Elvas pára na primeira estação de serviço para beber uma bica se faz o favor e solta uma lagriminha ao sintonizar a Rádio Despertar, a sintonia de Estremoz. Enfim, eu cá sou mais uma votante por correio, mais uma saudosista do sentir pátrio em terras estranhas, mais uma minoria étnica num país de multi nacionalidades e problemas linguísticos.

    Mas depois de quarenta e oito horas de intensa vida social nesta Lisboa que tanto me dói cá na alminha tiram-me logo do sério e a saudade e o saudosismo transformam-se em decepção. Outra vez fico cá com uma azia nos meus interiores lusitanos, que pá qué. A tmn que me nega uma fluida comunicação com os meus amigos, fans e familiares, falha no cartão sim e pede lá uma segunda via, para não te armares em esperta; uma festa no lux cheia de tristes suburbanos engravatados de convite na mão e nome da mailing list, bem vinda sejas a esta imitação pretensiosa de Londres à beira Tejo com direito a câmaras de televisão, roupas novas, seguranças com microfones intimidadores e dj’s convidados; carros que habitam naturalmente os passeios e a minha vida sempre em risco a passear no meio da estrada; cabrões que por direito divino se sentem no dever másculo de me comerem com olhos, a palavra e atitude arrogante sem o mínimo respeito pela integridade da mulher; gentes pequeninas e frustradas que enchem paginas de jornal, best-sellers, programinhas na sique gaja e blogues com pseudo-pensamentos de merda com uma estupidez congénita digna de quem por cagaço e mediocridade nunca saiu do seu buraco na periferia; e eu que não me aguento. Não há pachorra, pá, e nem os jantares com os meus queridos amigos, bezanas com a minha mana má linda có soli e uma interessantíssima e rica blog-date com a melhor mãe da blogosfera portuguesa me tira esta sensação de desamparo.

    Eu quero cá voltar, a sério, só não sei se estou preparada para andar sempre a levar na cabeça cada vez que tiro as lentes da saudade típicas de quem vive longe de casa.



    Por Rititi @ 2004/09/30 | Sem comentários »


    gerencia comunica deus e grande e sua

    A Gerência comunica:

    Deus é Grande e Sua paciência infinita.

    Eu não sou Deus e ainda por cima estou de ferias.



    Por Rititi @ 2004/09/28 | Sem comentários »


    quem quem quem tem direito uma coluna

    QUEM, QUEM, QUEM, tem direito a uma coluna no DNA?????

    Da blogosfera para o Mundo, o sucesso está garantido!!!!! Estou que não posso com o meu ego hoje.

    (E agora, se me dão licença, vou de férias uma semana para Lisboa…)



    Por Rititi @ 2004/09/24 | Sem comentários »


    querido blogue como jovem cosmopolita

    Querido Blogue,

    Como jovem cosmopolita que sou, tenho a agenda cheia de números de telefone, sinal indiscutível da minha intensa vida social. Sim, porque eu tenho muitos amigos, bués deles e íntimos totais, porque a mim essa coisa de contar os amigos com os dedos da mão parece-me uma ordinarice de primeira, que o meu Avô sempre me disse que as únicas meninas que contam com os dedos são as putas quando têm que dar troco aos clientes. Ele lá teria as suas razões para essa lógica trasmontana. E é que os meus amigos são gente assim como eu, mas mais viajados e com maior queda para as línguas, porque eu sou uma naba para o inglês, que querem que lhes diga. Para que eu mantenha uma conversa decente com um bife tenho que estar muito bem regada de uísque e com brutais doses de unzinhos na carola, o que só dá merda, porque a mim vem-me a veia nacionalista ao fim da noite e mais de uma vez acabei à estalada com um francês por culpa das invasões Napoleónicas e das peças de arte roubadas. Eis um dos inconvenientes de ter este amor à Historia Universal, a gente nunca esquece pequenos detalhes e datas significativas.

    E estes meus amigos com vocação atlântica, como gente decente que são e super aficionados às festas multitudinárias, acabam invariavelmente por se casar com estranjas quase sempre loiros e muito mais altos que a média de portugueses que enchem o lado esquerdo da igreja destinado à parte do cônjuge lusitano. E que bonitas que são as bodas estas, oyes, super internacionais e coloridas, que os meus amigos têm uma estranha preferência por nórdicos além Germânia, bárbaros para os romanos e uma alegria para os olhos dos convivas masculinos, deliciados com as femininas e estonteantes curvas escandinavas. Por mim tudo bem, que o meu Mr. Pinheiro é um homem decente e nada dado ao babanço típico das pilinhas pátrias, mas pelo sim pelo não eu cá levo na mala do carro uma trela hiper resistente aos claros olhos azuis das Ingrides Nielsens que distraem a concentração do macho. Nunca se sabe, entre leitão e camarões pode acontecer muita coisa, que estas gajas já andavam a queimar soutiens quando o nosso Portugal ainda era um latifúndio católico e a preto e branco.

    Mas eu cá gostava de dizer a estes meus amigos que tanto gostam de espalhar os genes por esse mundo fora, trocando Silvas por Smiths, que para a próxima vez que se casem que o façam no estrangeiro, por exemplo na Escócia porque eu sempre tive o sonho de dançar com um marmanjo de saias e sem cuecas. Ou então que caguem para o norte da Europa e comecem a unir civilizações. Norte e Sul juntos pelo amor global e tolerante. Deveria ser bonito assistir a um casamento mixto entre um católico não praticante e a filha do chefe de uma tribo sub-sahariana, com a Mãe do noivo de mamas ao leu e os convidados aos saltinhos com lanças da mão. Ou então que uma amiga radical de esquerda e por depilar se junte a uma comunidade zíngara com a consequente prova do lenço, vagina acima e a ciganada toda aos berros ao comprovar que a virgindade da noiva se tinha perdido na parte detrás de um Fiat Uno anos atrás com o baterista de uma banda rock.

    Enfim, casai-vos todos, mas façam o favor de ser mais originais.



    Por Rititi @ 2004/09/22 | Sem comentários »


    breve comentario ou nao me fodam os

    (Breve Comentário, ou não me fodam os cornos, ófashfavor)

    Querido Blogue,

    Quando não pode ser, não pode ser, e aliás, é impossível, e eu que sou alérgica às segundas-feiras por dogma de fé, é sair da cama depois de um fim-de-semana de luxúria e festarolas e olha, dá-me uma comichão anímica cá nos interiores que nem conto. Porque eu sou super sensível ao início da semana, é ouvir o despertador e querer esconder-me do Mundo, do Trabalho e de Todos. É que eu não nasci para acordar antes das onze e por muitos anos que eu ande nesta vida das oito às cinco, não me habituo nem me conformo. Quero tomar o pequeno-almoço ao meio-dia, fumar um ventil na casa de banho e sair do duche para tomar as cañas, uma e meia, duas da tarde. E muitos etcéteras que não me deprimam.

    Vamos, que una ya no tiene el coño para ruídos, e mesmo pertencendo à Categoria da Gaja Simpática há coisas que não se aguentam, o que faz a falta de pachorra e a segunda-feira. E o que menos estou para aturar hoje é o Machão Paneleiro, espécie que por muitas voltas que dê a vida e por muito que evolua o planeta não desaparece. Uma subcategoria da barata mas com pirilau, indestrutível à modernização da raça humana, com a masculinidade agarrada pelos tomates ao século passado, quando o mundo era a preto e branco e as mulheres estávamos condenadas ao matrimónio eterno e a limpeza do cu das crianças.

    Não que me aterre este Machão Paneleiro, eu que sou Mulher com Maiúsculas bem sei que desses já há poucos e com sorte andam escondidos atrás de alguma interpretação casposa da religião do Estado (enquanto por cá andar o PP, a religião será do Estado) ou desculpados por uma tal educação conservadora. Sinais dos tempos, este Machão Paneleiro é normalmente achincalhado pela massa feminina, que para mal dos seus pecados, aumenta e domina universidades, empresas e a administração públicas. Assustado pela argumentação lógica do século 21, foge com o rabo entre as pernas porque é um mariquinhas pé de salsa. E como todos os cobardes históricos, daí vem a sua verdadeira ameaça, porque quando o nosso Machão Paneleiro se vê rodeado por criticas ataca com a força toda; com a palavra, normalmente disfarçada de humor politicamente incorrecto, com o desprezo social (a gaja ou é puta ou é fufa) e o que é pior, com a força bruta. O machismo congénito que acaba em sovas brutais. Tudo é começar com a piadola, as gracinhas de merda que só aos da sua espécie interessam, comentários que têm a graça no cu. E depois é só abrir no grelame culpável que a vida não seja como antigamente, todas caladas ou levam na fuça. À estalada tudo se resolve, pois.

    Por isso, hoje não estou para estupidezes, nem machismos recalcitrantes. Se o Machão Paneleiro quer fazer mostrar o tamanho do pirilau que o faça na casa dele. Esta é a minha casa e aqui mando eu. E se não entende, é que o tomatame já lhe domina o cérebro.

    Pois, que é segunda-feira e não estou para que me chateiem com merdinhas.

    (a buen entendedor, dos palabras bastan)



    Por Rititi @ 2004/09/20 | Sem comentários »


    rititi educa o povao 5 o sexo do povo

    A RITITI EDUCA O POVAO (#5)

    O Sexo do Povo,

    Num País onde os padrecas comandam a vida na cama, onde a masturbação feminina é um segredo e a homossexualidade um pecado, eis que nos encontramos com uma sexóloga mediática, gira e culta que partilha os segredos do bom sexo com um rigor científico impressionante. Desmistificando mitos, tamanhos e posições, a Lorena Berdún explica em horário nobre na Televisão Publica espanhola como a vagina se expande quando é penetrada, que o tamanho excessivo do pénis pode destruir um bom coito e que o facto de um homem vestir as cuecas da namorada durante o jogo sexual não é sinal de perversão. Enfim, uma Mulher cujos livros, programas e conferências deveriam ser de consumo obrigatório para o povinho português com a cabeça cheia de complexos e ideias feitas. Porque no nosso jardim ao mar plantado subsiste teimosamente a vergonhinha pudica do grelo e o Machão Paneleiro continua a ser o rei da casa, Lorena Berdun JÁ, pela sanidade emocional e sexual do portuga. Porque há vida além da posição do missionário e do sexo ao sábado depois da bola. Ah pois é.

    Em www.siquierespuedes.com alguns exemplos para a cabecinha de todas as idades.

    P ¿El sexo anal es placentero?. Mi marido y yo al final nos hemos decidido a probar esta practica pero yo tengo algunoas dudas. De paso, ¿Podrias darme algunos consejos sobre como empezar?

    R: Puede ser muy placentero, pero hay que tener varias cosas en cuenta. MUY IMPORTANTE: comprad una crema lubricante, y si puede ser además dilatadora, mejor. Id a una condonería, que las hay. Es mejor empezar poco a poco, introduciendo un dedo, luego dos… Y después el pene. ¡Pero muy poco a poco! Tened paciencia, y no intentéis que salga a la primera. Suerte!!! Por cierto, muchas risas ¿EH?

    P: Cuando me masturbo no sé si puedo distinguir un gran dolor en el clitoris de un orgasmo.. El cuerpo me pide marcha y a la vez me retuerzo de dolor…. es orgasmo, problema clitoridiano.. menta??

    R: ¿Menta? Eso ocurre porque tu pareja acaricia el clítoris directamente y molesta. Hay que acariciarlo alrededor, no justo el guisantito que sobresale. Prueba de esta manera y verás como la sensación cambia

    P: Quizás sea atrevido pero siempre me he preguntado porqué siendo placentero para muchas mujeres el sexo anal no lo Puede ser para el hombre, sin ser gay. Estoy casado pero no sé como plantearlo a mi esposa.¿Por qué no es placentero para un hombre?

    R: El sexo anal no tiene nada que ver con la homosexualidad. ¡Nada! Plantéaselo con naturalidad, con curiosidad. Es una practica más, sin etiquetas de ningún tipo.

    Bom fim-de-semana!



    Por Rititi @ 2004/09/17 | Sem comentários »


    querido blogue sou ma pessoa um nojo

    Querido Blogue,

    Sou má pessoa, um nojo, uma pérfida asquerosa que fez o infazível, o proibido pelas mais elementares regras de urbanidade: ontem deixei a minha vizinha do 3 – D na rua às três da madrugada, sozinha à porta do prédio, sem chave de casa e entregue aos bichos e aos porteiros das disco-naites do bairro. O pior, é que ela sabe que fui eu, e agora tenho verdadeiro terror de a encontrar nas escadas. Bem sei isso que não se faz, que é feio e pecado, mas reconheço que me irritou um bocadinho ser arrancada, piii, piiii, do meu sonho jamón, jamón e erótico-gastronómico com o Javier Bardem de tanga de leopardo e eu em poses impróprias para uma mulher casada com um Pinheiro. Uma picuinhice da minha parte ficar fodida assim, porque que me acordem às duas da madrugada com o agradvável som do intercomunicador pegado à orelha durante uma hora, piiii, piiiii, não é nada de especial, aliás para a puta da minha vizinha é coisa corriqueira, que ela gosta é de partilhar os seus hábitos nocturnos com a vizinhança, ignorando que eu vivo no ultimo andar, a oitenta e oitos degraus do nível do chão e com uma acústica do caralho, que quem tem vistas para um pátio interior arrisca-se a coisas destas. E como o cabrão do gajo que vive com ela deve ter tomado uma overdose de xanax deixou a miúda a tocar à campainha como uma possessa, piii, piii, para mal dos meus pecados e do sagrado sono pós fim-de-semana de hiper-actividade social.

    E eu, a arrastar-me pela casa, zombie total e capaz de assassinar alguém, mais exactamente aquela ordinária filha de uma grande vaca, e quando a mandei estar mas é quietinha e que o melhor era ligar para o telemóvel do marmelo, que eu quero é dormir, que aquelas não eram horas para estar a recriar a nona sinfonia com o intercomunicador, ameaçou-me de morte se não lhe abrisse a porta e a deixasse entrar. Cabrona, diz-me a gaja, ábreme la puta puerta o te rajo, e a mim a ideia de ser rachada à metade com um corta unhas pela gaja do andar debaixo assusta-me como o caraças, mas eu caguei e deixei-a com o dedo pendurado e a ordinarice na boca, e cabrona tu, e agora fodes-te, e tu e mais o teu piiii, piiii. Toma lá, para não me voltares a tirar dos braços do Javier do meu coração.

    E agora desço as escadas do edifício com o medo metido no corpo, a esconder-me dela e da sua sede vingativa, que de certeza ficou bem apurada depois do nosso confronto via altifalante comunitário. O meu amor olha para mim e acha-me tarada, que exagero, mas eu sei de boa fonte que os do 3 – D têm um cão criminal, daqueles que comem criancinhas nos condomínios fechados e que são treinados para deixarem uma gaja amputada das mamas. E sei também que pertencem a um gang suburbano e praticam vudu com as minhas cuecas que conseguem roubar e são vampiros que chupam a energia ao pessoal do prédio e, aliás, não pagam o condomínio!

    Acho que o melhor mesmo é mudar de casa antes que a gaja me arranque os olhos num ritual satânico.



    Por Rititi @ 2004/09/14 | Sem comentários »


    hoje com um bocado de atraso na seccao

    Hoje – com um bocado de atraso – na secção RITITI EDUCA O POVAO (#3)…

    Grandes Clássicos da Literatura Universal!!!

    Para ter uma mente assim retorcida como a minha são precisas horas de estudo, leituras até às tantas, pestanas queimadas, investigação multi-disciplinar e muita concentração. Porque não só da ¡Hola! vive uma mulher, apresento em exclusiva o guia espiritual para qualquer urbano-depressivo: El Jueves, la revista que sale los Miércoles .

    Risotas, buen rollo e muito sentido crítico, nem o Papa escapa ao corrosivo olhar destes humoristas!

    Para que depois digam que a esquerda não tem sentido de humor!

    A leer, malditos!!!



    Por Rititi @ 2004/09/13 | Sem comentários »


    querido blogue sexo drogas luxo muito

    Querido Blogue,

    Sexo, drogas, luxo, muito luxo, traições, overdoses, carros descapotáveis e mentiras. Não, não é o retrato do meu dia a dia, com muita pena minha e dos meus vizinhos, porque toda a gente gosta de ter o escândalo a habitar na porta do lado, parede com parede e o ouvido pegado ao pladur. Infelizmente o jovem casal Pinheiro é muito mais discreto e para nós as depravações são para manter no segredo do leito conjugal, sem gravações e a tecnologia audiovisual bem guardadinha: um dia destes eu até gostava de ser mãe e nem quero imaginar a cara dos futuros pinheirinhos se confundem o vídeo do Rei Leão com a performance dos paizinhos com os instrumentos de cozinha.

    Não, as histórias de sexo, luxo e mentiras são outras, as que passam a todas as horas nas televisões cá do Reino da Grande Espanha, berço de Velázquez, Picassos, Celas e de uma interminável fauna de criaturas sem uma pisca de decência na fuça e que, ignorando as mais rudimentares regras de urbanidade, expõem as suas tristezas e doenças venéreas a troco do reconhecimento das peixeiras nos super-mercados. Em quintas de famosos, casas super vigiadas ou platôs com publico resgatado de um lar da terceira idade, a escumalha do burgo explica às duas tarde os inconvenientes da queca num barco em Marbella com um ex-namorado de uma miss viciada em anti-depressivos. Travestidos, ex-concorrentes de um concurso de telemerda, vizinhas da realeza, actrizes no desemprego, putas e panascas, pais biológicos de artistas de feira, o circo no horário nobre e as autoridades com as competentes costas viradas para o outro lado, porque a eles ainda não lhes salpica o estrume das audiências. Do outro lado das trincheiras escondem-se bimbos de terceira transformados em jornalistas de investigação e que graças a uma ampla interpretação da liberdade de imprensa e benzidos por gestores de impérios da comunicação atiram a sua verborreia verbal contra vivos, mortos e crianças. Tudo é carne para grelha televisiva. Tudo se vende e todos se compram: partos, casamentos lésbicos, divórcios, infidelidades, em directo para o Povo, que a ceia está servida e a audiência satisfeita, os olhos postos na telerrealidade e a consciência cheia de merda.

    Grande País, depois não querem que me entregue ao consumo de psicotrópicos.



    Por Rititi @ 2004/09/09 | Sem comentários »


    querido blogue o meu grelo anda dum

    Querido Blogue,

    O meu grelo anda dum sensível que não há quem o ature, coitado, e isso que faço os impossíveis para tenha uma vida relaxada e livre de preocupações mundanas. Mas não há creme ou cuequinha de renda que o relaxe, porque o meu grelo é do mais informado que há, e desde que leu que graças ao novo Governo pátrio não vai poder fumar nos restaurantes depois de uma valente feijoada de chocos, olha, anda tristíssimo, com uma depressão de cavalo de nem te conto. De nada me serve explicar-lhe que é tudo pela Saúde Púb(l)iça do Povo, que os nossos governantes são super altruístas e que só querem o nosso bem, aliás temos a sorte de que os que mais mandam sejam super amigos da Vida em geral e dos mais indefesos em particular, nasciturus e grelos incluídos.

    É que estou farta de tentar que perceba que graças à nossa Direita, que por acaso é a que mais ordena, os maoístas mauzões já não podem andar por aí a assassinar criancinhas indefesas, porque a malta de esquerda é toda abortista e cabrona, vendida que têm todos a alma a Lúcifer de tanto livro em francês que leram na época do exílio em França, berço de desmiolados descrentes de Deus. E muito devemos agradecer que os moralistas, que ainda vêm a televisão a preto e branco e ignoram que a pílula já se vende sem receita médica, se empenhem tão piamente, mesmo recorrendo a navios de guerra, em tentar controlar a nossa sexualidade, porque, se não são eles, o meu grelo estaria entregue a uma vida de loucura, depravação e desmanchos cada mês e meio.

    E o meu grelo que não, que não está para me ouvir, e a culpa é minha, ninguém me manda levá-lo a beber copos à festa do Partido Comunista Espanhol, e agora está a pensar organizar uma manifestação às portas de São Bento, clamando contra a hipocrisia lusitana e a puta que os pariu a todos. E eu que já li o rascunho do discurso, nem me parece mau de todo, porque se uma coisa tenho é um grelo muito culto e com um sentido critico impressionante. Até já se passou ao ateísmo depois de uma crise de fé quando viu o nosso Primeiro-Ministro a pôr flores a Santo António de Alfama. Enfim, que o meu grelo vai-se manifestar e exigir Dignidade à seria, que estes gajos da direitona casposa que congela os salários muito gostam de defender a suposta Vida de uma ervilha de três centímetros e aos vivos que nos fodam, que não há quem conduza pelas estradas portuguesas sem sofrer uma tentativa de atentado mortal cada quinze minutos. E a policia, a beber grades de cerveja na berma, que não está para ser chateada com mariquices.

    E já que está com as mãos na massa, o meu grelo vai aproveitar também para se queixar daquela vez que esteve dez horas na sala de espera do Hospital de Santa Maria para ser atendido de um ataque de apendicite, que afinal eram gases, e ainda bem, porque senão tinha-se ficado por lá, só que no congelador mortuário. Já agora, usufruindo dos quinze minutos de fama à frente do Parlamento, agradecerá a este Governo que tanto ama a Vida a pensão de quinze contos que recebem as Avós do nosso Portugal; e a morte de centenas de mulheres às mãos de maridos apaixonados pelo sangue e ciúmes sem que a ninguem lhe importe um caralho; e os montes que se queimam; e o trabalho infantil; e a condição de escravidão em que vivem os emigrantes que procuram uma certa dignidade no nosso país; e o desemprego galopante; e a falta de bolsas de estudo; e o preço da vivenda para os mais novos; e outros pequenos detalhes que não interessam a quem de verdade ama a Vida, com maísculas e cartazes de fetos.

    É que já disse que ando com o grelo muito sensível.



    Por Rititi @ 2004/09/06 | Sem comentários »