Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • com camiao das mudancas porta

    COM A CAMIÃO DAS MUDANÇAS À PORTA

    …aqui não postes para ninguém (ooooooohhhh, que pena). Vão mazé lendo a Atlântico, que já está nas bancas.
    Na secção «Mulheres à Solta» este mês debato-me sobre a existência, ou não, da mulher virtuosa. E o que esperam os gajos da virtude do grelo. Uma dona de casa? Uma fanática da cama? Numa das bodas espinhosas deste ano o Padre Benjamim, capelão e baixinho, falava da importância de manter a boca calada. Mulher vituosa é mulher silenciosa. De nós deseja-se cautela, diligência, resignação, paciência, sossego e muitos filhos. Deles, nada. Nem uma palavra. Ora aí está uma conceito curioso do matrimónio.

    Por outro lado, se querem saber mais sobre a guerra dos meios (livros contra blogues, o desafio final) dêm um saltinho à Casa Fernando Pessoa e ouçam
    Pedro Mexia, Eduardo Prado Coelho e Fernanda Câncio.



    Por Rititi @ 2006/06/29 | 3 comentários »


    semana de mudancas adeus santa ana

    SEMANA DE MUDANÇAS
    (adeus, Santa Ana, adeus)

    O meu bairro é multi-task…*

    O meu bairro é multi-task total, super útil para ter uma existência vida feliz, plena e ultra-tesa, porque esta mania que o jovem casal Pinheiro tem de povoar sempre o centro das grandes urbes é muito bonita mas cara como o caraças. Ele é desayunos, cañas, tabaco marroquino, cozido à madrilena, sidras e barbadillos, a melhor tortilla de patatas do mundo, disco naites, uisques com jazz e um sem fim de tentações para esta carteira sempre às moscas, mas que não é capaz de ficar sossegada em casa a ver um programa sobre bichinhos na têvê. Porque eu sou uma fraca de espírito, uma vendida à boa vida e à arte de bem perder o tempo em territórios propícios ao pecado. Eu adorava ser uma super devota dos momentos intimamente domésticos, do género de passar as minhas noites de sábado a completar um puzzle de cem mil peças com o retrato da Cibeles iluminada. Ou começar a aprender inglês por fascículos, com devede, professor de apoio e a garantia da planeta agostini que arranjarei um emprego numa multinacional americana.
    Mas não, eu desisti logo desta luta interna e entreguei-me de corpo e alma à descoberta do meu bairro, dos simpáticos locais e dos seus ancestrais hábitos, porque eu tenho uma costela de socióloga e a curiosidade pelas pessoas mata-me. O meu amor diz-me que isso é cuscuvilhice, que o que eu mais gosto é saber da vida dos outros para depois falar mal nas costas. Mentiroso; eu não faço isso com quem é meu amigo de verdade verdadinha, com os outros nem por isso. Contudo, dos habitantes do antigamente, dos tipicamente espanhóis e chulapas, desses já há poucos, e se existem só devem sair à noite para encher os bares e vomitar à porta do meu prédio. Pacos e Pepes nem vê-los, que a mercearia tradicional foi substituída por lojas de conveniências chinesas, as tascas por kebabs turcos e os supermercados são todos argentinos. Sul-americanos a servir copos, romenas a limpar escadas, nigerianos que vendem gravações ranhosas nos passeios e muitos turistas, dos que almoçam paelha às dez da manhã e passeiam pela Gran Via às três da tarde em Agosto. Até a vizinhança é estrangeira; o da porta do lado é um bife, a da frente sueca e a multi-orgásmica do primeiro andar ainda não sabemos, que no meio de tanto gemido estereofónico ainda não se lhe ouviu língua cristã.
    Mas eu gosto de viver no meu bairro, trocar ideias de cinema com o chinoca que me vende tabaco, jantar no indiano da esquina e passear de mão dada com Mr. Pinheiro, o meu amor e a razão deste meu exílio em terras espanholas. Quando aparecerem por cá, telefonem que a gente vai beber um copo.
    (*in O Livro da Rititi)



    Por Rititi @ 2006/06/28 | 6 comentários »


    la solea del perdedo aaaaaaay ayyyyyyyy

    LA SOLEÁ DEL PERDEDÓ

    Aaaaaaay, ayyyyyyyy,
    que peniiiiiita mah grande
    ele
    que nosan ganaaaaaaaaaooooo
    noooooosanaiaanaian
    ole maehtro
    loh gabaaaaaacho, ay
    y er mundiáaaaa, aaaaay,
    saiiiiiiiio, saaaaaaaíooooo,
    ay, pal carajo
    Porque virgensita, mía, que pena
    queeeeee aaaaaaay peniiiita pena
    queeeeee la Fransia sea tan buena
    ele, dale maehtro,
    y ahoooooora, aaaaaaaaahoraaaa
    dime, diiiiiime, casemo
    con tanta puta bandera.
    ele
    Sacabó.



    Por Rititi @ 2006/06/28 | 8 comentários »


    semana de mudancas e de postes muito

    SEMANA DE MUDANÇAS (e de postes muito curtinhos)

    Que em dois anos e meio me tenham crescido nas estantes recibos, cartões de visita mutilados pelo destino do filtro, livros de outros e prendas de natal da empresa, parece-me bem. Também é normal o excesso de casacos de malha, meias sem par e malas no fundo do armário. Ou o nascimento espontâneo de carregadores de telemóveis nokia detrás do sofá. Sem esquecer os especiais de férias, moda, teatro, bodas reais e motor para ler mais tarde. Na boa. Acontece em qualquer casa de passagem, minúsculos habitáculos onde nem sequer se penduram os quadros porque a gente sabe que daqui a nada vai sair, é só até encontrar uma coisa melhor, maior, com corredor, varanda, forno e espaço para desanuviar as diferenças conjugais sobre os estilos maternos na confecção do arroz de pato. Afinal, as pessoas não só crescem de abdómen, e no amor também se necessita muita luz, janelas para a rua, elevador, porteiro físico e armários embutidos onde despejar toda a tralha a que chamamos recordações.
    Mas o que a mim me encanita neste guardar de roupa velha e móveis demasiado passeados pelas fronteiras da península é que depois de mil mudanças continuo sem encontrar aquele livro de Onde está o Wally? E já lá vão seis caixas de literatura. Nada. Não o encontro. Ganhou o criador do gajo com
    cara de parvo e camisola às riscas.



    Por Rititi @ 2006/06/26 | 1 Comentário »


    momento gina o verdadeiro hit do verao

    MOMENTO GINA: O VERDADEIRO HIT DO VERAO (II)

    Com a letrinha bem aprendida, já podem ir ensaiando esta pérola da música popular portuguesa. De Espinho a Vale de Lobos, de Alpompé a Fiães, da Vila do Cano a Mirandela, portugueses, aquecei a garganta que quando eu aí aterrar montada no meu mercedes estilo emigra em Agosto não quero ouvir outra coisa. Têm tempo.



    Por Rititi @ 2006/06/23 | 5 comentários »


    miss spring educa o povao pilar

    MISS SPRING EDUCA O POVÃO


    (Pilar Albarracin)

    Gosto muito do blogue da Miss Spring, tão charmoso, tão bonito, tão cheinho do que lhes falta à maioria dos blogues nacionais: naturalidade e frescura da cabeça. Não a conheço de lado nenhum, mas aquele blogue transpira felicidade, nota-se que a gaja está de bem com a vida, que gosta de si e que se cuida muito bem. E porque o blogue é o nosso espelhinho da ialma, a cópia escrita das noites mal dormidas, digo-vos, caros leitores, que dêm uma espreitadela pelo cantinho de primavera que a Miss criou desde Roma.
    No fundo do que eu gosto é de pessoas arejadas, sem merdas e entupidelas nas veias, gente que, sem deixar de estar encantada de conocerse, não se lambe ao espelho todos os dias. No fundo, que quieres que te diga, a vida é olhar o outro sem nos acagarçarmos de que seja melhor que nós. Ah pois.



    Por Rititi @ 2006/06/23 | 1 Comentário »


    contra o vicio estival ah seus

    CONTRA O VÍCIO ESTIVAL

    Ah, seus pecadores, ah lascivos leitores, ó vocês que esperais o Verão para lamber com os olhos as pernas nuas da vizinha, que vos babais pelo balanço da coxa rija, ai, ó vós que vos satisfazeis na escuridão do prazer húmido, ó, ó e mais ó mulherio sem valores, badalhocas e cortesãs que já só procurais no homem o gozo do falo, ah juventude sem valores, devassamente despida sobre as areias escaldantes das nossas praias, ó hedonistas do roce excitado nas pistas da discoteca de verão, podres e esfomeados, seus asquerosos que chupais gelados como se do sexo se tratasse, ai, que será de vocês, pobres saídos, agora que já chegou o bom tempo e os mamilos se deixam ver debaixo das camisas transparentes, agora que a brisa acaricia as nádegas sem cuecas das ávidas de sémen, que fareis, rameiras, quando se vos aproximem os machos com a genitália arrebitada, quentes que tendes a vergonha, como evitareis fechar as pernas quando a sofreguidão da entreperna falar mais alto, meretrizes arruinadas pelo vício do suor, dos dedos enfiados na caverna do desejo, ai, corruptos todos, que será de vós?


    (São Luís Gonzaga, Patrono da Juventude Cristã)

    Arrependei-vos!!! Buscai o modelo dos antigos, dos santos castos! Rezai, cambada de depravados sem mãe, rezais e esperai que se vos perdoe o nojo do sexo, da saliva escorrendo pelos peitos duros, do encontro dos corpos sem mais lei que o gemido! Ai. Ai. Ai.



    Por Rititi @ 2006/06/21 | 12 comentários »


    ma ra vi lho so post da ticcia faca as

    MA-RA-VI-LHO-SO POST DA TICCIA

    “Faça as SUAS escolhas e mande o resto pra casa do car*lho.”
    Ticcia eres lo más de lo más, la requetehostia total. Te adoramos.



    Por Rititi @ 2006/06/20 | 4 comentários »


    arriquitan asin se juega 3 1 tacatacata


    Arriquitan, asín se juega, 3-1, tacatacata, toma morito toma, oleleoleole eso sí que es arte, arriquitan, 3-1, tomaquetomaquetomaquetomatá, vaya poderío y vaya remontá, dale gitana dale, arriquitan, a octavos y a ganá.



    Por Rititi @ 2006/06/20 | Sem comentários »


    querido blogue estou triste com o meu

    Querido Blogue,

    Estou triste com o meu país, que se chama Portugal e cujo nome só serve como reclame publicitário de marcas cervejas, queijos e gasolinas, centros comerciais e as suas lojas de frigoríficos, supermercados abarrotados mesmo quando não há ordenado que chegue para os estudos do menino, carrinhos das compras sobrados de novo-riquismo, prestações para adquirir uma bicicleta e a camisola da selecção que ninguém precisa, um dois por um e pague mais logo que a vida passa-se no estádio e amanhã a gente dá-lhe outro empréstimo para continuar a fingir que é europeu. Estou triste porque a minha bandeira capta clientes para bancos e, como milhares de mulheres mascaradas de patriotismo consumista, é feita puta debaixo do sol escaldante do recorde da pouca vergonha. Estou triste porque o hino é uma banda sonora do ter e nunca ser. Estou triste, já não zangada, triste porque tudo o que representa ser português passa pela Galp e a Sagres, comercializado o lusitanismo nas t-shirtes da reebok e no sonho de um dia sermos importantes. Os chineses vendem Portugal a dois euros, come-se Portugal no McDonalds, pendura-se na janela a Pátria que já ninguém respeita como umas cuecas gastas. Portugal é engolido pela parvónia do comprar para chegar mais longe, como o Figo, o Deco e Ronaldo, heróis por correrem, heróis porque aparecem na televisão rodeados de mulheres belas, carros e agigantados pelos golos que meterão. Heróis de um povo velho, sem rumo, de um Portugal cego pela esperança de guardar uma taça na vitrine dos feitos inúteis. Estou triste, muito triste.



    Por Rititi @ 2006/06/19 | 12 comentários »