Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • querido blogue porque mr

    Querido Blogue,

    Porque Mr. Pinheiro é algo mais que uma personagem da blogosfera, agradeço a Deus por o ter cruzado comigo naquela noite de Novembro. Uma maravilha e um prodígio, este loiro de voz perfeita.

    “Olá Doutor

    Houve alguém, um dia, que me disse que um Homem não é o que faz; comprei a sentença e até passei a notar que quando se pergunta a alguém pela profissão, a resposta, invariavelmente, começa por «Eu sou…».

    As opiniões são como as verdades científicas – têm validade aprazada e mudá-las, com ponderação, quase sempre resulta num qualquer avanço. Digo eu, claro…

    Nunca partilhei o “ideal” de que o trabalho liberta (aarghh!), mas descobri, nestes meses que vivi entre parêntesis, que a falta dele tolhe: um Homem não é o que faz; mas se não faz nada, há uma parte dele que vai mirrando devagarinho. Parece que a Vida, sem Obra, é mais pequena e baça.

    E que, afinal, faz sentido e não é à toa que quando somos infantes queremos «ser» [quando formos grandes] médicos, polícias, astronautas ou, se já formos prosaicos, herdeiros.

    Por pouco mais que diversão e curiosidade, espreitei há tempos as ofertas do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEPF). A febre de classificação das profissões é de tal ordem que seguramente terá saído de um colégio de imaginações borbulhantes de crianças traquinas.

    Ele há designações radicais, que mais parecem feitas para James Bond do passado – SOLDADOR A ARCO EM ATMOSFERA DE GASES INERTES OU DE ANIDRIDO CARBÓNICO -, paredes-meias com outras, mais “bucólicas”, como o fidelíssimo e poético FIEL DE ARMAZÉM.

    Para os que sempre aspiraram a ter massa, ou pelo menos a mão nela, os estetas do IEPF fazem questão de propor meteóricas carreiras a OPERADORES DE BETONEIRA e a ESPALHADORES DE BETUMINOSOS; e não esquecem aqueles que gostam de trabalhar “por objectivos”, como os SOLDADORES POR PONTOS, nem os que são mais finos e não exercem o seu mister com qualquer porcaria, como os CARPINTEIROS DE LIMPOS.

    Há também lugar para os mais indecisos, que não vêem clara e precisamente a sua posição num futuro maizoumenos imediato, de que é exemplo o PADEIRO, EM GERAL. Parece-me, aliás, justo: por quê condenar alguém, logo nos primeiros anos de profissão, a laboriosos trabalhos com croissants em série para o resto da vida? Estes tipos têm olho, Doutor! «Vá, força! Agora és padeiro em geral; se te aplicares, podes especializar-te em mil-folhas – e em cada uma delas!» No capítulo das designações esotéricas, o imparável CONTÍNUO [que o eufemismo desdobra em AUXILIAR DE APOIO ADMINISTRATIVO] é o que mais interrogações me coloca. Haverá, à laia de concorrência, um INTERMITENTE? Se houver obras, correrão o risco de passarem a Descontínuos? Pintá-los-ão de amarelo?… Uma inquietação, Miguel, uma inquietação…

    Aos que sempre gostaram de brincar com o fogo, ignorando olimpicamente avisos maternais de xixis certos na cama, o desafio assenta que nem uma luva de amianto – que o digam os MAÇARIQUEIROS e os FOGUEIROS DE CALDEIRAS A VAPOR, que forjam carreiras a altas temperaturas.

    Há ainda os catitíssimos PORTA MIRAS (não confundir com porta-minas) e, na HOTELARIA, os MANDARETES – sempre enche o olho num business card e evita os rubores complexados de “moço de recados”. Para o fim, deixei ficar duas profissões a que um dia, ainda neste Espaço e neste Tempo, aspiro ascender: o CORTADOR DE CARNES VERDES e o obscuro e semi-demoníaco MAGAREFE!

    E o Doutor, o que quer ser quando for grande?

    Avé!

    alter-lego

    PSOE – Há quem nasça com o rabo virado para a Lua; eu, salve-se a devida distância e profundeza da metáfora, terei nascido com a Lua no dito: após vários meses de intensa procura de trabalho – e quando o subsídio de desemprego estava prestes a terminar – recebi uma oferta para trabucar em Madrid. Ponto final à vida entre parêntesis, portanto.”

    Mais maravilhas como esta, no que foi a melhor fábrica de escrita em português, o Pastilhas.



    Por Rititi @ 2005/01/31 | 9 comentários »


    mulher estas farta de fingir que do ras

    Mulher, estás farta de fingir que A-DO-RAS todos os manifestos suicidas de Bergman? Hasta el chocho de aturar os pincéis depressivos dos Magnetic Fields? Até quando suportarás que te falem da magnitude dramática dos anestesiantes autores dadaístas????

    BASTA!!!!! Aqui reclamo, ó saudoso grelame pátrio, pela libertação da Soraya de Jesus que todas levamos dentro! Fora complexos intelectuais, mulher, deixa que a tua sopeira se manifeste nos corredores dos hiper mercados nacionais!!!! Con el chándal y mis tacones, arreglá pero informal, arriqueitan y olé!

    E assim se inaugura, caras e maravilhosas leitoras, a nova secção Rititiniana:

    MOMENTOS GINA, PORQUE EU MEREÇO!

    Porque há momentos-gaja aos que não devemos virar as costas, porque a sociedade não tem o direito de nos retirar as horas mortas a espremer borbulhas em frente ao espelho ao som do best of da Gal Costa. Porque já estamos fartas que a banalidade feminina seja vista como um pecado. Porque Barbra Streisand é o remédio perfeito para as crises hormonais. Porque comer pipocas com gin tónico a ver telenovelas mexicanas é uma bênção de Deus e qualidade de vida. Porque a pirocise liberta o espírito e refresca a pele.

    Inaugura-se a secção, meninas, com o duo mais hortera, bimbo, kitch e delicioso do panorama musical espanhol: Andy y Lucas!

    Son de amoreeeeeeeeeeeeees,

    Amores que mataaaaaaaaaan, amores que ríen,

    Amores que lloran, amores que amargaaaaaaaaaan.
    Son de amoreeeeeeeeeeeeees,
    amores que engañan, amores que agobian,
    amores que juegan, amores que faltaaaaaaaaaan.

    Me encanta, tú, y a la Jenny que me habita ni te cuento, chacha, que son de amoreeeeeeeeees!

    Que os Momentos Gina deixem de ser vícios inconfessáveis!
    Por um Portugal mais feminino e descomplexado, Vota Rititi!!!!

    (já agora, que alguém me ensine a por musica nesta merda)



    Por Rititi @ 2005/01/28 | 12 comentários »


    unica solucao possivel para evitar

    Única solução possível para evitar a cabrona da onda de vento polar que até os pintelhinhos congela: Mentir, Mentir, Mentir!!!!

    Estou doente, ai eu, não posso sair de casa, ai as cruzes, ai o ranho, cof, cof, meu patrão me perdoa, ai os meus peitos tão pequenos e tão pequenos imperfeitos…

    E ficar em casa. Era o que mais me faltava, porra, que com este frio não há cojones que valham!



    Por Rititi @ 2005/01/27 | 5 comentários »


    post homenagem ao melhor blogue

    Post-homenagem ao melhor blogue português alguma vez escrito, lido e pensado mas que por razões misteriosas não é actualizado desde que a Maria Madalena teve o primeiro período.

    O Sapato da Gata Borralheira.

    Sapato de vidro não chora, cristaliza-se. É o que me safa. Da minha vida como calçado das deslavadas heroínas da Disney só tiro os proveitos da conta bancária na Suiça. E agora, a dois telejornais de entrar para a reforma, preparo-me para escrever a minha autobiografia. Eis a esperada vingança. Podres, calos, unhas encravadas, odores a queijo de Serra, nada ficará de fora das páginas que revolucionarão as mentes mais pacatas.

    Porque o público merece saber a verdade. Precisa ser elucidado sobre a palma do pé mais escura das vedetas dos sonhos animados da infância. Todas cheiram mal dos pés. Todas fingem calçar um número menos. Todas escondem os joanetes da fama e do barulho das luzes da ribalta.

    Mas Ela é a mais hedionda. Uma mimada, a Diva com os pés de barro. De todas a mais cabra, a mais inumana. Destruiu uma família inteira de sapatos de vidro oriunda da Boémia só porque deixavam transparecer os pelos do dedo gordo do pé direito. Puta. Ninguém lhe servia, nenhum salto a consolava, como se o destino do calçado fosse embelezar umas pernas defeituosas à nascença. E que tornozelos tão gordos, Ó Deus!

    Eu era ainda uma jovem chanata quando a conheci, sonhador e com a biqueira cheia de esperanças e ilusões, até que ela as pisou, desprezando as capas da minha alma. Sofri como ninguém o andar altivo de quem anseia acabar os seus dias a comer perdizes no Palácio Cor de Rosa do Reino da Fantasia. Nunca mais fui o mesmo: ainda acordo durante a noite, encharcado em suores frios, ao recordar como me humilhou ao perder-me de propósito nas escadarias do Palácio do Príncipe Encantado. Todo o Mundo Civilizado viu como me abandonou, solitário na que se suponha ser a minha saída triunfal do Baile. Fui obrigado a sofrer os patorras porcas das Feias Irmãs Malvadas, e aí, confesso, quase me despedacei em mil pedaços. Tudo para a sua glória. Tudo para que a Abóbora se transformasse de vez no Ferrari que a tirasse do quotidiano das panelas sempre por lavar. E enquanto a menina desfruta da Fama do Para Sempre Jamais, eu, coitado, ganho pó nos armazéns da memória. Mas por pouco tempo, devo ser paciente.

    Cindarela, o teu reinado está prestes a acabar. Terás noticias minhas, juro pelo espírito eterno de Manolo Blahnik.

    E agora vê lá se te deixas de paneleirices e te pões a escrever.



    Por Rititi @ 2005/01/25 | 7 comentários »


    outros dialogos possiveis serie

    OUTROS DIALOGOS POSSIVEIS

    (Série Almodovar)

    Em pleno Inverno, Chus Lampreave e Rossi de Palma (mãe e filha e inimigas genéticas por falta de homem) tentam aniquilar-se na cozinha da casa do subúrbio com o faqueiro de prata da família. Coisas de gajas encalhadas e com demasiadas horas de visionamento da vida de famosos na televisão privada.

    Ao tocar o telefone, as duas abalançam-se para o agarrar, sempre na esperança que o Príncipe Encantado esteja ao outro lado da linha.

    Chus Lampreave: Tou? Tou?

    Rossi de Palma: Quem é? Dá-me o telefone!

    C. L.: Tou? Não ouço nada, mas sou viúva e bem conservada!

    R. de P.: E eu sou virgem! Quero um marido!

    C. L.: Rititi? Aqui não vive ninguém com esse nome.

    R. de P.: É um homem? Diz-lhe que não tenho celulite e que me entrego por amor y por lo que haga falta!

    C. L.: Mas quem é essa Rititi? Ah… pois, tou a ver… É conhecida, ah, sim, entendo.

    R. de P.: E cozinho lindamente e sou muito dada ao sexo em grupo também.

    C. L.: Mas é muito famosa ou mais ou menos? Ai sim? Sim, sim, já lhe ponho cara.

    R. de P.: Dá-me a merda do telefone, velha asquerosa. Esta pode ser a minha última oportunidade!

    C. L.: Ahhhh. Já sei, que despiste. Intimas, olhe, conheço essa senhora lindamente. Unha e carne, amigas do peito a Rititi e esta que lhe atende o telefone. E eu que não sou nada de falar da vida de outras, até lhe digo mais, conheço-a como se fosse minha filha, uma simpatia.

    R. de P.: Velha dum raio. Sempre igual, assim que aparece uma famosinha da treta ignoras-me, trocas-me por uma achega de fama. Por tua culpa fiquei para tia, para vestir santos e com o tempo todo do Mundo para a minha solidão vaginal.

    C.L.: Olhe desculpe, agora tenho que desligar. Tenho que arrancar os olhos à vaca da minha filha, que além de bastarda me infernizou os anos frescos e jovens. Sabe, eu até era bonita e de bom ver, mas claro, fiquei prenha de pai desconhecido e por isso ninguém me quis. Olha, desligaram. Viste o que fizeste, sua vaca, sua parasita?

    R. de P: Eu? Eu? Sempre eu!! Puta e mais que puta, se não fosses tu eu já me tinha casado!

    E assim se vive na cozinha do subúrbio, sem homem e com as mágoas no frigorífico.



    Por Rititi @ 2005/01/24 | 3 comentários »


    rititi educa o povao 20 nao ha desculpa

    RITITI EDUCA O POVÃO (#20)

    NÃO HÁ DESCULPA

    (ou vamos lá dar mais uma volta à questão levantada pela Vieira)

    Porque a banalização é a maior praga deste nosso mundo bem pensante de merda. Porque não se deve esquecer. E porque o crime não deve ser tratado como uma brincadeira adolescente.

    Porque Harry Windsor* é o terceiro na linha sucessória para se tornar o Chefe de um Estado democrático. Porque a avó desse imbecil é a máxima representante da Igreja Anglicana. Porque Inglaterra perdeu milhares de homens e milhões de libras na defesa da liberdade na Europa.

    Porque o Nazismo foi o crime mais hediondo contra os valores que fundaram a sociedade ocidental. Porque a cruz suástica lembra que a mesma nação que pariu Kant e Bach benzeu o ódio racial, intelectual e religioso. Porque a amnésia histórica permite que a intolerância sobreviva no nosso quotidiano.

    Porque não há desculpa possível para uma cagada deste calibre, muito menos vindo de quem tem o dever histórico e institucional de venerar a memória de milhões de mortos.

    E quem não perceber isto que reveja as imagens de Auschwitz. Se calhar também as acha muito engraçadas, coisas de miúdos parvos.

    *Actualização: Harry não é um puto como os outros. Nem tem direito a sê-lo. Que abdique se o que pretende é dedicar-se à masturbação da sua estupidez em público.



    Por Rititi @ 2005/01/21 | 19 comentários »


    farta de que me vendam adolescentes

    Farta de que me vendam adolescentes escanzeladas, sem borbulhas e pneus como modelos de beleza a seguir, hasta el coño de sapatos com biqueira assassina e saltos de vertigem e, sobretudo, porque amanhã começo mais uma formação filha da puta, decido que me likes disto, da campanha que a Dove promove para a real beauty.

    Porque a estas alturas do campeonato, pá, a verdadeira beleza é a minha. E a da minha mãe. E a da Toka que está prenha. E a da minha Mana que se pode gabar das curvas mais estonteantes que se passeiam por Lisboa. E a tua, cumcaralho, e caga lá para a merda das dietas, dos cremes e das cintas, que la vida son dos días e não estamos para aturar disparates de estilistas, modistas e cagões de merda que não têm mais nada que fazer que passar o dia a vomitar.

    Ou porque se não envelhecemos é porque morremos cedo demais.



    Por Rititi @ 2005/01/19 | 18 comentários »


    mas alguem tinha duvidas you are

    Mas alguém tinha dúvidas?

    Siamese

    You are a Siamese! You are fun-loving, playful,

    energetic, talkative, and exotic. You are the

    center of attention and you love every minute

    of it.

    What breed of cat are you?

    Com a licença da Ana, que ainda tem a imensa pachorra de me enviar crónicas ao domingo.



    Por Rititi @ 2005/01/18 | 8 comentários »


    querido blogue segunda feira e outra

    Querido Blogue,

    Segunda-feira e outra vez o mesmo frio no coração e no autocarro – sinais dos tempos e da necessidade de uma mulher de ser arrancada da cama a horas ordinárias para levar o pão à boca. Antes muerta que sencilla, e lá vou eu com a cabeça enfiada no jornal caminho do desespero e do computador. Ai coño, passa-se uma página e cruzam-se as pernas metidas na saia curta cor-de-rosa choque com pretensões adolescentes, que para encarar os mesmos gajos que nos impinge o quotidiano o melhor é ir gira e com uns saltos de vertigem. Outra página e este mundo está tarado, que raio de noticias e quem me manda ler algo mais que a ¡Hola! e os blogues dos meus amigos. A imprensa séria deprime-me, e antes que muerta que sencilla, porra para este otoverme natalício cantado por uma criança com ar de puta precoce que não me sai da cabeça.

    Acidentes laborais, atentados no Iraque, a Letizia que não engravida, a Grécia multada pelo déficite e o Plan Ibarrarretxe dando por culo, que é como os espanhóis expressam o mal-estar de uma pátria segregada por egoísmos e filhos da puta que se aliam com terroristas. Se querem ser independentes tudo bem, diz-me uma mãe com três crianças fardadas sentada ao meu lado antes de sair na paragem de Ortega e Gasset, mas que continuem a chupar da boa vontade do Estado, por aí não passo. Quem paga impostos a tempo tem direito a expressar o que lhe vai na alma. Mais uma página e entre a foto de uma criança abandonada e a noticia de mais uma mulher assassinada pelo namorado, lá está o grande avanço da ciência, da tecnologia e da luta contra a natureza: uma velha de 67 anos pariu um rato, ou uma criança com um quilo, não vejo diferença. Aleluia, somos deuses, somos o que quisermos, e a quem lhe apetecer ser mãe que pague um tratamento de fertilidade. Reverte-se a menopausa, incham-se os ovários de hormonas, que não exista no planeta mulher sem o direito à maternidade. Custe o que custar. Morra quem morrer, neste caso o outro gémeo que trazia no ventre. Avé Maria Puríssima, sem pecado concebida, e que feliz é a senhora, enrugada e gasta, mesmo que daqui a dez anos deixe orfão um filho por um capricho do fim de vida.

    Admiro-me que as organizações Pró-Vida, a Igreja Católica e os defensores da procriação em geral não berrem contra esta aberração. Porque a mim parece-me uma cabronice de primeira que uma idosa submeta uma Vida a um sonho tardio, a uma vontade da terceira idade. Que acontecerá a esse filho quando chegar à adolescência e a mãe estiver presa a uma cadeira de rodas? Quem tem direito a roubar a infância a uma criança? A Ciência? A taradice? A vaidade de passear um bebé no parque ao domingo?

    Que hipócrita este nosso mundo de valores ranços, digo-me enquanto desço do autocarro. A eutanásia – que não é mais que a expressão ultima da nossa humanidade – não ultrapassa o tabu mental dos políticos, incapazes de a expressarem no foro dos debate parlamentário. O aborto é mais pecado que direito e a adopção um calvário que pode durar uma década.

    Mas ninguém se insurge contra as maravilhas da Ciência, ninguém se atreve a questionar os milagres do Homem. Mesmo que se matem nasciturus para chegar à Utopia se sermos deuses por um dia.



    Por Rititi @ 2005/01/17 | 13 comentários »


    rititi educa o povao 19

    RITITI EDUCA O POVAO (#19)

    … Voltar à terra.

    … Jantar no São Rosas

    …. Dormir em casa.

    (Estremoz, Alentejo, Portugal)



    Por Rititi @ 2005/01/14 | 13 comentários »