Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • isto tambem e rititi loquillo cadillac

    ISTO TAMBÉM É A RITITI


    Loquillo – Cadillac Solitario (1983)
    Siempre quise ir a L.A.
    dejar un día esta ciudad.
    Cruzar el mar en tu compañía.
    Pero ya hace tiempo que me has dejado,
    y probablemente me habrás olvidado.
    No sé que aventuras correré sin ti.
    Y ahora estoy aquí sentado
    en un viejo Cadillac de segunda mano
    junto al Mervellé, a mis pies mi ciudad
    y hace un momento que me ha dejado,
    aquí en la ladera del Tibidabo,
    la última rubia que vino a probar
    el asiento de atrás.
    Quizás el “martini” me ha hecho recordar
    nena, ¨por qué no volviste a llamar?
    Creí que podía olvidarte sin más
    y aún a ratos, ya ves.
    Y al irse la rubia me he sentido extraño,
    me he quedado solo, fumando un cigarro,
    quizás he pensado, nostalgia de ti
    y desde esta curva donde estoy parado
    me he sorprendido mirando a tu barrio,
    y me han atrapado luces de ciudad.
    El amanecer me sorprenderá
    dormido, borracho en el Cadillac,
    junto a las palmeras luce solitario
    y dice la gente que ahora eres formal
    y yo aquí borracho en el Cadillac
    bajo las palmeras luce solitario.
    Y no estás tú, nena.

    Naquele limbo hormonal da minha terrorífica adolescência, os rapazes mais populares, os que estudavam nos Maristas, esperavam as miúdas mais bonitas da minha turma à porta do colégio de freiras em Badajoz. A mim, é verdade, não me esperava ninguém. Sonhava, secretamente, que um dia o David Rodríguez se apaixonasse por mim e deixasse a linda e solicitada Rocío de cabelos loiros presos por laços de Don Algodón, ele que também era loiro e dono de uma magnífica lambreta vermelha que conduzia sem capacete e até já saía até às duas da manhã. Rita y David, ai, quantos corações pintei eu no meu caderno de matemática, suspirando por um amor que podia e devia ser possível se a minha existência fosse um capítulo de uma série americana com final feliz. Mas nem o David Rodriguez me esperou nunca, nem abandonou a cada vez mais boazuda da Rocío, nem o meu cabelo ficou loiro e assim andava a minha triste vida, de aparelho nos dentes e mamas que me cresciam infinitamente, fazendo o meu magríssimo corpo parecer uma esfregona com balões de água pendurados à metade. Patético.
    Mas, uma tarde, ele apareceu-me em casa num videoclipe musical, mais macho que nenhum outro, de t-shirt branca de camionista, gritando “y no estás tú, nena”, abrindo-me os olhos e a líbido e pondo ordem na minha confusão hormonal. A prioridade nunca mais seriam esses seres borbulhentos de corpo desengonçado e voz em crescimento que esperavam as lindezas do meu colégio: não eram nem seriam jamais a metade de homens que Loquillo, de joelhos, suplicante e ressacado no seu Cadillac de segunda mão, homem de braços fortes, fumador de Ducados, blusão de cabedal preto, o último dos roqueiros e apaixonado pela mulher fatal que esse dia imaginei ser. O David, esse, nunca mais o vi, mas disseram-me que ficou careca e que conduz a mesma lambreta vermelha sem capacete e ainda sai, só, até às duas da manhã.


    Por Rititi @ 2007/08/30 | 5 comentários »


    coisas que gosto de fazer em agosto

    COISAS QUE GOSTO DE FAZER EM AGOSTO

    Preparar o Descobrimento do Brasil. Pode ser que em Outubro encontre o verão, a praia e um tanque gigante a transbordar caipirinha numa praia de areia branca onde descansar estes meu pobres ossos fartos que estão eles e minha alma de Madrid, de Agosto na cidade, de reuniões duas horas com clientes, da crise hipotecária dos States, dos tremeliques da bolsa, dos saltos altos e o cabelo arranjado e da falta de mar. Puta que pariu quem me obrigou a crescer e a trabalhar para ganhar a vida. Eu quero ser é professora de liceu e ter férias grandes, Páscoa e Carnaval, quinze horas de trabalho semanal, ADSE, excursões com os meninos ao Convento de Cristo, cantina, greves cada três semanas e direito a baixa por depressão. Não me fodam.


    Por Rititi @ 2007/08/29 | 7 comentários »


    2 anos de origem das especies e ha

    2 ANOS DE A ORIGEM DAS ESPÉCIES

    E há melhor maneira de festejar tão importante aniversário que com uma cerveja bem fresquinha, agora que parece que finalmente chegou o Verão, à beira de uma piscina de palmeiras rodeados de felizes jovens venezuelanas fartinhas de saúde e amor à pátria, ao som do inefável Elvis Crespo? Ai, as maravilhas do youtube… Parabéns Francisco. A malta agradece que andes por cá.


    Por Rititi @ 2007/08/28 | Sem comentários »


    francisco umbral 1935 2007 senos

    FRANCISCO UMBRAL

    1935-2007

    Senos
    Puestos a ennoblecer el nombre de las cosas, llamemos «senos» a los senos femeninos, no por otra cosa sino porque la palabra es sutil y sugeridora, pero también porque los sustitutivos sugieren menos. Así, «mamas» tiene un deje lactante de guardería infantil, algo que suprime radicalmente la potencia estética, escultórica y sexual de la cosa en sí. Veamos de ayudarnos en Alvite, que dice así: «A Sofía Loren el pecho le tapa el seno».
    El castellano tiene palabras para todo y por eso le es difícil entrar en los reductos académicos de la nomenclatura. Asistámonos de la Historia. El siglo de los senos es el XVIII. Claro que en otros siglos se ha enseñado más, pero con menos gracia. La mujer que enseña mucho porque le sobra es la mujer barroca de los siglos anteriores al XVIII. Así, esa mujer presenta una magistratura de la teta que no ha vuelto a repetirse. El XIX, como siglo romántico, enseña menos de lo que parece y siempre bajo un esquema sentimental tomado de la religión católica, que es la religión del sufrimiento. El verdadero romántico nace después de Bécquer y se llama Juan Ramón Jiménez, que llegó a cantar hasta las manos de su esposa, pero nunca los senos. Zenobia Camprubí queda, entonces, como una esposa con algo de amada inmóvil y algo de Amado Nervo, que viene a ser lo mismo. El cine, ya en nuestro siglo, parece que enseña mucho pero no enseña nada. Queremos decir que los desnudos más audaces los hace una contratada de tercer orden, porque para rodar y cobrar como una estrella hay que aclarar a medias con el productor si los senos van a ser todos de Sharon Stone o de una sustituta.
    Mujer barroca es la de material abundante, sobrante, exuberante que está y pasa por todo el Renacimiento. Cuando una mujer parece la Virgen y no lo es, sin duda la vemos escasa de pecho como de pechos. La Virgen católica es la más católica de todas las vírgenes. Luego están la Virgen románica y la gótica. Todas ellas son propicias al añadido de unos senos más floridos, más florales, pero esta religión nuestra es la que más venera a sus Vírgenes, cuidado con ella. Una vez compré yo una Virgen, así como románica, en el Rastro. Cuando el tío me había colocado una Virgen gestante, un domingo por la mañana, me ofreció que me llevase también el San José y le dije: «No, mire usted, es ya mucho dinero y ese asunto del señor San José no está nada claro».
    Las vírgenes románicas, góticas, barrocas, renacentistas y dalinianas suelen ser una señora muy de su casa que se permite reñir a Cristo y uno las ve ojivales como ventanas de catedral que van a dar directamente a Lourdes. Le conté un día a Aranguren una investigación sobre la Virgen de Lourdes, que aparece como una dama distinguida y desvestida en una gruta donde se ve con un aduanero francés. Aranguren montó en cólera: «Anticris to, tú eres el Anticristo». Estábamos comiendo en El Escorial y Aranguren se fue lejos de mí. Lo que hay ahora es una guerra de Vírgenes por toda Europa, pero yo no he querido hacer esa guerra sino, sencillamente, hacer una columna sobre la Virgen, sobre mi Virgen, que la unto con aceite cada mañana por despertar sus colores, su túnica, su gestación, su belleza anticuaria y adolescente.
    (Todas as crónicas de Francisco Umbral no especial de El Mundo)



    Por Rititi @ 2007/08/28 | 1 Comentário »


    querido blogue efectivamente nao

    Querido Blogue,

    Efectivamente, não encontrei Deus na Galáxia de Andrómeda. E se o encontrei não o vi. E se o vi, não era disso que estava à espera. Deus, ou o que penso dele, não se manifesta nem facilmente nem com o telescópio Hubble, não vá a gente entender os segredos inomináveis do mundo, do universo e da vida de graça e graças ao Google Earth. Que falta de chá, nem que fôssemos protestantes. Deus, já que o inventámos porque não suportamos a morte, quer-se misterioso e oculto, à prova de ignorância e sabedor das verdades que não existem, das redentoras, das que nos farão livres algum dia pela esperança de que tudo tem arranjo. Nem que seja depois da morte, o que também dá muito jeito quando a vida é uma merda (afinal, não é disso que trata o vale de lágrimas?). Esse é o Deus que me inventaram, um ser que tudo vê, e que nos ama como um pai sem medo ao despedimento colectivo, e que é mais justo que a Mary Poppins e que não nos quer mal, mesmo que um terremoto arrase o Peru e o preço do tabaco nunca deixe de subir. Afinal, a culpa também não dele, o que o exime de responsabilidades maiores como um suposto ateísmo pela minha parte. Há muito tempo que me deixei disso e prefiro acreditar que Deus, como o Euromilhões, algum dia me fará um jeitinho, mesmo que só entre nas igrejas em casamentos e funerais e seja alérgica o jogo em geral por assuntos de pele. O problema é que Deus não existe, o que também não é mau de todo para quem já não espera nada dele a estas alturas do campeonato.



    Por Rititi @ 2007/08/27 | 4 comentários »


    oh cielos 200 millones de galaxias en

    Oh Cielos!


    200 millones de galaxias, en Google Sky

    E agora vou ver se encontro Deus no Google Earth.



    Por Rititi @ 2007/08/22 | 4 comentários »


    coisas que gosto de fazer em agosto_21

    COISAS QUE GOSTO DE FAZER EM AGOSTO

    Ouvir na net a Janela Indiscreta, com o Pedro Rolo Duarte na amena cavaqueira com os blogueiros nacionais enquanto bebo um uisque com gelo. Ou até três, se a sede é muita e a conversa valer a pena. Grande amigo o uisque e que boa companhia que ele me faz, só é pena que não possa ir trabalhar com uma garrafa de Jameson na mala. Tenho a certeza que nunca mais ladrava aos meus clientes.


    Por Rititi @ 2007/08/21 | 6 comentários »


    coisas que gosto de fazer em agosto o

    COISAS QUE GOSTO DE FAZER EM AGOSTO

    Monte
    (O Monte dela no Inverno)

    Ir ter com a minha Mãe a esse cantinho secreto numa serra sem alcatrão onde regalar o estômago com sardinhas assadas e salada de pimentos. Cada vez que escrevo sobre a minha Mãe, agora que me dou conta, sai o tema da comida, desses almoços fartos com aguardente à hora do café quando o meu Pai nos encanta com histórias da tauromaquia antiga, de refeições infinitas como as gargalhadas dos meus irmãos, de sobremesas que duram mais que uma digestão saudável segundo os novos códigos do higiénico, de queijos e azeitonas pretas e minis fresquinhas depois de um banho rápido no tanque que faz as vezes de piscina. Será porque a minha Mãe encarna o conforto, como a casa sempre aquecida, o vinho na mesa, a canja de galinha, os lençóis esticados, as coisas que nunca faltam. Que pena tenho eu daqueles cujas mães não cozinham, não preparam a casa, não aquecem o lume no Inverno. Devem passar muito frio dentro da cabeça e da barriga.


    Por Rititi @ 2007/08/20 | 5 comentários »


    ja nao preciso ler mais nada sobre o

    JÁ NÃO PRECISO LER MAIS NADA SOBRE O ASSUNTO

    Eu pagava para estar em Silves quando isto aconteceu. Poder encher de porrada as trombas alternativas da esquerda ambientalista é o cenário mais próximo do paraiso que imagino.

    Por Maradona, esse Homem.



    Por Rititi @ 2007/08/20 | 2 comentários »


    hasta las pelotas dias de futbol betis

    HASTA LAS PELOTAS


    Días de Futbol

    Betis-Madrid, Barça-Bayer, Olympiakos-Mallorca, Inter-Valência, Vitesse-Athleti, Zaragoza-Betis, Utrecht-Espanyol. Mais as contratações de supostas super estrelas por ordinarices de milhões de euros que salvariam o terceiro mundo de uma só vez, as especulações sobre o joelho do ponta de lança que promete mas nunca mete, as sempre vibrantes e imprescindíveis notícias da selecção do Congo, o golo de Beckham, a excursão do Barcelona na Ásia, jogos dos sub-15, a calificação para a UEFA e centenas de horas de televisão ocupadas com jogos que não servem para nada nem pontuam para porra de Liga nenhuma mas que são obrigatórias a todas as horas, todos os dias e em todos os canais. Maravilhas da silly season e desse invento tocapelotas chamado pre-temporada. Cá para mim que isto é uma conspiração dos media para acabar com a civilização ocidental e eu sou a única pessoa no mundo que reparou nos seus malvados e perigosíssimos planos para controlar o mundo. Porque então não percebo como é que a humanidade em geral e a gente de boa vontade em particular não se insurge ante tanta notícia inútil, estúpida e exagerada da bola mesmo quando não há nada para dizer.


    Por Rititi @ 2007/08/16 | 3 comentários »