Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • as grandes cabras da ficcao mrs nordley

    AS GRANDES CABRAS DA FICÇAO:
    MRS NORDLEY, A SONSA COM CARÊNCIAS
    (MOGAMBO)

    Mrs. Nordley (Grace Kelly) é uma senhora, bem passada a ferro, inocente, tão loira e recatada, tão fiel ao marido, tão como uma mulher deve ser. O penteado que não se lhe desmancha, as palavras estudadas, ai, o sonho de qualquer Victor Marswell (Clark Gable) que deseja acabar os dias sentado à lareira com a dama perfeita. Não chateia, não fuma, sorri o necessário. A beleza fria da fêmea que não berra na cama nem envergonha os sogros. Ou não. Claro que não. Basta pôr os pés em África para que à querida Mrs. Nordley se lhe caia a máscara e se mostre como a sonsa mal comida que deseja fugir das noites de sociedade, a entediada esposa do antropólogo apaixonado pelos gorilas da selva.
    Coitada de Mrs. Nordley. Que fazer? Confessar ao marido a sua paixão pelo caçador velho? Fugir, gozar o amor que descobriu? Não, claro que não. Porque Mrs. Nordley, de tão pura e educada, prefere mentir a que pensem mal dela, a que a critiquem, a que lhe manchem a honra. Porque a honra numa senhora é muito importante, mesmo que Mr. Nordley seja o cornudo mais famoso da expedição e o tonto de Marswell faça o ridículo esperando que a virgem lhe redima dos pecados de ontem.
    Entretanto Eloise Kelly (Ava Gardner), a badalhoca, a que se embebeda, fuma e diz palavrões, a que aparece em África vinda de todas as histórias de desamor, a putéfia que todos os homens esperam ter na cama mas não na mesa, aguarda. Também chora, confessa-se, indigna-se, vocifera contra a hipocrisia da beta com falta de um bom par de fodas. Mas espera. Só para ver o que acontece, como se o amor que sente por Victor Marswell já não fosse importante. E quando tem a oportunidade para humilhar a cabra loira, a santinha, a que a insultou, a que lhe atirou à cara os amantes e o mau nome, cala-se. À inveja sobrepõe a dignidade de quem nada tem a esconder. Mais, defende a tão importante honra da amorosa e inocente Mrs. Nordley. Porque é isso que as senhoras fazem. E dessas já há poucas.
    Que uma mulher não se enxovalhe pelo passado, que mantenha a cabeça bem alta, que não a abatam as vozes das puras deste mundo tão falto de sexo e amor, é muito perigoso. As invejas rebentam por todo o lado, os olhares reprovadores não perdoam. Puta e mais que puta, é isso o que Mrs. Nordley vê em Eloise Kelly, sem se dar conta que a única que engana, mente e magoa é ela. Mas de nada serve, porque Mrs. Nordley, tão senhora e tão penteada, volta à miséria da vida sem falhas.
    Prefiro mil vezes uma Ava Gardner descalça e com a vida em cima da mesa, sem vergonha ou mais dores que as que lhe causou a história, à virgem ofendida Grace Kelly, mentirosa, ressentida e com a suficiente falta de vergonha para deixar que o marido sofra por ela o que a educação e as noites de sociedade não lhe permitiram gozar.
    O que é uma mulher? Definitivamente, Ava Gardner. Que o mundo prefira as Graces Kellys com ar de sonsas, isso já é outra coisa. E eu não tenho culpa disso.



    Por Rititi @ 2005/06/13 | 5 comentários »

  • miss caipira says:

    Vi esse filme (a 1ª vez) há séculos…
    é excelente. Ava G, é a eterna cabra ( representa o papel melhor que ninguem). E o papel de "pão sem sal" de Grace K tambem lhe assenta que nem uma luva.

  • soniaq says:

    Bravo, bravo, amei a tua explanação sobre o Mogambo, grande filme, grandes planos, gajas muito boas, o Clark G. é que já estava um bocado apagadote, além de que actuava sempre como um Ret B. ( e tudo o vento levou…), parecia a continuação do mesmo papel…tsts

    Acho que todas gostaríamos ser como a Ava G., do filme e na vida, mas no fundo somos mais umas Grace K. toda a vida, uns pãezinhos sem sal com o veneno escondido na língua. Às vezes é preferível um passáro na mão do que dois a voar.

  • rititi says:

    Sona,
    Garanto-te que prefiro ficar sem nada a ser um paozinho sem sal.
    Miss Caipira, a cabra é a Grace Kelly!

  • Ravasco says:

    Ritinha! Rititi!
    Não te sabia dada à escrita e hoje quando ouvi o teu nome na rádio ao falarem do teu livro fiquei tão feliz que até parecia que o Sporting tinha ganho o campeonato!
    Muitos, muitos, muitos parabéns! Fiquei a roer-me de inveja por não ter tido ainda os "tomates" para fazer o mesmo…
    Espero que esteja tudo bem com vocês e tenho muitas saudades vossas… beijinhos e abraços respectivamente!
    PS: Desculpa a invasão ao teu blog mas já não tenho outros contactos.

  • carmuue says:

    1000 vezes a Ava G!!!!
    mulher que é mulher não se reduz a convenções sociais!!!!!!!

  • Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *

    *

    You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>