Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • outros dialogos possiveis serie

    OUTROS DIALOGOS POSSIVEIS

    (Série Almodovar)

    Em pleno Inverno, Chus Lampreave e Rossi de Palma (mãe e filha e inimigas genéticas por falta de homem) tentam aniquilar-se na cozinha da casa do subúrbio com o faqueiro de prata da família. Coisas de gajas encalhadas e com demasiadas horas de visionamento da vida de famosos na televisão privada.

    Ao tocar o telefone, as duas abalançam-se para o agarrar, sempre na esperança que o Príncipe Encantado esteja ao outro lado da linha.

    Chus Lampreave: Tou? Tou?

    Rossi de Palma: Quem é? Dá-me o telefone!

    C. L.: Tou? Não ouço nada, mas sou viúva e bem conservada!

    R. de P.: E eu sou virgem! Quero um marido!

    C. L.: Rititi? Aqui não vive ninguém com esse nome.

    R. de P.: É um homem? Diz-lhe que não tenho celulite e que me entrego por amor y por lo que haga falta!

    C. L.: Mas quem é essa Rititi? Ah… pois, tou a ver… É conhecida, ah, sim, entendo.

    R. de P.: E cozinho lindamente e sou muito dada ao sexo em grupo também.

    C. L.: Mas é muito famosa ou mais ou menos? Ai sim? Sim, sim, já lhe ponho cara.

    R. de P.: Dá-me a merda do telefone, velha asquerosa. Esta pode ser a minha última oportunidade!

    C. L.: Ahhhh. Já sei, que despiste. Intimas, olhe, conheço essa senhora lindamente. Unha e carne, amigas do peito a Rititi e esta que lhe atende o telefone. E eu que não sou nada de falar da vida de outras, até lhe digo mais, conheço-a como se fosse minha filha, uma simpatia.

    R. de P.: Velha dum raio. Sempre igual, assim que aparece uma famosinha da treta ignoras-me, trocas-me por uma achega de fama. Por tua culpa fiquei para tia, para vestir santos e com o tempo todo do Mundo para a minha solidão vaginal.

    C.L.: Olhe desculpe, agora tenho que desligar. Tenho que arrancar os olhos à vaca da minha filha, que além de bastarda me infernizou os anos frescos e jovens. Sabe, eu até era bonita e de bom ver, mas claro, fiquei prenha de pai desconhecido e por isso ninguém me quis. Olha, desligaram. Viste o que fizeste, sua vaca, sua parasita?

    R. de P: Eu? Eu? Sempre eu!! Puta e mais que puta, se não fosses tu eu já me tinha casado!

    E assim se vive na cozinha do subúrbio, sem homem e com as mágoas no frigorífico.



    Por Rititi @ 2005/01/24 | 3 comentários »

  • toka says:

    mu bueno ja ja ja

  • Luís F. Simões says:

    Apenas te quero informar que não está a dar para comentar 😉

  • rititi says:

    Ora bolas…

  • Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *