Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • querido blogue curioso como so certa

    Querido Blogue,

    Curioso como só certa esquerda tem coração. Um coração higénico e sem fumos, sem colesterol, sem gorduras, banhado na lixívia do politicamente correcto. Curioso também como o sensível coração desta certa esquerda (porque nem toda a esquerda pode viver como a direita que tanto abomina) só reage quando determinadas imagens de pedaços humanos dão a volta ao mundo e ao estômago inquietando o quotidiano dos saldos, das esplanadas, do Verão, das sandálias, dos after-sun, da monótona vida da classe média com sentimentos que depende dos líderes da opinião televisiva para se indignar pelos meninos desmembrados que se amontoam nos depósitos. Afinal, há crianças mais vítimas que outras, mortos mais fotogénicos que outros, cadáveres que são alvos civis, inocentes e sem culpa, enquanto outros não passam de consequências da insatisfação, da frustação e da injustiça mundial. Que pena. Curioso como certa esquerda não convoca manifestações contra o extermínio nos campos de refugiados no Sudão. Nem contra a guerra de Angola. Nem contra o 11-J na Índia. Nem contra os bairros de lata, a pedofilia, a venda de armas, as mulheres maltratadas, os cães abandonados, os homens infelizes e gentes mal-fodidas. Curioso como certa esquerda, viajada, de ouvido crescido e com roupa fabricada no terceiro mundo, continua na senda do anti-semitismo, agarrada ao quadro de um Judas responsável pela morte de Cristo na cruz e a Peste Negra. Curioso esta esquerda chega ao Poder e se fotografa com o lencinho palestiniano e condena Israel, o filho do Grande Satã, como responsável pelos males de Oriente Médio numa demonstração de estupidez absoluta, ignorância e sentido de Estado. Curioso como Zapatero é presidente de um governo cada vez mais reaccionário, perigoso e sem noção que o mundo, o meu, está em perigo, ameaçado por grupos de assassinos organizados que pretendem reconquistar Córdoba, Toledo e Zaragoza em nome de uma noção machista, intolerante, analfabeta e medieval da religião. Curioso que este ZP, joker e bambi, lhes abra as portas só porque odeiam os Estado Unidos. No mínimo curioso.



    Por Rititi @ 2006/07/28 | 13 comentários »

  • sabine says:

    Cara Rititi: curioso este texto nao me surpreender nada. A coisa bem lavada e simplificada fica resolvida.

  • Ana F. says:

    Gostei muito do teu texto, até porque tb já notei que para uma certa esquerda, há uns mais desgraçados que outros e que, por norma, as causas desses "mais desgraçados" são as mediáticas, as que podem dar votos…
    Este teu post tb me lembrou os dias que se seguiram ao tsunami do final de 2004, em que imagens de crianças várias percorriam o mundo. Umas perdidas dos pais, outras orfãs, etc.
    E lembro-me de que nessa altura – em que passava por mail a imagem de uma criança, salvo erro, sueca que estava perdida dos familiares e para a qual se pedia ajuda, visto não saber como comunicar – o nosso querido Bloco, no seu site, a criticar que só as criancinhas brancas e caucasianas é que mereciam destaque, bla, bla, bla.
    São atitudes que me causam repugnância, porque, na ânsia de se porem em bicos de pés para mostrarem que só eles é que se preocupam, que eles é que têm a mentalidade mais aberta, acabam por ser os que mais cedem à cartilha vigente do "contra". Estão sempre contra, porque sim. Porque é giro, porque somos buéda fixes, man! E porque…porque, no fundo, queremos é protagonismo.
    Quanto mais vazio é o caixote, mais barulho faz…

  • ATG says:

    O sonho comanda a vida!

  • Bino says:

    Tu por vezes acertas

  • Pedro@Bruxelles says:

    É tão fácil tentqr generalizar as coisas, não é? Como o que é esquerda, o que é direita, quem é por estes ou por aqueles, o que está certo, o que está errado.

    E o teu mundo estará talvez em risco por causa do alastramento de "gray areas", quando cada vez mais as pessoas pedem o conforto do preto ou do brqnco.

    Mas parece-me que a visão se te turva por terras de Cid, já que Zapatero não é mais que um simples peão neste xadrez…

    Ah, e lamento que qssim seja! Tenho pena que os umbigos das verdeiras peças deste xadrez não tenham dado o devido valor ao Diálogo entre Civilizações, por exemplo. Porque essa é uma das grandes necessidades ao dia de hoje. Sermos capazes de dialogar, (mais que respeitar), apreciar as diferenças, não impormos pre-conceitos sobre o mundo ideal, perceber que temos necessidade do preto, do branco e do cinzento.

  • rititi says:

    Sabine, querida, vá dar graxa ao cágado, se faz favor. Obrigada e um beijo.
    Pedro, o problema é que o diálogo nao pode começar sempre do mesmo lado, percebe? Aliança de civilizaçoes implica que há uma vontade recíproca de encontrar entendimento e neste caso com oque nos encontramos é com uma facção (religiosa, civilizacional, política) que nos declarou a guerra. Recomendo a leitura de Bernard Lewis para continuarmos a conversa.
    Ana A., Binoc e DJ: beijinhos!

  • mago says:

    Muito bom texto. Curioso também como essa certa esquerda parece padecer das críticas autoritaristas que aponta à direita ("Vá de retro! Ups, não que isso implica um certo catolicismo…"): organiza-se uma manifestação a pedir o fim da guerra no Médio Oriente, mas não estão pela paz: estão contra Israel; organiza-se uma manifestação pelo fim da guerra no Iraque, mas não estão pela paz: estão contra os EUA… Afinal estão por quê, para além do facilitismo do contra?

  • Panurgo says:

    Esta é uma guerra com dois lados distintos. Existem 600.000 árabes refugiados e 700.000 israelitas a passar férias fora de casa. Existem crianças árabes mortas pelos terroristas sionistas e crianças israelitas q morreram pq estavam no sitio errado.
    Enfim, tamanha hipocrisia de uma esquerda chic, não nos leva longe. Um morto é um morto. E é uma tragédia.
    Não se podem defender quem defende o culto da morte e a salvação da alma através do martirio. Não se pode defender quem nos quer destruir o nosso modo de vida.

  • Explícito says:

    Que post mais recalcado, alimentado pelo ódio, cheio de fundamentalismo ideológico. Assim fica mais fácil, não?

  • M Isabel G says:

    Gostei muito deste texto Rita.
    Soubesse eu escrever e escreveria um assim.
    Um grande beijinho

  • Luís says:

    vbdNão vejo ódio nenhum no teu post, Rititi. E recalcamento é coisa que não há por aí.
    Pensar é sempre bom. E os alinhamentos automáticos que este conflito tem originado são deploráveis.
    Pensar antes de tomar posição. Pensar nas razões do outro. Pensar ante s de insultar. Não responder ao insulto. Mas não ceder por medo das bombas.

  • sem-se-ver says:

    «Que post mais recalcado, alimentado pelo ódio, cheio de fundamentalismo ideológico. Assim fica mais fácil, não?»

    subscrevo. com pena minha.

  • Luís Marvão says:

    "Curioso como só certa esquerda tem coração. Um coração higénico e sem fumos, sem colesterol, sem gorduras, banhado na lixívia do politicamente correcto."
    De acordo, cara Rititi.
    O problema é o post da Rititi reflectir a outra face da mesma moeda.
    A Rititi é o negativo do politicamente correcto que tanto critica, um pensamento simétrico.
    E o que dizer dos que lançam o anátema do anti-semitismo sobre todos aqueles que ousam fazer tímidos reparos à política do Estado de Israel. Aí, já temos a Rititi no papel de Torquemada, mas não de um Torquemada politicamente correcto…
    É assim que bate o coração da Rititi.

  • Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *