Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • querido blogue esto es llegar y besar

    Querido Blogue,

    Esto es llegar y besar el santo. Salta-se a fronteira do Caia e as notícias nacionais arrebatam-me os tímpanos e a consciência cívica, por não falar do estado em que se encontram os meus ovários depois de saber que, por exemplo, o hospital de Amarante vai fechar. Nem durmo dos nervos. Porque os problemas que valem uma manchete no meu país são super sérios. Muito. Eu nem sei como os meus leitores pátrios sobrevivem sabendo, por não ir mais longe, que o Grande Palhaço, aka Alberto João Jardim, pretende alterar a Constituição porque Portugal vive num «rotativismo monótono» desde 1976. Nem mais. Imagino as úlceras intelectuais dos meus habituais perante tanta caganeira verbal patrocinada pelo Orçamento do Estado.
    Ou que o Santuário de Fátima, afinal, pode ser visitado por todos os fieis do universo interplanetário, independente do credo ou tamanho do terço. Não há Deus em Fátima, só crentes devotos da vela e do buen rollo. Eu, sinceramente, estou muito mais descansada desde que ouvi a reportagem de vinte minutos na Antena 1. Repetida cada meia hora, para o hipotético caso de ser atacada por um vírus cabrão da amnésia. Se eu fosse, sei lá, baptista confessa já lá estava na Cova da Iria, com os meus amigos Rafta e Kipta, donos do restaurante hindu Nova Deli, numa orgia ecuménica que faria inveja a qualquer um. Ah pois.

    A filha da putice, com perdão, é que a mim, sinceramente, nunca me entusiasmaram muito os protestantes. Com todos os respeitos para os evangélicos que potencialmente podem ler estas linhas, aqui me sincero: não posso suportar gajos que tratam Deus por tu. Questão de educação, imagino, e de sentido de ridículo. Deus não é um militante do Bloco. Nem um cliente de um bar a quem dar palmadas nas costas quando perde o Benfica. Tenhamos juízo, porra. Para isso prefiro os judeus, sempre acagaçados com a ideia de levar com a espada de um anjo vingativo nos cornos. Andam todos na linha. Sem confianças. E já que me apanham sincera, tenho a dizer que também me fode o juízo aquela mania dos protestantes de andar sempre com a puta da guitarra acústica atrás: não há pachorra para mais uma versão dos Beatles nas horas de culto. Te amo Jesus com música do Yesterday é mau demais até para uma fanzoca de Boys 2 Men como eu. E que o padre se chame pastor acho, desculpem-me a fraqueza mas já acabo, piroso. Só lhes falta o sotaque de São Paulo para transformar os meus preconceitos em programas de televendas.
    Com todo o respeito, repito, afirmo estas minhas reflexões sobre o ecumenismo antes de ir para a cama e com uma santola no estômago. Porque eu de iconoclasta tenho pouco. Só acho que para nacional-porreirismo já está a estupidez do politicamente correcto dos cafés, táxis e blogues do nosso Portugal, sempre preocupados em ficar a bem com todos e super-mega-hiper sensíveis às ondas místicas dos outros. Tenhamos a festa em paz e cada Deus no seu sitio.



    Por Rititi @ 2006/04/26 | 2 comentários »

  • definitivo says:

    Foda-se!!!!! tu hoje estás má!…..
    Eu nem digo mais nada!….
    Amen.

    PS: uma gaja com razão… é fodido.

  • laddy C says:

    Oi…
    Tá dito…lol
    jinhos

  • Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *