Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • pequeno apontamento de finais de marco

    PEQUENO APONTAMENTO DE FINAIS DE MARÇO

    De manhã tenho frio e saio de casa vestida como se fosse caçar focas ao Polo Norte.
    À hora do bocadillo do meio-dia, tiro o casaco de malha cor de rosa que tanto jeito deu em Novembro mas que agora parece começar a sobrar.
    Enquanto compro tampaxes na farmácia descubro que engordei mais um quilo. Que mania esta de pôr uma moeda na balança. Estúpida de mim e olha, uma borbulha na ponta do nariz. Tento comprar um vestido para me sentir fresca e magra mas estou tesa, e o mês ainda agora começou. Merda.
    Ao almoço maldigo as botas altas, as meias, a saia que me aperta e a conversa sobre as intrigas financeiras do namorado da Isabel Pantoja. Maravilha que colegas, caralho. Se ao menos não suasse como uma porca a minha vida seria mais fácil.
    Saio às cinco, com a roupa pegada ao corpo, o cabelo oleoso, mal-cheirosa e deprimida: a borbulha não pára de crescer e as minhas maminhas parecem explodir de emoção menstrual.
    Menopausa aos trinta? Não: é a puta da Primavera mais as suas consequências no meu corpo hormonal. Pois.



    Por Rititi @ 2005/03/29 | 10 comentários »


    outros dialogos possiveis serie

    OUTROS DIALOGOS POSSIVEIS
    (Série Almodóvar)

    Chus Lampreave, secretária pessoal da Rititi, tenta evitar que esta segunda-feira de regresso à suburbanidade não acabe com a vida da sua patroa, bloqueando assim telefonemas, e-mails e picuinhas impertinentes.

    Ch. L.: Que no, que no se pone. Doña Rititi hoy no está para nadie, joé. Cagonlaleche, que ni urgente ni ná, que mi señora está con la cabeza metida en el WC, intentando sobrevivir al cotidiano madrileño y a la ordinariez de la madrugada.
    Pues póngale un fax, coño, y espérese a que mi señora se recupere de su semana lisboeta, hay que ver las prisas de la gente.
    Oiga, que ya le he dicho que no es posible hablar con la superlativa Rititi. Y no, mire usted, pues no hablo portugués, cojones.

    El look mío? Pues muy trabajado, claro, a ver si se cree que la belleza es gratis e fácil.
    Hasta el coño de impacientes, oyes.



    Por Rititi @ 2005/03/28 | 1 Comentário »


    momento gina segredos muitos segredos


    MOMENTO GINA: SEGREDOS, MUITOS SEGREDOS

    … de cama, de escritório, quem casou com quem e porque; os gostos da herdeira do império Zara; onde se opera a Isabel Presley que não se nota nada; quantos maços fuma a mãe do Leonardo Di Caprio; quanto custou a discreta vivenda unifamiliar da normalíssima Infanta Cristina; a cintura de 40 centimetros da Kylie Minogue; é verdade que a Letizia é infértil por uma operação anterior à sua relação principesca; os atrasos de J. Lo e os caprichos do casal Beckham.

    Futilidades e reuniões secretas dos ricos: só no Confidencial.com, por Paloma Barrientos, a mulher mais bem informada do Reino das Espanhas.



    Eu cá, acredito-me toda no que a Paloma conta. Nem que fosse mentira!



    Por Rititi @ 2005/03/25 | 1 Comentário »


    ja ca estou e acho muito bem que

    JÁ CÁ ESTOU

    E acho muito bem que precisamente na semana em que estou de férias, a que me custou horas, dias, meses até de estúpido faço-que-trabalho nas terras da emigração para ter sete dias de descanso na minha casa lisboeta, digo então, que sou super a favor que chova, sopre um vento cabrão e que caia a aguinha toda que for preciso.
    Porque não havia mais semanas durante o ano para que a puta da seca acabasse, não, tinha que ser logo esta. Mas não tem mal, pá, que eu sou generosa e estou-me bem cagando se não posso passar as tardes em Santa Catarina a encher os olhos do meu Tejo.

    Mas se os cabrões não me apagam os foguinhos todos em Agosto, ai, então há molho, porque eu não sou mulher de trocar os tremoços do Adamastor por cinzas da Serra de Aire.



    Por Rititi @ 2005/03/21 | 15 comentários »


    querido blogue dois dias de me meter na

    Querido Blogue,

    A dois dias de me meter na aventura automobilística do IP 5 para ir jantar com a sogra a Espinho, vejo que o Nuno, portuense e emigra em terras da Cataluña, respondeu à minha desgarrada Norte-Sul-a-minha-terra-é-melhor-que-a-tua usando um tema tão delicado – por conjugal – para mim como a francesinha. E fê-lo com um texto magnífico, por sentido e apaixonado, defendendo o seu petisco como a amante que o espera na aldeia, tão linda e tão composta, vestidinha de limpo e com os olhos postos na saudade do homem que nunca mais volta a casa.
    Acontece, querido Nuno, que tanto amor assolapado deixou-te cego e insensível aos prazeres quotidianos. Dizer que a francesinha é um prato “sem desperdício nem exagero” é como afirmar que a característica principal do Palácio da Pena é a simplicidade e a discrição. A francesinha é tudo quanto queiras: recompensante, delirante e até confratenizadora – se bem não entendo porque o povo não se pode encontrar à volta de uns belos de uns pezinhos de coentrada (de madrugada no Cais do Sodré e rodeada de putas velhas nunca me senti mais aconchegada).
    Mas simples???? Só pela confecção “duas fatias de pão de forma, linguiça, salsicha fresca – olvidaste o inefável fiambre – carne assada ou bife, queijo fatiado, tudo dentro do pão, menos o queijo que ficará a cobrir”… Sem esquecer o molho, o tão afamado molho de tomate com sabe Deus com que ingredientes se mistura o conhaque ou outro álcool de terceira categoria (sic). Isto é uma ordinarice, um exagero, uma falta de decência com a gastronomia simples, um desprezo à composição culinária mais ordeira e um atentado ao estômago de uma pessoa de bem.
    Para uma alentejana, arrumar numa só tacada esta argamassa de proteínas, é no mínimo impensável. Não que debaixo do Tejo a contundência seja proibida, mas querido Nuno, tudo tem um limite: o decoro. O Porto, além de burguês e rico, é também vaidoso e não resiste mostrar ao forasteiro o bem que se lhe dá a vida. Ante o ar assombrado da visita em frente à francesinha o portuense lança um risinho orgulhoso e “desculpa lá”, ah, mas isto são só as sobras… Pois. O bom vem depois, estamos só no lanche, atrevendo-se o local até afirmar que não custa nada comê-la, não enche. Um petisco. Enfim.
    A francesinha é a miúda gorda da família a quem os pais dizem que assim é que está bonita – bem criada e rechonchuda – que aprendeu, à base de tanto repetir a lição, que as magricelas não valem um cu e devem ser achincalhadas por anorécticas. É o brutamontes da turma, tonto mas o mais forte, que bate nos que passam com boas notas a Matemática e a Latim. É o uirdo que só arranja amigos se convidar a turma para a piscina da vivenda. Não é má pessoa, mas não é lá muito esperta, coitada.
    Já a açorda alentejana, de tão pobre, tornou-se limpinha e discreta, sem ter que dar nas vistas. Um molho de coentros, dois dentes de alho, azeite da terra e agua. O pão duro, de ontem, porque a vida não está fácil, alimenta a família e os que param no caminho esfomeados. Alguma coisa se arranja, diz o alentejano quando batem à porta os primos do Norte a caminho do hotel caro em Vilamoura, e aperalta a mesa com o que o campo ou a falta de dinheiro dispensam: toucinho da matança anual, figos do quintal e um par de tomates. Olha, uma sopa divinal! E os primos lá se vão embora para a praia dos ricos, dos que se esfolam o ano todo, deliciados, olha que terra tão simpática, afinal até não se come mal. Pena que sejam tão preguiçosos, diz o tio da Rua da Boavista, porque apesar do Alentejo ser fértil, generoso e com o prato na mesa para os que pedem um copo de vinho e azeitonas pretas, não é como eles: os esforçados trabalhadores que sacam o País da miséria.

    A riqueza não é um prato orgiástico e pretensioso. É o ser sem o ter, sem a vaidade do riso matreiro e do carro novo na garagem, sem lembrar gratuitamente e a todas as horas que as sobras de uns são as necessidades dos outros.
    Eu prefiro o gaspacho, Nuno, por muito que te reconforte a Cufra e o camarão surpresa.




    Por Rititi @ 2005/03/17 | 8 comentários »


    e para festa 2

    E PARA A FESTA (2)…

    … deixa lá ver qual o estado dos meus calos.



    Siempre Manolo. Ai.

    Nomeio-te, minha querida, árbitro, jurado e Blogo-Vogue 2005, com capacidade total para insultares as saias, sapatos e unhas mordidas das candidatas. Xanel sempre será Chanel. Pronto.



    Por Rititi @ 2005/03/14 | Sem comentários »


    e para festa


    E PARA A FESTA…

    … deixa lá ver o que é que tenho no armário…

    Simples, discreto, ideal para uma singela cerimonia de entrega de prémios.




    Por Rititi @ 2005/03/14 | 7 comentários »


    estar nomeada e mesmo muito bom e se



    Estar nomeada é mesmo muito bom, e se for para os BLOSCARES 2005, pues mucho mejor.

    Melhor Blogger – Elas

    Carla Hilário Quevedo, por Bomba Inteligente
    Catarina, por 100nada
    Lolita, por Blogame Mucho
    Papoila, por Papoila Procria…
    Rititi, por Rititi
    Sara Pais, por Desassossegada

    Melhor Blogger – Eles

    Eduardo Nogueira Pinto, por What Do You Represent
    Filipe Nunes Vicente, por Mar Salgado
    maradona, por A Causa Foi Modificada
    Rodrigo Moita de Deus, por O Acidental
    TheOldMan, por TheOldMan
    Tiago de Oliveira Cavaco, por Voz Do Deserto

    …e ainda:
    Melhor Blogue (todos os blogues a concurso)
    Prémio do Público (votação a partir de 15 de Março, todos os blogues a concurso)
    Prémio do Júri (todos os blogues a concurso)
    Prémio Revelação (blogues criados em 2004)

    Na ORIGEM DO AMOR.
    Obrigada, Miguel



    Por Rititi @ 2005/03/12 | 6 comentários »


    um ano

    UM ANO




    Por Rititi @ 2005/03/11 | 3 comentários »


    porque uma gaja nem quer ser menos que

    Porque uma gaja nem quer ser menos que as outras


    Your Penis Name is: Big Lebowski





    Perfeito para tanta coisa, ah pois…



    Por Rititi @ 2005/03/09 | 3 comentários »