Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • querido blogue domingo conjugal o lo

    Querido Blogue,

    Domingo conjugal, o lo que es lo mismo, Mr. and Mrs. Pinheiro marcam reunião amorosa no sofá amarelo debaixo do edredon rodeados de bolachas OREO e litros de Coca-Cola, que quando a ressaca ataca não há melhor remédio que os gases do xarope açucarado inventado com base na cocaína. Porque quando na cidade chove granizo assassino o mais sensato é ficar-me abraçadinha ao meu amor seguindo as sondagens das nada fraudulentas eleições americanas via televisão zapatera. Isso ou ver interessantes programas sobre a luta dos produtores de castanha autóctone contra os importadores da abóbora capitalista yanqui. Ao que chegámos para manter as nossas tradições ancestrais vivas, cagonlaleche.

    Eu até entendo o desgosto dos puristas do Dia de Todos os Santos, o que até a mim me estranha, porque toda a gente sabe que prefiro uma bela noite nos copos a passar uma manhã no cemitério a limpar a campa de um ser querido, e isso que tenho vários enterrados. Deve ser por respeito aos meus mortos, ou por um selecto sentido do bom gosto mas sobretudo pela minha incapacidade total para entender donde coño está a graça de passar uma noite mascarada de bruxa pindérica e com um nariz de plástico atado à cabeça, que para nariz superlativo já me basta o que a minha herança judia me deu. Não se me leia aqui qualquer anti-americanismo primário, eu que amo sem limites ícones culturais dos States como Woody Allen, Os Sopranos, Paul Newman e a Levy’s. Os gajos não têm culpa nenhuma de terem sido educados no mito de Halloween, mistura explosiva de tradições celtas e muitas horas a mamar filmes merdosos de virgens mutiladas por psico-killers com falta de bofetadas maternas. Não, os americanos, por muito que lhes doa ouvir isto aos esquerdalhos com complexo de culpa cada vez que comem pipocas no cinema, os americanos, digo, não podem ser responsabilizados pela estupidez da nossa boa gente.

    Queremos Carnaval? Bora importar em Janeiro umas mulatas brasileiras para sambarem debaixo de uma chuva demoníaca pelas ruas de Ovar semi-nuas. Super típico e super português. Páscoa na aldeia? Que simpática ideia pôr os putos a pintar ovos, tradição alemã que tem imenso a ver com o nosso costume de comer cabrito e folares.

    E se importam como nosso o Halloween, olha que engraçado, esqueçamos o carácter trágico da festividade, que a vida já é muito triste se ainda por cima temos que nos lembrar dos que se foram embora e levar-lhes flores e rezar-lhes um bocado para ver se nos ajudam com o que está lá em cima. Porque se os ritos pagãos sempre impregnaram de futilidade e alegria a nossa religião tão dada a sentimentos de culpabilidade, então bem-vindas sejam as festas de abóboras e mortos vivos patrocinada pela Pepsi e com a banda sonora de um grupo hip-hop afroamericano machista num bar qualquer da cidade. Se me chamassem Jenny a festa estava completa.

    O melhor mesmo é continuar escondida debaixo do edredon agarradinha ao meu Pinheiro mais lindo que isto está difícil.



    Por Rititi @ 2004/10/31 | 8 comentários »


    rititi educa o povao 9

    RITITI EDUCA O POVÃO (#9)

    A Colecção de Outono que Karl Lagerfeld desenhou para a H&M

    … e que sai a 12 de Novembro!!!! Mas querem que eu dê comigo em maluca? Já não posso esperar mais!

    Pelo sim, pelo não, dia 12 estou à porta da H&M de Gran Via, que a série é limitada e eu não quero ficar sem um vestido de chiffon criado pelo mesmo gajo que veste a Carolina de Mónaco.

    Paneleirices, pró que me havia de dar a uma idade destas!



    Por Rititi @ 2004/10/28 | 11 comentários »


    um ano bloggar ou como dar os parabens

    Um ano a Bloggar ou como dar os parabéns aos Frangos para fora, um dos melhores blogues colectivos da História.

    Há uns meninos que andam há um ano e seis dias a mandar bujardas magníficas, a dar na cabeça dos maus da fita ou a levantar polémicas de uma profundidade inultrapassável (como o debate sobre o fio dental…).

    E eu adoro os meus Frangos mais Lindos. Muito.

    Parabéns, meninos queridos: Victor Lazlo, the Bird (e aos ausentes Aziz, Dude, Zarco também).

    Eu cá vou a continuar a ser a vossa fã number uane!



    Por Rititi @ 2004/10/28 | 4 comentários »


    querida ines vais te embora

    Querida Inês,

    Vais-te embora. Fazes bem. E eu fico como triste, sem moleskine que me anote coisas de “gente espertinha”.

    Pena para mim.

    Pelo menos, promete continuar a ouvir Andreas Scholl, Haendel e o presente de Deus que é o “Ombra Mai Fù.

    Até já.



    Por Rititi @ 2004/10/27 | 3 comentários »


    querido blogue pelas espanhas da

    Querido Blogue,

    Pelas Espanhas da tortilla e pandereta a coisa vai torta da alminha. E não me estou só a referir ao Gran Hermano, programa-circo onde uma ex-gaja expulsa o que lhe resta das hormonas femininas entrando em brigas sangrentas com uma militar de tatuagem e ordinarice mental, enquanto a stripper argentina tenta, à pala de danças supostamente excitantes na casa de banho, que a contratem para um filme porno-erótico de produção latina. Uma dor de cabeça ver o Gran Hermano, tanta gritaria deixa uma mulher com os nervos empilhados qual pratos na cozinha e um estudante universitário.

    Mas não, a coisa estende-se ao resto da vida pátria, com os políticos cá da terra a candidatarem-se ao Premio do Grunho do Ano. Quantos mais disparates, melhor a categoria. Se por um lado o sempre divertido Mr. Aznar compara em Georgetown a Reconquista da Península aos mouros com a actual guerra contra o terrorismo islâmico (vistas bem as coisas, ainda éramos capazes de situar o Bin Landen na arvore genealógica do Almansor, tás a ver), Zapatero-Man, o homem do diálogo, não se acanha, e acha que para pôr os maus da fita na ordem basta uma dose de paciência, beijocas nos beiços e dois charrinhos, e a coisa fica resolvida. Grandes visões da politica internacional, e todos os dias mais al-quaedos são presos por tentar dar uma reconstruçãozinha com quinhentos quilos de explosivos à Audiência Nacional, casa da Lei e do Juez Garzón, que de tanto bom-senso até parece que é ele o maluco. E para dar um bocadinho de sal à vidinha dos jornais descobriu-se que os grandes cozinheiros bascos, além de grandes pratos, também dedicaram os seus esforços a aumentar a fortuna da ETA, organização humanitária como caralho, pagando, sem deixar queimar as cogochas de merluza, o útil Imposto Revolucionário. Dá sempre jeito ter amigos em todo o lado, e enquanto uns dormem descansados outros esperam acordar com a família assassinada, ou o negócio rebentado, simplesmente por dizer BASTA YA, por ahí no paso.

    Mas nada disto parece incomodar os líderes das massas, muito que andam entretidos em organizar a reunião dos Presidentes Autonómicos, concilio este que servirá para expelirem verbalmente verborreias antigas e ódios pós-democráticos. Uns reclamarão direitos supostamente históricos, outros selecções de hóquei em patins para ganhar aos cabrões dos imperialistas espanhóis, enquanto as regiões mais pobres tentarão que a coisa não vá a pior e os fundos da união para o caralho e para os cofres dos que choram e nada fazem.

    Mas nada importa, nada chateia, o que agora está a dar é a suposta gravidez/aborto da Letizia, cada vez mais magra e cada vez mais bode expiatório de uma Espanha dividida por assuntos de segunda categoria, mas que distraem do que realmente lhe dói ao País: uma cambada de políticos energúmenos egoístas que preferem aparecer nas capas dos jornais a resolver a violência terrorista, os efeitos devastadores da imigração descontrolada, a morte de mulheres maltratadas durante décadas, e …

    Bem, já estou eu a desvariar. Vou-me mas é embora beber uma caña com a minha Mãe que me veio visitar.



    Por Rititi @ 2004/10/26 | 6 comentários »


    sobre o post anterior ou vamos la ver

    Sobre o Post anterior ou vamos lá ver se a gente se entende.

    Uma Mulher tem o direito a não querer ser elogiada.

    Uma Mulher tem todo o direito a mandar pró caralho os trolhas que berram desde o quinto andar as fodas que lhe davam se pudessem.

    Uma Mulher não tem porquê estar agradecida cada vez que leva com os olhares porcos de uns pervertidos à porta do metro, ou com os comentários dos colegas, ou com as insinuações do chefe.

    Aliás, o Homem não está na posse divina do piropo, nem da boca sobre as mamas, nem das piadolas machistas.

    Que eu saiba a Mulher não é nenhuma vaca para andar a aguentar com brutalidades que cada vez que passa em frente de uma obra, e ainda por cima sorrir, porque é para isso que cá estamos, para servir de objecto e fantasia sexual a um grupo de brutamontes que se excitam só de imaginar o que há debaixo de umas cuecas.

    Está claro, ou tenho que fazer um desenho, fodasse?



    Por Rititi @ 2004/10/26 | 14 comentários »


    querido blogue nos ultimos tempos tenho

    Querido Blogue,

    Nos últimos tempos tenho recebido uma barbaridade de e-mails, e eu, que adoro ler opiniões de terceiros, ando super feliz com a quantidade de literatura transmitida por banda larga. Bem é verdade que a maioria das mensagens que chegam à minha caixa de correio é lixo electrónico, correcções aos meus pontapés no português e vírus escondidos detrás de enganadores títulos como “Estou toda nua” ou “Fetiches”, coisa que está muito bem, mas está a rebentar com o disco rígido do computador, porque sou uma bisbilhoteira do caraças e não me controlo ante tanta insinuação internáutica.

    Mas o emílio que mais me comoveu na semana passada foi o do um tal de Admirador, (no es cachondeo: admirador@qualquercoisa.pt), que se me dirigiu com um seríssimo “Exmª. Senhora” para se despedir “com os melhores cumprimentos”. Até se me caíram as pestanas, que o Exmª Senhora dá-me um medo que te cagas, tú, porque os únicos que me tratam com tamanho respeito são os simpáticos do Departamento de Pessoal quando me notificam por carta que o meu ordenado vai ser encolhido por obra e graça de um novo escalão fiscal inventado à última da hora para que as contas do Estado não fiquem em tanga ao final do ano.

    Pois bem, o Admirador pede-me sinceras desculpas por se ter referido no passado aos meus seios (mamocas para os amigos). Não me queria ofender, só não pôde evitar elogiar tanta beleza peitoral, símbolo de maternidade e vida. Que lhe perdoe a ofensa, leio meio chorosa e enaltecida, e os peitos a dizerem que sim, que estás desculpado, ó Admirador.

    A questão, querido leitor, não está na referência da mama, que uma mulher já está mais que habituada a elogios de trolhas e seguranças de discotecas, mas há coisas que escusam ser ditas, que a gente já sabe. Dou-lhe até um exemplo de um caso que me sucedeu numa festa onde dei de bruços com o incrivelmente belo Thiago Lacerda. O meu primeiro impulso foi atirar-me aos pés do homem e jurar-lhe amor eterno, elogiar-lhe aquela dentadura imaculadamente branca e prometer-lhe fidelidade televisiva. Mas contive-me, que apesar perdida de estar bêbeda de uísque e paixão, ainda soube manter a compostura. Só me aproximei, pedi licença e confirmei a sua categoria profissional. Graças a São Pancrácio o gajo ainda estava mais concentrado em álcool que eu, pelo que a potencial conversa se transformou num patético monólogo, eu de cabeça para cima devido ao seu metro e noventa e ele de mão pegada ao meu braço, hipnotizado pela minha infinita bezana.

    Imagine, caro Admirador, se todas as loucas pela infinita beleza do jovem Thiago lhe passassem o dia lembrar-lhe o seus bíceps perfeitos e os olhos daquele azul transparente. O coitado nem saía de casa. Aliás, ele já sabe que é o Adónis das telenovelas brasileiras, pelo que tanta alembradura só lhe levaria a que se operasse na fuça para ficar como o Woody Allen, e está a ver a hecatombe que seria para a Humanidade Feminina.

    Por tanto, estimado leitor, para a próxima deixe ficar os seus elogios na gaveta, que eu não preciso que me recordem o tamanho do meu soutien, graças a Deus tenho espelhos em casa e roupa para vestir todos os dias.

    E deixe de me tratar como à minha Avó, de Exmª e com tanta reverência, que até me assusto toda e não tenho idade para isso.



    Por Rititi @ 2004/10/25 | 7 comentários »


    rititi educa o povao 8 o amor tem

    RITITI EDUCA O POVÃO (#8)

    O Amor tem destas coisas.

    Mas a Vanity Fair também dá uma ajudinha à relação conjugal. Ultima pagina. Proust Questionnaire.

    VF: What is your most market characteristic?

    TW: My ability to discuss, in depth, a book I’ve never read.

    Meu amor, agora entendo tudo. E sim, o homem é um genio.

    Leva lá a puta da bicicleta.



    Por Rititi @ 2004/10/21 | 24 comentários »


    desabafo meio de uma semana de chuva

    Desabafo a meio de uma semana de chuva interminável:

    - Quando é que os cabrões dos espanhóis vão começar a vender SG Ventil?

    - Tão difícil é beber um café decente na puta desta capital?

    - Qual o sentido de dobrarem clássicos do cinema japonês para o castelhano? Aliás: para que serve a merda da dobragem?

    - A quién coño le importa da vida da Isabel Pantoja?

    - Como é possível que uma Comunidade Autónoma como Aragón mude de escudo e bandeira (com mais de quinhentos anos) por causa das queixas de um grupo muçulmano hiper sensível à História de uma nação?

    - Quem paga os 6 milhoes de euros que custa o novo chalet da Infanta Cristina?

    - Aonde é que se compram jornais portugueses em Madrid?

    - Quando é que pára de chover, caralho?

    (Vou-me suicidar com uma overdose de café sólo e volto já)



    Por Rititi @ 2004/10/20 | 28 comentários »


    querido blogue ha gente para tudo

    Querido Blogue,

    Há gente para tudo. Eu perixemplo, sou super fã da leitura das necrologias nos jornais. É abrir o Diário de Noticias e ir directamente para as defunções: os teus filhos não te esquecem, recebeu os santos sacramentos, oramos pela sua alma. Mas isto sou eu, que não estou bem da tola desde que engoli os dentes todos quando tinha quatro anos ao pisar o capote alentejano. Podia ter ficado bem pior.

    Já a minha amiga Maria tem outro tipo de gostos, porque é uma rapariga do mundo, muito viajada e com um sentido de humor divino. Ela gosta é da secção de relax dos jornais, ah pois. Não por nada, mas diz que a descontrai muito ler as ofertas de carácter sexual com convites de virgens universitárias depiladas, de mulatas de peitos turgentes, ou búlgaras inexperientes. A minha amiga diz que a relaxa muito, que a leitura destes anúncios até devia ser incluída nos cursos de escrita criativa, enfim, que se trata de um género menor e muito negligenciado por os autores da chamada literatura pop.

    Por isso quando me telefonou na sexta-feira passada com o coração aos saltos e as páginas de luxúria na mão, não consegui deixar de me preocupar. A Maria descobriu que alguém tinha usado a secção de relax para se vingar de uma mulher, concreta e inocente. Pelos vistos, um ex-namorado cornudo não se importou de pagar uma pipa de massa para denegrir a coitada da Anabela, uma jovem cujo único pecado foi dormir com outro homem enquanto passava ferias em Ibiza para depois confessar o seu adultério, quem sabe se arrependida. Se calhar não. O cornudo não foi de modas e expôs a relação oral da moça com duzentos caracteres e os dois telefones de contacto; a saber: o do trabalho e o da casa dos pais dela. A coisa anda já em tribunais e o cabrão está feito ao bife. Cada um que carregue os seus os cornos com a maior dignidade possível, e quem não sabe que acabe os dias com um processo-crime no historial de vida.

    Eu relembro à Maria aquela outra história de uma jovem vereadora de Mérida, solteira, independente e de bom ver, que recentemente se encontrou com as suas fotos de uma noite de sexo a três penduradas na internet e nas paredes da Câmara Municipal. A vereadora manteve a postura, o cargo e um bom par de tomates. Três filhos da puta já foram presos e como dizem por cá “se les va a caer el pelo”. Cada um carrega a sua inveja como lhe ensinaram.

    Estes casos de vingança são tão estupidamente típicos que já cansam. Aliás, a ninguém lhe estranha a uma hora destas que o ataque pessoal à mulher passe pelo uso até à exaustão da palavra puta, emprego entretanto super bem pago para os dias que correm. Ora, ora, eu cá não gramo esta tipa: toca lá de espalhar fotos dela a fazer broches ao namorado pela capital da Extremadura espanhola. É suposto uma mulher vir-se abaixo pela exposição publica e cabrona das intimidades? Seria ultrajante para um homem este tipo de calunias? Duvido, que não há gajo que não goste de passar por machão entre as mamas de duas mulheres e de presente, ainda é publicado na net.

    Numa sociedade machista e de moral castamente hipócrita como a nossa, para que este tipo de vexames se continue a dar significa que a visão perfeita da mulher ainda passa pela posse de virtudes como a castidade, a pureza mental e virgindade, mesmo que sejam mães de quinze filhos. Até quando teremos que carregar com o mito da Nossa Senhora? Talvez as últimas epistolas do simpático Ratzinger não ajudem à festa.

    A cabronice não desaparecerá deste mundo, é claro, mas este tipo de vinganças têm castigo na lei. A vereadora não se acanhou nem se demitiu: simplesmente denunciou o caso aos tribunais competentes.

    Agora os que se fodem são outros.



    Por Rititi @ 2004/10/18 | 1 Comentário »