Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • querido blogue com o ovario pedir

    Querido Blogue,

    Com o ovário a pedir fertilização, assim me encontro. Sem qualquer pressão social e telefonemas da mãe, ânsias de criar uma família de foto perfeita, ou o que giros que ficávamos todos metidos numa carrinha com devede e bonecos no banco traseiro, que é o que realmente mais me fode. E para quê ter filhos então, se me embebedo sem mais horários que os que me impõem as obrigações laborais, se não se me esgota o amor nas tardes de sofá e ressaca, se vivo feliz no egoísmo de um ordenado que desgasto em sapatos e discos da Cecilia Bartolli? Porque sim, que é a melhor razão para ter filhos, casar, dar a volta ao mundo e foder em cima da máquina de lavar roupa. Porque me apetece, sem sonhos sobre as tranças da menina loira, as férias no Algarve com mais casais amigos, a comunhão e os folhos e a educação musical no conservatório de província.
    Quero ter um filho, mas sem medições da temperatura das paredes vaginais porque aquele que dorme comigo não deve ser tratado como o capataz de um punhado de espermatozóides nervosinhos por chegar ao destino. Quero ter um filho, mas não é hoje, talvez amanhã, quem sabe de adoptado e tailandês ou de acolhida três vezes por semana. Quero ter um filho, mas se não tiver leite na mama compro-a na farmácia e se o cabrão não me deixar dormir porque quer colo encomendo-o para o quarto que estiver mais longe até que fique rouco e me deixe amar o meu homem como Deus manda. Quero ter um filho para nada e sem a suburbana esperança que um zigoto com chupeta me resolva a vida e a monotonia de ser feliz a dois. Também não me assusta morrer sozinha, sem netos, noras e uma herança que corroa a família. Porque, aqui entre nós, não preciso de ser mãe, de sentir o milagre da vida no útero, vibrar de amor com a dores de parto ou transmitir os meus genes que, digamos de passagem, não assim tão bons. E mais, duvido que tenha incorporada no meu código genético o kit da maternidade. Afinal, acho que eu quero é ser pai, o que já não é mau.



    Por Rititi @ 2006/01/26 | 23 comentários »

  • clô says:

    fonix, eu acho que tambem quero ser pai, mas nunca tinha pensado nisso dessa maneira. afinal, foi preciso ler este teu post para que o conceito se me materializasse na cabeca. merci bien. coisas para discutir em fevereiro.

  • papousse says:

    Rititi, palpita-me que te vais embarrigar em 2006.
    2006 é um numero bonito, redondo como um bébucas a rir de chucha. Foda-se,a vida tem quartos de hora bonitos e eu sou um piegas do pior.

    No tocante à minha futura descendência, tenho a declarar que desamo profundamente preservativos e outras sacanices contraceptivas e que cada vez mais sinto o meu relógio biológico (swatch de 40 euros)a chamar pelo pai que serei nos próximos 3 anitos. Assim, deus nosso senhor doutor mo permita.
    Ele que se atreva.

  • sónia says:

    É isso mesmo: se servir para progenitor só para pai, dores de parto, inchaço e essas coisas de grávida não são para mim, lamento…

  • cris says:

    Ena, aqui fica o meu apreço peço Manifesto-anti-maternidade-fatal do teu post.
    Mais: poucas coisas me eriçam tanto quanto ouvir repetir q 1 mulher nunca se realiza sem o milagre da maternidade. Mas esta gente drunfa-se ou leva vidinhas assim tão medíocres?

    Ainda bem q nós, da bela colheita de 1975, temos 1 coisa chamada cérebro.
    🙂

  • usiodady says:

    quanto a dores de parto, desiludam-se, é um mito q faz parte do passado.

    Rititi, se quiseres trocamos uma semanita, já tirava umas férias de paternidade!

    Mas é bom, muito bom… recomendo, ainda assim, que 1º há que fazer tudo o que nos der na real gana. Eu fiz… e a grande diferença agora é q em vez de aproveitar a 100% todos as noites de desvario, passei a aproveitar a 200%… 1 vez por mês

  • Isabel says:

    ADOREI!!!!!!!
    é isso mesmo rititi… eu estou igualzinha a ti…em vez de filhos tenho amigas e noitadas e muitos copos de vinho…em vez de marido tenho namorados e DATES divertidos a querer surpreender! resultado: ando a ver os anos a passar e eu sem a mínima pachorra para o filme familiar, domongueiro, depressivo!
    e quando chegar a hora, acho que também perfiro ser pai…
    beijinhos

  • Objectivo says:

    Eu sinto uma enorme vontade de ser papá… mas compreendo a sua posição… menos aquela de não querer na máquina de lavar roupa! Já experimentou?

  • AS says:

    Eu também.

  • AS says:

    Eu também.

  • Sr. Zé says:

    Tá baim, abelha. Ou em americano: all right, bee.

  • Lord of Erewhon says:

    Ya, se ouvíssemos mais Mozart o mundo seria muito diferente… estaríamos todos no séc. XVIII.. o que nem seria mau… o pior era a sífilis e o cheiro a cu mal lavado! JAJAJA!!!
    (O buraco dos comments aí em cima está tapado – salvo seja).

  • bonifaceo says:

    Eu não sonho nada em ser pai, não tenho muito jeito, nem paciência para os putos. E depois não sei porquê mas também tenho medo da educação, do puto ser levado do diabo e sei lá mais o quê… Quer dizer, mas eu sou um jovem com 24 anos daqui a um mês… filhos lá é coisa para se pensar com esta idade!

  • Diva says:

    Minha Querida,
    onde devo assinar?!?!
    Não poderia estar mais a favor…

  • LM says:

    Onde é que é para assinar?
    Hã??

  • vieira do mar says:

    Minha querida, és brilhante, nessa tua desarmante contradição (hehehehe). E onde é que é a festança, afinal?

  • 100nada says:

    Tanta rapariga moderna e anti-baby a querer ser 'pai' em vez de 'mãe'! :DDD Ideiazinha machista, não? :DDDD As raparigas mesmo modernas não dividem os papéis com os pais das crianças da mesma forma que as avós delas! (a menos que sejam mamãs solteiras e nesse caso fazem os dois lados).

    Estou como a Vieira, a coisa deve estar para breve. Beijinhos Rititi, acabei de 'te ler' na Atlantico, muito bem! 🙂

  • Diva says:

    LM,
    tem toda a razão!, não era para asssinar nada, no entanto, não me importava de imprimir o meu apoio, concreto, a este post em particular!

  • Carlos de Matos says:

    … e aqueles safardanas que têm a mania que assistir ao parto do filho(a) é a coisa "mais linda do mundo!"
    … deve dar cá um gozo!
    … a desgraçada da mulher aos gritos!
    … sangue por tudo quanto é lado!
    … a criancinha toda borrada!
    … e ainda a levar porrada por cima!
    … cordões umbilicais que devem prometer uma aversão do carago ao fumeiro!
    … vai lá vai!
    … PORRA!

    PS
    tenho uma filhota linda, agora com 28 anos!
    beijocas

  • ME says:

    querida rititi
    cada vez que a minha querida mãe, irmãs, tias e amigas me vierem com a conversa do tic-tac, do relógio biológico e da realização feminina, em vez que de as mandar àquela parte, passarei a mandar a ESTA parte! OK?

  • joaozinho says:

    Eu estou ao contrario. O q eu queria mesmo era ser mãe. Com a minha unica responsabilidade a ser levar e buscar os miudos e ter a comida na mesa a horas decentes. O resto do tempo seria passado em pijama, à janela, a discutir o penalty do fim-de-semana com as outras "mães"… Nao ter q trabalhar, ter uma mulher a ganhar dinheiro pra eu gastar em televisoes com ecra gigante, sistemas de som, computadores, jogos… ter todo o tempo do mundo para ler, ver tv, jogar, ócio ócio e mais ócio… passar os dias com os amigos para ver a bola, beber cervejas, fumar petardos …

  • Mae Frenética says:

    Com a visão realista que tem da maternidade, acho que está mais do que preparada para ser mãe.
    Só aquela de deixar a criança a chorar no quarto mais longíquo é que não está com nada… :))

  • Pecola says:

    Post genial. 🙂

  • Duarte Lopes says:

    Ah Rita, cada vez entendo menos as mulheres. "Quem desdenha quer comprar". Será aplicável esse provérvio no teu post? Se for, acho que vais ter pocas hipóteses. Eu sou pai.
    PS: não entendi o meu impulso para comentar um post da rititi, mas tenho cá comigo que, daqui as uns aninhos, a Rita vai delirar, de gozo, ao reler o que escreve agora.

  • Leave a Reply to clô Cancel reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *