Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • querido blo yo de mayor quiero ser

    Querido Bló,

    Yo de mayor quiero ser artista, igualita, chacha, que Conchita Velasco pero sin tener que lanzarme al destape superior en un apartamento de Carabanchel con los hermanos Ozores. Artista de escenario y telón de fondo, con o sin micrófono, vestida de lentejuelas y maquillaje a tutiplén en los ojos, derrochando glamour y saber estar y venga a sudar la gota gorda por mi adorado público, gracias, gracias, queridos, sin vosotros no soy nadie. Artista en general, de teatro, cantante de jazz, acompañante de un mago descuartizador, chica del coro, stipper buenorra enfundada en un tanguita plateado, azafata de torneos de boxeo, payasa, primera bailarina del Royal Ballet de Londres, concursante de Operación Triunfo, figurante, la Jurado (olé, la más grande), modelo anoréxica, chivata de cotilleos, ganadora de un Oscar. Artista con público, y que ese público se mate en aplausos y bises pues ya sabe lo egocéntricas que son las que se dedican la mundo de la farándula: fácilmente se cae en la paranoia y depresión pos-acto si no se es alabada por una masa que en la oscuridad se rompe las manos para que te sientas de puta madre, con el ego a reventar, el guapo subido y viva yo y mis circunstancias.
    Y yo quiero eso: que me adoren, que me lean en el Hola, que me persigan los del tomate, ser el referente de adolescentes acomplejadas y la envidia cochina de las viejas de mi barrio; sueño con el día en que salga en la prensa especializada mi ex-mejor amiga de la catequesis o que aquel novio a quién le puse los cuernos entre en la Granja de los Famosos, o los dos juntos, unidos en el odio y la pasta de la exclusiva. Porque que te quieran los tuyos, esos que están obligados por sangre o contrato a soportarte los pedos y las cenas de navidad ya no me llega. Soy como la actriz porno que siempre quiere más, una insaciable de la adulación pura y dura, del amor ciego del pueblo llano y sin televisión digital. Ay, y que artistona que sería si me dieran la oportunidad.
    Desde este espacio lanzo el reto a los productores y agentes: contrátenme, hombres de Dios, que aquí tienen un filón de gloria y merchandising, la diva total, la que levantaría las recaudaciones de las taquillas y haría del escándalo un modo de vida. Yo sé lo que me digo: tengo madera, soy melodramática, egocéntrica, vanidosa, carente, exigente, un tanto cutre, posesiva y patética. Lo que se dice una artista, vamos.

    (Un canto a Galizia, heeeeei. Cómo coño se dice beso en galego?)



    Por Rititi @ 2005/10/28 | 6 comentários »


    querido blogue os governantes asseados

    Querido Blogue,

    Os governantes asseados, Francisco, legislam com luvas de cirurgião. Há temas que ficam sempre bem nas fotos com os ministros dessa Europa moderna, da que fode com camisinha e fuma charros dermatologicamente testados. A Europa rica onde as putas estão na montra, são eslovacas e com os papeis em dia, actualizadas conforme as regras da OCDE e a esterilização vaginal obrigatória. No mundo além dos Pireneus as pessoas vivem sem cortinados nas janelas, escolhem o ramo de cristianismo que mais convém e estão-se bem cagando como ganha cada um o pão para levar à boca, sempre que seja legal. A legalidade dignifica, não o trabalho e o saldo médio da conta bancária.
    E os nossos governantes, viajados e com MBA pagos lá no mundo dos ricos, pensam que afinal as putas também são pessoas, coitadas, gentinha com tanto direito a contribuir pró PIB como os empreiteiros de Braga, os presidentes dos clubes de futebol da terceira divisão regional e os advogados que ganham o ordenado mínimo. Mas o nosso país, apesar de legislável, tem parâmetros diferentes quando legisla a dignidade. E o putedo nacional não é digno. Não existe. Porque ninguém decente vai às putas. Nem existem as máfias que extorquem as famílias no terceiro mundo, não se investigam os bares de estrada com néons cor de rosa à porta, sobre os dinheiros que enchem as contas resultados das entidades financeiras não há quem queira saber. O que têm em mente os nossos gestores da política local são as meninas do Elefante Branco, mais próximas ao ideal da producção pornográfica, recauchutadas e sempre limpas, em vez das búlgaras que servem copos no interior do país em buracos onde se ejacula por vinte euros e nem o médico entra lá. As drogadas que se deixam cair no Intendente, os travestis do Técnico, as velhas que se vendem no Rossio, as brasileiras com filhos nas terras do Nordeste e sem direito ao passaporte, essas nem sequer são gente, não cabem nas estatísticas da legalidade. Ninguém as vê.
    São o dejecto da vida com pressa, a vergonha das casas sérias mas que tanto jeito dão quando a mulher não quer e o marido não sabe. As nossas putas, abandonadas à má sorte do quotidiano e de uma família que perdeu o norte, esquecidas nas bermas das estradas, enganadas pela promessa do fim da fome, escravizadas, maltratadas, violadas, sem fé, não são legisláveis. Porque nem sequer são mulheres, dignas de pertencer à população activa, quanto mais legisláveis. Pois é, Francisco, trata-se unicamente de uma decisão
    «politicamente respeitável», mas vergonhosa e hipócrita.



    Por Rititi @ 2005/10/25 | 8 comentários »


    asi pues voluntad del pueblo o voluntad

    “Así pues, ¿voluntad del pueblo o voluntad de Dios? Mientras prevalece la voluntad de Dios, la democracia no penetra, ni en términos de exportación (territorial) ni en términos de interiorización (donde quiera que el creyente se encuentre). Y el dilema entre voluntad del pueblo y voluntad de Dios es, y seguirá siendo -por robarle un título a Ortega y Gasset- el tema de nuestro tiempo.”

    Giovanni Sartori, Premio Príncipe de Asturias de Ciencias Sociales

    (Discurso completo)



    Por Rititi @ 2005/10/22 | 7 comentários »


    rititi educa o povao antonio damasio

    RITITI EDUCA O POVÃO

    António Damásio, Prémio Príncipe de Astúrias de Investigación Científica y Técnica 2005

    “Sus estudios han revelado qué áreas cerebrales ejercen una decisiva influencia en la conducta humana, particularmente en los procesos de emoción y elaboración de los sentimientos, así como un mejor entendimiento de las bases cerebrales del lenguaje y la memoria. Sus logros científicos están contribuyendo, asimismo, a la lucha contra enfermedades que, por su gravedad y extensión, tanto preocupan a la Humanidad, como el Parkinson y el Alzheimer”. Acta del Jurado del Premio Príncipe de Asturias de Investigación Científica y Técnica 2005

    No meu país os jornais falam hoje da volta triunfal de D. Cavaco, o novo Sebastião dos descrentes do orçamento, o que não se resigna, o político profissional que come com a boca aberta, a esperança da direita. No meu país os jornais dedicam páginas, colunas intermináveis à banca, editoriais sisudos e concentrados nos capitais branqueados, à caução do Cristiano Ronaldo e ao aborto como dogma de fé que ninguém se atreve a concretizar. No meu país, hoje, os frangos constipados e os furacões que arrasam as férias de vinte portugueses em Cancun preocupam as mentes dos editores e mais uma vez as crianças mortas pela negligência do Estado e dos vizinhos, as greves dos funcionários e o poder local são notícia.
    No meu país onde a queixa é arte e nunca há dinheiro, onde as desgraças sociais e o futebol têm a mesma categoria mediática, no meu país que dignifica e publicita Mourinhos e palhaços que brincam aos soldados, ninguém se lembrou que hoje António Damásio recebe o Prémio Príncipe de Astúrias. Não deve ser importante.



    Por Rititi @ 2005/10/21 | 8 comentários »


    manel popo parabens

    MANEL PÓPÓ

    Parabéns.



    Por Rititi @ 2005/10/19 | 2 comentários »


    momento gina despedir empregada sou uma

    MOMENTO GINA: DESPEDIR A EMPREGADA

    Sou uma cobarde asquerosa. Uma merdosa asustada pelas consequências dos meus actos, senão indignos, pelo menos pouco aceitáveis socialmente, sobretudo quando toca os menos favorecidos e, mais concretamente, a minha mulher-a-horas. A justiça dos sábios e as leis do mercado justificarão a minha decisão final, mas o povo e a consciência popular recriminar-me-ão para sempre, até ao fim dos tempos. Não há perdão ou simpatia para quem despede uma empregada sul-americana, bonita e às portas do casamento.
    A gaja limpa mal, passa pior, está-se a cagar olimpicamente para as baratas que me visitam na sala, ignora que a roupa não se pendura sozinha, não me devolve o troco, as janelas têm merda que metem dó, é incapaz de mexer um móvel. Não posso receber visitas, os meus vestidos encolhem, os pratos e os copos desaparecem a um ritmo assustador. E com o intuito de atormentar a minha existência convidou-me para o seu casamento, ao fim de uma tarde de Novembro num bairro de terceira categoria, rodeada de payo-ponies cantores, pelo civil e sem vestido de noiva. Serei a madrinha? Lo que me faltava, tía. Te cagas. Cá por mim que se casa para me fazer chantagem emocial-financeira e extorquir ainda mais as minhas fraquíssimas economias, devastadas pelas drogas e a última colecção da Custo. Vaca.
    E eu não sou capaz. Não me atrevo. Como se despede uma empregada? Com um aperto de mão depois da boda, às portas do tribunal? Espero pelo arrojar do arroz do Continente? Ofereço-lho um daqueles vasos horrendos que tenho guardados em casa da minha mãe desde que me casei e depois mando-a para o desemprego e a ilegalidade? E se estiver grávida? Terá Deus compaixão de mim? Como poderei dormir sabendo que nunca mais me roubará as camisolas velhas e o vinho de pacote? Quem será a alma inocente que lhe oferecerá aquecedores estragados, cortinas que já não usa, sapatos com a sola gasta por simples filantropia?
    Estou fodida.



    Por Rititi @ 2005/10/19 | 16 comentários »


    bigode nao artur jorge

    BIGODE NÃO

    Artur Jorge



    Por Rititi @ 2005/10/18 | 8 comentários »


    coisas de gaja com quantidade de clubes

    COISAS DE GAJA

    Com a quantidade de clubes da bola que existem em Espanha, com o honesto que é ser, sei lá, do Getafe ou do Betis, e porque não, mismamente do Real Madrid, digo, eu que acho que cada vez que um gajo cai é penalty, eu que sou super a favor que os jogadores corram sem camisola ou boxers por esses relvados de deus durante os noventa minutos do jogo, enfim, porque estúpida razão tive, logo eu, que fazer-me adepta de cachecol, uiiiiii… e cagonlaleche que no aciertas ni una, do Atlético de Madrid?
    Tristeza de sábado, con lo agustito que estaria se só me interessasse pela ginástica rítmica, que sé yo, que só passa na teve cada quatro anos, lá para a altura dos Jogos Olímpicos e não causa úlceras.
    Vá lá, pelo menos o Benfica não me deixou ficar mal. E até passou o resumo na TVE e tudo. Ainda há clubes decentes.



    Por Rititi @ 2005/10/16 | 9 comentários »


    terror no matrimonio mr

    TERROR NO MATRIMÓNIO

    Mr. Pinheiro pretende deixar crescer o bigode.



    Por Rititi @ 2005/10/16 | 12 comentários »


    ser gaja hoje logo primeiro ontem tarde

    Ser gaja

    hoje; logo; primeiro; ontem; tarde; outrora; amanhã; cedo; dantes; depois; ainda; antigamente; antes; doravante; nunca; então; ora; jamais; agora; sempre; já; enfim; aqui; antes; dentro; ali; adiante; fora; acolá; atrás; além; lá; detrás; aquém; cá; acima; onde; perto; aí; abaixo; aonde; longe; debaixo; algures; defronte; nenhures; bem; mal; melhor; pior; assim; aliás; depressa; devagar; como; debalde; sobremodo; sobretudo; sobremaneira; quase; principalmente; muito; pouco; mais; menos; demasiado; quanto; quão; tanto; tão; assaz; que (equivale a quão); tudo; nada; todo; bastante; quase; sim; certamente; realmente; decerto; efectivamente; não; nem; nunca; jamais; depois; primeiramente; ultimamente.



    Por Rititi @ 2005/10/14 | 10 comentários »