Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • este mes coluna minha claro trata de

    Este mês, a coluna (a minha, claro) trata de homens. Mais concretamente sobre os que valem a pena. Os de verdade. De que estavam à espera, com uma coluna chamada Mulheres à solta?



    Por Rititi @ 2006/04/27 | Sem comentários »


    querido blogue esto es llegar y besar

    Querido Blogue,

    Esto es llegar y besar el santo. Salta-se a fronteira do Caia e as notícias nacionais arrebatam-me os tímpanos e a consciência cívica, por não falar do estado em que se encontram os meus ovários depois de saber que, por exemplo, o hospital de Amarante vai fechar. Nem durmo dos nervos. Porque os problemas que valem uma manchete no meu país são super sérios. Muito. Eu nem sei como os meus leitores pátrios sobrevivem sabendo, por não ir mais longe, que o Grande Palhaço, aka Alberto João Jardim, pretende alterar a Constituição porque Portugal vive num «rotativismo monótono» desde 1976. Nem mais. Imagino as úlceras intelectuais dos meus habituais perante tanta caganeira verbal patrocinada pelo Orçamento do Estado.
    Ou que o Santuário de Fátima, afinal, pode ser visitado por todos os fieis do universo interplanetário, independente do credo ou tamanho do terço. Não há Deus em Fátima, só crentes devotos da vela e do buen rollo. Eu, sinceramente, estou muito mais descansada desde que ouvi a reportagem de vinte minutos na Antena 1. Repetida cada meia hora, para o hipotético caso de ser atacada por um vírus cabrão da amnésia. Se eu fosse, sei lá, baptista confessa já lá estava na Cova da Iria, com os meus amigos Rafta e Kipta, donos do restaurante hindu Nova Deli, numa orgia ecuménica que faria inveja a qualquer um. Ah pois.

    A filha da putice, com perdão, é que a mim, sinceramente, nunca me entusiasmaram muito os protestantes. Com todos os respeitos para os evangélicos que potencialmente podem ler estas linhas, aqui me sincero: não posso suportar gajos que tratam Deus por tu. Questão de educação, imagino, e de sentido de ridículo. Deus não é um militante do Bloco. Nem um cliente de um bar a quem dar palmadas nas costas quando perde o Benfica. Tenhamos juízo, porra. Para isso prefiro os judeus, sempre acagaçados com a ideia de levar com a espada de um anjo vingativo nos cornos. Andam todos na linha. Sem confianças. E já que me apanham sincera, tenho a dizer que também me fode o juízo aquela mania dos protestantes de andar sempre com a puta da guitarra acústica atrás: não há pachorra para mais uma versão dos Beatles nas horas de culto. Te amo Jesus com música do Yesterday é mau demais até para uma fanzoca de Boys 2 Men como eu. E que o padre se chame pastor acho, desculpem-me a fraqueza mas já acabo, piroso. Só lhes falta o sotaque de São Paulo para transformar os meus preconceitos em programas de televendas.
    Com todo o respeito, repito, afirmo estas minhas reflexões sobre o ecumenismo antes de ir para a cama e com uma santola no estômago. Porque eu de iconoclasta tenho pouco. Só acho que para nacional-porreirismo já está a estupidez do politicamente correcto dos cafés, táxis e blogues do nosso Portugal, sempre preocupados em ficar a bem com todos e super-mega-hiper sensíveis às ondas místicas dos outros. Tenhamos a festa em paz e cada Deus no seu sitio.



    Por Rititi @ 2006/04/26 | 2 comentários »


    papoila empresaria quando o ginasio

    PAPOILA EMPRESARIA

    Quando o ginásio fizer efeito (lá para 2045 se os vómitos e a corporación dermostática servirem para alguma coisa), volto a vestir biquini. E os da Papoila, mulher que depois de parir se armou em ciberempresária. Esto sí que son huevos!!!!

    Já encomendei o meu modelo chica-bonde consumidora de psicotrópicos ilegais, mas claro, era bom que as minhas mamas (tamanho 42, para que mentir) combinassem com o meu cu 38. Ser gaja boa é fodido. Nem sabem quanto sofre um mito erótico.
    Biquinis ao Sol: para magras, coxas, mamalhudas, travestis peludos, sexesimboles mentais e gente que gosta de se ver ao espelho!



    Por Rititi @ 2006/04/25 | 4 comentários »


    o que nos safa e que somos uns gajos


    O que nos safa é que somos uns gajos porreiros.

    (mais fotografias impagáveis aqui)



    Por Rititi @ 2006/04/25 | 2 comentários »


    aviso navegacao com motivo das

    AVISO À NAVEGAÇÃO

    Com motivo das comemorações do aniversário* de Mr. Pinheiro (já lhe podem ir telefonando para lhe dar os parabéns), declara-se que o jovem casal Pinheiro lá vai (outra vez) pela autorrute do Alentejo a caminho de Lisboa durante uma semana. Preparem-se os amigos para encontros nos lugares de ócio habituais, a saber: Bicaense, Adamastor, a Camponesa, Mahjong, Lounge e até o insuportável Lux, onde adivinho acabarão os meus ossos bezanos mais de uma noite para mal dos meus pecados e da minha economia familiar.
    Em consequência, o blogue rosa-cueca estará atento às grandes preocupações do nosso pequeno mas irrequieto Portugal, que por força da falta de crescimento económico e de uma vida sexual minimamente interessante, lá se vai entretendo com assuntos de grande importância para o desenvolvimento mundial como as razões que levaram JPP a escrever sobre os comentadores anónimos, a vitória do FêquêPê (parabéns aos meus dois hooligans favoritos, Nuno e Francisco), a OPA que nunca chega sobre a PT, a inesperada pena nacional por aquele puto dos Morangos com Açucar e outras tantas notícias de terceira categoria que o meu País precisa para se sentir grande, importante, de primeira fila. Só não sei se tenho internet em casa.

    * Mr. Pinheiro passou mais um ano a acordar ao meu lado, abraçadinho e quente nas noites frias de Madrid. Ainda não me acredito que este Homem de Verdade, absoluto e definitivo, me tenha escolhido como companheira de caminho. São assim os mistérios do amor, da vida e do carinho. Te adoro, mi vida.



    Por Rititi @ 2006/04/24 | 2 comentários »


    rititi educa o povao dia do livro

    RITITI EDUCA O POVÃO: Dia do Livro

    Gerardo Diego* – AYER SOÑABA

    Ayer soñaba.
    Tú eras un árbol manso
    - isla morada, abanico de brisa -
    entre la siesta densa.
    Y yo me adormecía.

    Después yo era un arroyo
    Y arqueaba mi lomo de agua limpia,
    como un gato mimado,
    para rozarte al paso.

    * O meu poeta favorito da Geração de 27.



    Por Rititi @ 2006/04/21 | 6 comentários »


    momento gina ha sempre alguem pior que

    MOMENTO GINA: HÁ SEMPRE ALGUÉM PIOR QUE NÓS

    Quiero a Laura pero esperaré hasta el matrimonio, ou as tristes consequências do excesso de ar puro nos neurónios da juventude. Ou porque os homens nunca deveriam usar pulôveres dessa cor. Ou porque o celibato nunca fez bem a ninguém.




    Iniciativa da Asociación Nuevo Renacer para a MTV. (Olha, nem de propósito!)



    Por Rititi @ 2006/04/20 | 13 comentários »


    ora e exactamente isso o que diz o meu

    Ora é exactamente isso o que diz o meu marido

    “Há aqui na rititi qualquer coisa do expressionismo alemão dos anos 20; a realidade é tão ligeira que até a arte parece mais grave. Deve ser impossível ter razão em qualquer debate com a rititi, porque não é de razão que aqui se trata; mas sim dos tais impulsos, digamos, elementares.”
    (Mendo Henriques, pensando sobre o blogue rosa-cueca.)



    Por Rititi @ 2006/04/19 | 1 Comentário »


    querido blo estoy paralizada

    Querido Bló,


    Estoy paralizada, mentalmente, claro, no me imaginen ustedes tumbada en la hamaca de la pereza – por Dios! – que una no deja de ser pasible de despido colectivo a bote pronto. No. Mi parálisis (mental) se debe a los tremendos sucesos que han dejado a nuestra España querida de boca abierta y sin saber si debe leer el Hola o El País para enterarse de los entresijos escabrosos del Marbella Gate, esa orgía
    de implantes de silicona y especulación inmobiliaria, que mete sinvergonzonería, recalificación de terrenos e Isabel Pantoja en el mismo saco. Como un capítulo de los Sopranos pero en hortera, vamos. Así me encuentro, como si me hubieran inyectado botox en el lado izquierdo del cerebro. Paralizada.

    Porque no sé que me acojona más, si el cadáver de ese oso polar decorando el salón comedor del señor Roca, el rasgar de la camisa de los ahora inmaculados señores políticos que han estado chupando del bote y de los impuestos de las promociones a tutiplén en zonas protegidas, la bolsa de la basura con 300.000 Euros (que se dice pronto) en la casa de Isabel García Marcos o las tetas hasta el sobaco de Marisol Yagüe, ser extraño que bien podría ser alcaldesa (que lo era) o líder de una cuadrilla de gánsteres en playeras bailando Bisbal en el chiringo de moda entre los constructores de la zona. Por eso he tardado tanto, queridos tres lectores españoles, porque me lo cuentan y no me lo creo. Y mira que estoy acostumbrada a la necrofilia televisiva, como el bollo-culebrón de Encarna o la saga-rosa de la familia Larrañaga.

    Pero Marbella, con su pasarse por el forro de los cojones la ley, la decencia, el buen gusto y la vergüenza ajena ha desbancado a cualquier Mario Conde o, porque no, la foto de Roldán en calzoncillos de corazones en Laos. Y es que estas cosas solo pueden suceder en un microclima muy específico, mayormente bajando de Ciudad Real a la izquierda y caminito de una costa hiper-poblada por guiris soñando playa y campos de gol que dejan sin agua a millares de pueblos y gobernada por una pandilla de pendencieros que entienden la democracia a golpe de ladrillo y relojes de oro. Con que brille es bueno, y así se entiende que España haya aplaudido las gracias a un mafioso como Jesús Gil, comprado el Lecturas para hurgar en la cama de Julián Muñoz y dado la espalda a un espectáculo denigrante para cualquier país que se quiera democrático. Corrupción hay en todo lado, me dice usted, y con razón, salte la frontera y verá la ordinariez en la vida política de mi Portugal, que elige alcaldesa a la mayor choriza de la historia. Vale. Pero en Marbella se han pasado siete pueblos. Una ciudad edificada sin más propósito que enriquecer a un grupo de analfabetos que con la extorsión, el chantaje y el blanqueo de capitales venidos de prostitución, drogas o venta de armas financiaban ganaderías, helipuertos, obras de arte en el baño, caras alicatadas, chaletes a lo falcon crest y un mal gusto que hasta a las chonis de Fuenlabrada les parecería demasiado. Hasta para el cutrerío hay que encontrar un límite, cojones! Algún día habría que castigar la codicia.

    Pues eso, que paralizada estoy. Pero no se preocupen, que algo me dice que el culebrón no acaba aquí. Marbella Vice tiene todavía mucho que ofrecer. Aunque sea para Salsa Rosa.

    (para os leitores portugueses, todos os detalhes aqui)



    Por Rititi @ 2006/04/18 | 3 comentários »


    coisas de blogues porque

    COISAS DE BLOGUES
    (porque desgraçadamente a vida não é só monte no Alentejo, borrego assado e colinho da mamã)

    - A Sofia estreia temporada! Ora assim é que é! Viva o Controversa Maresia, arriba esses postes bons (mas de verdade, daqueles que me fazem sentir inveja ranhosa) e olaré essa peazo de tía buena que escreve os mais bonitos textos sobre crianças (as dela, claro).

    - E eu sabia que o Paulo Pinto Mascarenhas não era homem para se ir embora à má fila. Sem sitemeters mola más, diz ele e eu acho que sim! Adoro o nome do blogue: ABC do Paulo Pinto Mascarenhas. Pois sim!

    - Pois é, querido Nuno, porque tu lo vales. Y mucho! (Olha o Andrew nunca mais disse nada das chaves. Que faço??)

    - Dia 21 de Abril, no Palácio Galveias, a Miss Pearls modera e o Francisco José Viegas, a Catarina Campos, o João Villalobos, o Rui Branco e a Ana Cláudia Vicente debatem no Dia Internacional do Livro sobre o pretexto Weblogs: o autor/editor. (mais informação aqui).
    E eu em Madrid…. Perco sempre as cenas giras, porra!!!



    Por Rititi @ 2006/04/18 | 1 Comentário »