Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • querido blogue estou me bem cagando se

    Querido Blogue,

    Estou-me bem cagando se a Al-Qaeda nos ameaça pela enésima vez, se os Irmãos-da- Puta-Que-os-Pariu prometem a tortura aos infiéis da cruz, se um grupo de analfabetos mortos de fome queima algures na Indonésia uma tentativa da figura do Papa ou se na próxima sexta feira os moderados islâmicos (não há aspas suficientes para isto) se reúnem na Puerta do Sol numa demonstração de legítima indignação contra uma ofensa de carácter intelectual (quem não percebe, não percebe, coitados).
    O que a mim me repugna, o que me dá um asco insuportável são as vozes de legitimação no Ocidente, a desculpa ao ódio e à intolerância, o sentimento de culpa da pequeno-burguesia que esquece – quando assim o exige o politicamente correcto da hora do café – a importância da liberdade de expressão. Náuseas, vómitos, nada mais que isso me merece o discurso de merda de uma sociedade tão farta de viver bem, tão cansada de votar, comprar a crédito, ver gajas nuas, foder aos dezasseis anos, dizer mal do Presidente da República, viver do subsídio de desemprego, levar no cu e não acreditar em Deus que prefere defender os povos que cabem nas manifestações globais e coloridas da moda a questionar-se sobre a origem da sua própria cultura, meditar sobre os valores que levantaram esta civilização que permite o matrimónio entre gays e o direito dos animais. E o mais penoso é que seja a Esquerda, que tanto invoca a liberdade e se apropria da democracia como valor exclusivo, quem caia nesta pouca vergonha desmemoriada. Justificar a bomba no Irão, excusar a Venezuela e ignorar o assassinato de uma freira são razões suficientes para eu me envergonhar da minha Europa e da minha Esquerda. Que nojo.



    Por Rititi @ 2006/09/19 | 21 comentários »

  • DLM says:

    Acordou irritada? Subscrevo por inteiro

  • Jessica Rabbit says:

    AHHH…BOLAS…ESSE TEU DESABAFO LEU-ME O PENSAMENTO E OS IMPROPÉRIOS ATRAVESSADOS NA GARGANTA!!! PALMAS..MUITAS

  • TBA says:

    Depois de ler este texto nem sei o que dizer-te. Podes enviar-me o link do discurso da merda da sociedade??? Quem é essa sociedade? O BE, IU, o Zerollo, o Soares, o Daniel??? É essa a tua definiçao de sociedade? Os que temos outra opiniao, nao temos cartao de crédito, nao vivemos do subsídio de desemprego (tens uns amigos interessantes!) nao somos a sociedade. Quem somos? Sociedade nao. Europeus também nao…

    Esse teu discuro da vergonha da tua Europa é curiosamente idêntico ao discurso dos europeus anti-americanos. Os europeus sao todos os merda, é uma sociedade que pensa toda igual, repugnante, as vozes que saem da Europa dao um asco insuportável, náuseas, bla bla bla… substituimos Europa por EUA e temos um post típico de outros blogs.

    Já agora, que tal as obras por Madrid? 🙂

  • Ticcia says:

    Titi, pra variar, post antológico. Eu vou acabar dando um jeito de linkar TODOS os teus posts tomaticamente. Ah, vou. Beijos. Saudades.

  • ana says:

    muito bem dito

  • Anonymous says:

    Rita, por favor, estás a defender a "a importância da liberdade de expressão" do Papa"!! Por muita razao que tenhas em certas coisas, por favor! A Igreja católica é uma das instituições mais castradoras e repressivas que o ser humano criou!!
    Em nome da pretensa liberdade quantos católicos maltratam, massacram e matam muçulmanos diariamente? E quando a sociedade civil ataca isso em conversa de café já não te irrita? Só quando ataca um chefe religioso arrogante e prepotente?
    E um papa, para mais um papa como este, por muito inteligente e culto que possa ser, tem de ser consciente que a sua audiência não o é. Tem de medir as palavras e assegurar-se que tudo o que diz é claro. E ainda bem que se critica o papa, caramba! e deixa-me usar cartão de crédito e etc e continuar a faze-lo! (mais ou menos em seguimento deste teu post e de outros, fiz um enorme no meu blog, que me parece particularmente interessante)
    bj

  • Luísa says:

    pfff, não nos podemos esquecer que católicos e muçulmanos são duas sociedades muito diferentes logo com valores també muito diferentes. Liberdade como nós, europeus, a conhecemos, é um valor nosso, talvez o valor comum a todos. No mundo árabe a questão de ser-se livre e do que é ser-se livre é uma coisa completamente diferente. Ao escrever aquilo que escreveste só mostraste puro etnocentrismo. Se somos nós os livres, aqueles que não somos analfabetos nem estamos a morrer à fome, entao que os respeitemos mais e melhor do que eles a nós, ou que elo menos façamos um esforço nesse sentido, porque só o diálogo poderá por termos neste conflito de culturas.

  • Penelope says:

    Faço minhas as tua palavras, não de forma tão radical, mas acho que em nome de supostos ideais se faz tudo, se diz de tudo
    Estamos vivendo numa terra de ninguem…

  • elisa says:

    É que faz falta a muito boa gente: indignação bem dirigida e não tolerar nem desculpar a intolerância!

  • Ana F. says:

    Os verdadeiros católicos e os verdadeiros muçulmanos levam com a acção dos lobos disfarçados de cordeiros.
    E, pior, os que não conhecem nem o Islão, nem a Igreja Católica na sua essência, acabam por ficar reféns de ideias erradas e estereotipadas.
    Sou católica, nunca vi a minha liberdade nem castrada, nem limitada, precisamente porque, em vez de me pôr logo com certezas acerca de certas posições defendidas pela Igreja a que pertenço, procuro tirar as minhas dúvidas, confrontá-las com a realidade que vivo, porque a Fé constrói-se e fortalece-se a partir de dúvidas, não a partir de certezas – geralmente erradas e aquém da mensagem de Cristo.
    O muçulmano fará o mesmo em relação à sua religião. Até porque Islão quer dizer precisamente "Paz".

    Quem semeia guerras são precisamente os que têm demasiadas certezas.
    Para concluir (Rititi, desculpa-me o abuso do meu comentário, que está a ser longo), devo dar-te os parabéns pelo post.
    Na verdade, na óptica de alguns, todos são iguais, embora uns mais iguais que outros…

  • rititi says:

    Às vezes tenho que me ler várias vezes para ver o que escrevi. "Será que estou doida?", é o que penso muitas vezes ao ver certos comentários a posts meus, "entao, entao, mas eu nao queria dizer isso" ou "se calhar o que anda por aí é uma enorme cambada de leitores verticais".

    – "E um papa, para mais um papa como este, por muito inteligente e culto que possa ser, tem de ser consciente que a sua audiência não o é". Paciência, filha, paciência. Nao podemos descer a barreira só porque o resto seja um grupo de analfabrutos. A culpa pela estupidez nao é de quem nao o é.
    – O meu discuros é deliberadamente etnocêntico. Falo desde o inicio da minha civilizaçao, do sentido de Europa e dos nossos valores vistos por nós. Como escrevi ao inicio estou-me cagando para as reacçoes. O que me importa somos nós.
    – Os cartoes de crédito nao têm nada a ver com isto e o meu sonho é viver do subsídio de desemprego para sempre.
    – E para si, estimado tba, os meus amigos nao sao do seu interesse. Nao volte a referir-se a eles.
    – Meninas queridas, passem um bom fim de semana (em Madrid parece que vai chover, coisa ordinária)
    – Ticcinha, diva do meu coraçao, que saudades!!!

  • Isa says:

    "Em nome da pretensa liberdade quantos católicos maltratam, massacram e matam muçulmanos diariamente?"

    Onde, onde? Onde é que há católicos, cristãos, vá, a maltratar muçulmanos, onde? Ou tás a falar naquela coisa das bruxas e da caça e tal, aqui há 500 anos, é isso?
    tem paciência…

  • Sardinha says:

    Gostei da raiva com que escreves mas creio que deverias utilizar um pouco dessa energia para reflectir melhor no que significa ser Europeu. Nos, os sem voz, podemos usufruir em pleno da liberdade de expressao e escrever o que bem nos da na gana. Agora imagina que as tuas palavras teriam um impacto igual as do Papa…escreverias o que escreves? Arriscarias a vida de inocentes em prol de dizeres qualquer merda que te viesse a cabeca? Se sim, nao passarias de um provocador igual a um Bin Laden ou Ahmadinejad. Se as palavras tiverem peso, pesa-as.

  • Sardinha says:

    Cara Isa,

    Nao compreendo esse seu ataque desesperado a Miss Spring. Sem querer julgar a legitimidade da intervencao directa por parte de uma coligacao de paises na sua maioria crista no Iraque e Afeganistao ou o encobrimento da intervencao Israelita no Libano o facto e que existe um clima de Cruzadas. O proprio Bush -inadvertidamente – o referiu. Podemos ainda falar sobre os soldados Britanicos e Norte Americanos a serem julgados por crimes de guerra. Talvez devas deixar de ler livros chamados 'coscuvilhices' e de passar menos tempo no Ikea a comprar luzes e moveis pirosos.

  • vague says:

    Poucas vezes comento em blogs mto na moda (é preconceito, sim) mas não resisto a intervir para observar o seguinte:

    A generalização é fácil mas é quase sempre muito má e desatenta-nos dos pormenores importantes.

    Não estou a dizer nada q não saiba e é às vezes tb sinto vontade de partir a loiça e às vezes tb me aparece alguém q nunca vi q se lembra de me contrariar por eu generalizar pq me apetece estremar para vincar posições (daqui a nada estou a justificá-la, quer ver, raios)

    Retomando:

    Mtos de nós, apesar de viciados em cartões, informação, net, viciados no nosso europeísmo e americanismo (ou antiamericanismo), visitantes doutras culturas apenas como turistas de férias e mesmo q fosse de outra maneira,
    mtos de nós ainda arranjam espaço, saber-se lá como, para questionar algumas certezas e anestesias q nos rodeiam.

    Qto à alegada constante agressão q a Igreja católica inflige aos desgraçados dos muçulmanos ao longos dos tempos não interessa lembrar que a Inquisição foi na Idade Média e q esta foi uma das épocas mais violentas e sangrentas da história da Europa?

    Não justifico de forma alguma a violência e a tortura q aconteceram e a q possa existir, venha de QUEM vier, mas não me é indiferente q se entre no facilitismo de generalizar e de se utilizarem sp os mesmos asrgumentos mais q estafados para fazer vencer o argumento contrário/alternativo.

    Ainda dentro desta linha, quase nunca vejo ninguém q defende os dtos humanos condenar os maus tratos a q os muçulmanos submetem as mulheres qdo as escondem, as tapam, as não deixam realizar o seu potencial em vários aspectos.

    Obrigada pelo tempo de antena q livre, aproveitei. O bom de os blogs terem caixas de comentários é isto, comentar e discordar ou não.
    Bom dia.

  • Isa says:

    Ó Sardinha, tu n sabes ler pois n? e além disso sofres de falta de carácter tb, certo? Olha filha, tem juízo.

    este espaço n é meu e por isso fico me já por aqui. e tu se tivesses um mínimo de decência n atacavas ninguém na caixa de comentários dos outros.

  • Peter says:

    Tratei deste assunto embora não com a intensidade com que o fazes e que eu aplaudo, no meu blog, no artigo "Não, obrigado".
    Só o Nilson o comentou, de modo que acabei por lhe juntar comentários publicados na Imprensa.

    Também,"o que a mim me repugna, o que me dá um asco insuportável são as vozes de legitimação no Ocidente"

  • juaquinito says:

    É só pra ver se isto ainda funciona.

  • hey says:

    Hey! This post could not be written any better! Reading through this post reminds me of my good old room mate! He always kept chatting about this. I will forward this post to him. Fairly certain he will have a good read. Many thanks for sharing!|

  • You’re so awesome! I don’t think I’ve read through something like that before. So nice to discover somebody with a few genuine thoughts on this topic. Seriously.. thank you for starting this up. This site is one thing that’s needed on the internet, someone with a little originality!|

  • If you want to increase your knowledge only keep visiting this web page and be updated with the newest news posted here.|

  • Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *