Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • o programa das festas fim de semana com

    O PROGRAMA DAS FESTAS

    Fim-de-semana com triple dose de Rititi

    – Hoje, sexta-feira, a Rititi estará na SIC Gaja no sofá da Ana Marques no Elas em Marte, às 18.00horas. Penteadinha, depilada, com a perna cruzada e amorosa. Até sou capaz de ir vestida de cor de rosa e tudo. Ai.

    – Sábado, às 23.00 horas a Rititi conversará com o Francisco José Viegas no Livro Aberto da RTPN um programa “para adultos” que não repete durante o almoço por causa das tosses e das criancinhas lusitanas. Viva o Rosa-Cueca e viva a Rititi, pá, a única mulher capaz de pendurar a bolinha vermelha num programa sobre livros e coisas espertinhas.

    – E mais! Na Grande Reportagem a Rititi responde ao Formulário! Com fotografia e tudo…



    Por Rititi @ 2005/06/24 | 39 comentários »

  • toka_ says:

    y yo sin poder verlo!! me tiro de los pelos,

    tu no que estas depilada

  • maresia says:

    ganda rititi

  • Eu says:

    Ai quimoção!

  • ana says:

    Ah grande Rita!, mas não te vou ver na Sic que a essa hora estou a sair do trabalho, mas no sábado minha rica vou prescindir de ir ao arrail aqui da aldeia para te ver!!! beijos

    já recebeste as crónicas?

  • JNAS says:

    …a coisa promete ! Só falta aparecer na SIC Radical…tipo Sin City em Lisboa !!!

  • mitomana says:

    Hoje é que vou conhecer-te ao vivo e a cores!
    E olha que não está nada esquecido, aquela história da maternidade, mas um dia, se eu te contar perceberás porque ainda não consegui explicar-te.
    Um beijinho de parabéns por tudo! Afinal, a esta hora, já deves ter depilado o buço!!!

  • Cristiana says:

    Por falar em livro aberto, ontem vi o programa em que os convidados eram o Gato Fedorento e falaram em ti no final. Elogiaram o teu blog como sendo o melhor blog feminino.
    E pronto, depois de milhentas vezes que passei aqui, hoje decidi deixar um comentário: espero que tenha sido útil ao ego!

  • Cristiana says:

    ups, esqueci-me de deixar o verdadeiro link para o meu blog:
    http://sapatosvermelhos.blogs.sapo.pt

  • Leila says:

    Perdi… estao 3 homens no sofa da Ana Marques, bolas!

  • rititi says:

    Pronto já está!
    Cinco minutos com o cu espetado num puff cor de laranja é um plano magnífico para um asexta à tarde!
    Beijinhos

  • rititi says:

    OS FEDORENTOS DISSERAM O QUEEEEE?
    Já nao tenho idade para estas surpresas, pá. Ai.
    Beijos a todos

  • Pekala says:

    Para a sic gaja já vou atrasada mas vou tentar ver amanhã!

  • Cristiana says:

    Ah, e o mais gordinho deles (gato fedorento) perguntou se eras tu na capa do teu livro!!! triste, o apresentador respondeu que não…
    Sabado não perco o programa.
    http://sapatosvermelhos.blogs.sapo.pt/

  • JFC says:

    eu vai gravar hoje de noite, leva decote! Pode? Obrigada, desculpo.

  • JFC says:

    eu promete que manda pirilau se leva decote…

  • Squeezy says:

    xau..isso é k vai ser…

  • Carlos Barros says:

    Parabéns! nunca tive muita vontade de saber quem era a Rititi, nem curiosidade… mas como sempre estava a ver o meu amigo Francisco e deparei-me com a Rita e então tive uma enorme surpresa, e gostei de ter sido surpreendido.

  • Filipe Feio says:

    Estive a ver o programa. Homem de metro e oitenta não pode dizer francesinha??? Mas afinal qual é a altura a partir da qual não é suposto utilizar-se esse termo? Verdade que tenho um metro e setenta e seis, mas fiquei preocupado que gajas como tu me tenham ouvido proferir tal monstruosidade. Boa viagem. Filipe

  • Carlos Valente says:

    Estou neste momento a ver o programa na RPTN… Calhou-me no zapping… E não é que em apenas meia dúzia de segundos me fez pousar o telecomando!… Lamento mesmo não ter visto de início… Mas mesmo assim valeu bem a pena… Até dei umas gargalhadas bem altas, para espanto do resto da casa.
    Quanto à Rititi, só posso afirmar que finalmente vejo uma portuguesa alegre, divertida e sem complexos em expressar-se… E muito inteligente pelo que facilmente se pode perceber. Que bom que seria ver mais portuguesas assim… Pelo menos que assim soubessem pensar.
    Vou mesmo comprar o livro e "devorá-lo"… Se bem que nem sequer é o meu género de leitura, mas pelos poucos trechos que foram lidos na televisão, fiquei de tal forma “faminto” de uma leitura alegre, isenta de pudismo e principalmente, escrito por uma mulher… Portuguesa.

    Parabéns.

  • .:Ainud:. says:

    Nao podia deixar que vir ca espreitar… vi a tua entrevista na rtpn e simplesmente AMEI!!!!
    Ganda mulher!

  • Catenaccio says:

    A televisão estava sintonizada no programa do José Francisco Viegas, mas confesso que na altura estava a ler a revista do "Expresso". Aos poucos, a conversa foi-me entrando pelos ouvidos dentro e a curiosidade aumentou, a ponto de quase ter batido palmas no final. Só não assobiei como fizeram aqueles senhores da embaixada, mas a surpresa do diálogo foi cativante.
    Comecei a ouvir atentamente na parte em que a Rititi falava de Espanha e não podia concordar mais com o que foi dito. Os meus Pais viveram sete anos em Madrid quando era estudante universitário e, ainda hoje, faz-me confusão a ideia que os portugueses têm sobre o vizinho espanhol. Pensamos que "eles" são um bocadinho mais ricos e vivem ligeiramente melhor, quando as diferenças no modo de pensar e estilo de vida são abissais. Por essa altura, na minha cabeça a Rititi já estava a ganhar 1-0, mas quando o tema se centrou nos desígnios da nossa vida, antevi a goleada. Já nem falo da descomplexidade de dizer palavrões na televisão e falar tão abertamente de assuntos do nosso quotidiano. Mesmo aí, a inteligência imperou e já o meu cérebro reconhecia verdades soltas que só dão mostras de aparecer em conversas de amigos.
    A forma viva e transparente do teu (posso te tratar por tu?) pensamento fez-me abanar a cabeça vezes sem conta, em sinal de afirmação, principalmente quando chegamos aquela parte sobre a experiência na "Católica". Em pouco mais de 15 minutos, estava completamente rendido e a revista do "Expresso" tinha saltado do sofá há muito. Parece tão fácil, mas ao mesmo tempo tão difícil, ter a cabeça tão arrumada e ideias tão frescas e verdadeiras sobre a nossa realidade. Toda a conversa sobre o cartão de crédito, o automóvel da moda, o querer ser importante e ilustre pela quantidade de cifrões na conta bancária, o objectivo de entrar para o clube dos sérios…enfim, o regozijo reinante do cinzentismo e novo riquismo que se vive. Foi nessa altura que me lembrei do meu curso de gestão, das pessoas que conheci e do percurso que muitos fizeram, incluindo eu próprio. E a verdade é que cada vez mais, aos meus trinta anos, me sinto amordaçado por responsabilidades profissionais e constrangimentos sociais: é prestação da casa (sem vista), é a mensalidade do automóvel, é a exigência de comportamento e forma na actuar no trabalho e na relação com os outros. Felizmente, sobra a liberdade de ideias e sonhos na mais completa individualidade. Triste sociedade esta em que somos valorizados pelo que temos e não pelo que somos ou pensamos, mas tão complicado fugir dessa normalidade e termos a noção de equilíbrio entre o politicamente correcto e os nossos anseios mais íntimos.
    Sim, ouvir a Rititi foi quase como se estivesse sentado num divã de um psicológo, exercício poderoso de introspecção sobre o que nós somos e qual o sentido de tudo isto. E isto é a rotina do dia-a-dia, as obrigações, o ritmo de trabalho, os bens materiais assentes numa base de conforto e afirmação pessoal. Tudo poderia ser mais simples, não estivesse a felicidade camuflada e escondida dentro de nós.
    Parabéns!

  • il postino says:

    Rititi não, Rititona! 🙂 Grande mulher! Os meus Parabéns!

  • Mónica Tátá says:

    Deixo-te os meus aplausos! Parabens é muito bom perceber que ainda há por aí gente que procura ser feliz e diz sem medo que ama e é amada!

  • Sérgio A. Correia says:

    Gostava de convidar todos os comentadores deste excelente blogue, bem como o seu autor, a darem uma espreitadela ao meu modestíssimo blogue:

    http://oimprevisto.blogspot.com

    Obrigado pela vossa visita

  • tuttikerida says:

    Olá Rititi!
    Quem diria que uma bela adormecida acordava agora e iria pretender mudar o espectro de um país ao qual só por casualidade de nascimento pertence.
    Vi tua entrevista no programa do Francisco Viegas e, confesso, desiludiste-me. Perdi o total interesse em lêr teu livro.
    Acontece.
    Já agora fica sabendo que n é preciso uma maquilagem para se ser moderna e que as mulheres em portugal tb vão aos putos.
    Tb somos modernas, interessantes e interventivas. Apenas n vemos necessidade de ser ordinárias e utilizar um vocabulário inadequado, por mto que possa parecer fashion.
    Relativamente às casas com vista sobre a praia, são excelentes. Pena eu n ter nenhuma.
    Beijo
    beijinhos

  • Rita says:

    Oi, Rititi. Finalmente vi uma prestação televisiva!!! E ao contrário de outras pessoas, não foi nas palavras cona e grelo que reparei, mas naquilo que verdadeiramente está por detrás dessa Rititi, palavras que eu guardo também da minha mãe.

    No seguimento do meu primeiro desgosto de amor em que chorei baba e ranho, como qualquer adolescente, a minha mãe chegou-se ao pé de mim, sentou-se a meu lado na cama e disse-me:

    «Filha, vai haver outros namorados e outras paixões. Só não quero que te esqueças de uma coisa. O mais importante na vida de uma mulher é a sua independência financeira. Que é para se poder resolver tudo quando se quer».

    Ontem ouvi-te falar disto e pensei outra vez na minha mãe e na tua. E nas carradas de razão que elas têm. E na importância que estas palavras fizeram para fazerem de mim a pessoa independente que sou hoje. Casada e com um filho.

    Besos.

  • (in)confessada says:

    Estava eu no meio de mais uma sessão de zapping qdo deparei com um cenário a transbordar de livros… parei e fiquei… até ao fim da entrevista e com vontade de saber mais 🙂

    Vou comprar o livro, adicionei este cantinho aos favoritos e já prometi a mim mesma não ficar amuada com a tua opinião acerca das francezinhas 😉

    Parabéns, acima de tudo, pelo orgulho de seres mulher!

    bjo confesso…

  • Eu says:

    Muitos e muitos parabéns! Adorei a entrevista e devo confessar que não fiquei surpreendida!
    Um beijinho enorme!

  • RitaMS says:

    Gaja! O que precisamos é da miúdas como tu. Simplesmente, ADOREI o que vi e ouvi no "Livro-Aberto". Nunca tinha ouvido nem lido nada de ti mas compatibilizei-me à primeira com a pessoa que mostraste ser. Tudo o que falavas, tudo o que dizias eu ria-me e subscrevo o que foi dito. Prometo, comprar dois livros – um para mim, outro para a minha miga Cristina que bem precisa de uma lufada de ar fresco. Bjs. Rita

  • Nuno Furtado says:

    Gostei. Pelo benefício que nos traz cumprirmos em cada um um pouco da Rititi.

  • rititi says:

    Ufff… ena tantra gente!!
    Muito obrigada pelas palavras! Bem… acho que nunca tinha levadfo com tanto elogio seguido.
    Prometo respostas individualizadas assim que tomar um café carregado.
    Beijos
    Rita

  • Filipe says:

    Fiquei agradavelmente surpreendido por te ver e ouvir.
    Só vinha cá de vez em quando e não achava nada de especial mas agora que te ouvi vou voltar com muito mais frequência. Grande mulher!

  • Urso says:

    Acabo de ver a repetição do programa (sim, porque não tenho TV cabo ou casa com vistas), onde nem a leitura sinceramente atabalhoada da "conversa com o grelo", fez perder o brilho e o assombro com que encaraste a entrevista!
    Sou absolutamente fan do FJV e vi que até ele se "rendeu" à tua naturalidade e simpatia!
    A vida é assim, se não for assim não vale a pena vivê-la!

  • Urso says:

    um abraço do Urso

  • zapum says:

    epá, na conheçia o blog, mas vi ontem a repetição do livro aberto e gostei…vou começar a ler, mas entretanto, parabens pela prestação televisiva, só achei.te um pouco encalhada com o decote, hehehe

    z.

  • zé leonel says:

    asneirada há cêntrica, mas mesmo disso a LIBERDADE se livrou e dou-te os parabéns. portugal precisa e dá-se quando o pede e tu DESTE-O. guardo-o para mim.

  • vintequatro says:

    Realmente praticar zapping não é assim tão chato quando encontras programas interessantes.
    Fiqui colada na Rtp2 e agora estou aqui depois de 200kg de paciência para encontrar um username(excelente para saberes o quão pouco original podes ser).
    Adorei a rapidez de raciocínio e a inteligência.
    Vou ler o livro com umas loirinhas numa esplanada algarvia.Perfeita combinação.

  • hobbes78 says:

    Eu a fazer zapping e eis que acontece aquele raro acontecimento «este programa parece valer a pena». Ai como são raras as mulheres assim tão vivas, contam-se pelos dedos. Nem sei como, andei a sair com uma assim há uns tempos atrás, aliás. Tenho de jogar no totoloto 🙂 Anyway, continua assim que concordo com quase tudo o que dizes. «quase»? Sim, que se um homem português é como descreveste, então eu não sou um homem português. Vigo fica a 90 minutos do Porto e pelo menos a noite lá está a 90 anos de distância.

  • Leave a Reply to RitaMS Cancel reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *