Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • taxi talk lembre se de mim quando

    Taxi Talk*

    “Lembre-se de mim quando precisar de um táxi no céu.”


    (série que agradeço seja alimentada por leitores rititinianos taxi-dependentes. Quando eu for rica quero um taxista full-time só para mim)


    Por Rititi @ 2007/11/30 | Sem comentários »


    rititi educa o povao mais uma dose de

    RITITI EDUCA O POVÃO

    Mais uma dose de Muchachada Nui, mais razões para acreditar que existe um direito universal ao humor inteligente (até na televisão pública, imaginem) e mais uma aulinha de espanhol grátis, queridos leitores. Para que logo digam que daqui não levam nada.


    Por Rititi @ 2007/11/30 | 1 Comentário »


    que se fodam os anos 80 trendencias

    QUE SE FODAM OS ANOS 80


    (trendencias)

    Especialmente dedicado ao 31 da Armada em geral e o Rodrigo Moita de Deus em particular.



    Por Rititi @ 2007/11/29 | 3 comentários »


    dia internacional contra violencia de

    Dia Internacional Contra a Violência de Género


    (ilustação de David)

    Dos adolescentes de 15 años han sido detenidos en Sevilla por obligar a una compañera, de 14, a practicarle una felación a uno de ellos mientras el otro lo grababa con el teléfono móvil. (El País, 24/11)

    De nada nos servem as campanhas de gritos e homenagens multitudinárias às mártires do ódio machista, as leis que não deixam dúvidas de quem é a vítima e as tentativas de censura televisiva, a criação de novos tribunais e subsídios para mudar de vida, a denúncia vizinha e a solidariedade de famosos e artistas. Sem educação nada nos vale. Não sei o que me repugna mais da notícia: se a idade dos violadores, a naturalidade de obrigar uma miúda a fazer um broche, a gravação da violação num telemóvel, o reenvio da humilhação por sms aos colegas do liceu e a indiferença dos estudantes, o silêncio da família da vítima, a demora da denúncia…
    Quem cria bestas assim? Respeitáveis pais de família, ai a gente não fazia ideia, o nosso Paco é tão bonzinho? Verão como a mãe é violada em casa? Como sabem eles que a rapariga é inferior e por isso lhe podem meter o minúsculo e cobarde caralho na boca sem consequências? De onde vem tanto ódio concreto, tamanho desprezo pelo facto do outro ser mulher, desrespeito pela integridade física de um igual? Duvido que sejam capazes sequer de entender a brutalidade do acto. Hoje não tenho respostas. Como se reeduca gente assim?



    Por Rititi @ 2007/11/25 | 7 comentários »


    que se fodam os anos 80 um site para

    QUE SE FODAM OS ANOS 80


    (um site para gente que ainda não se recuperou do trauma)

    E os cabrões dos japoneses psicopatas que inventaram didácticas e alegres séries para as crianças da nossa geração. Se Marco é um claro exemplo da banalização do mal, então que contar de Candy Candy? Que tipo de desequilibrados contratavam nos estudios de anime do Japão? É que não havia mais putadas que inventar para a desgraçada da miúda? Quantos capítulos de mortes, separações, amores desencontrados e traições pode aguentar uma mulher? Tens toda a razão, Rodrigo, muito bons somos nós da cabeça.


    Por Rititi @ 2007/11/25 | 3 comentários »


    que se fodam os anos 80 dee light

    QUE SE FODAM OS ANOS 80

    Dee-Light – Groove is in the Heart

    Educação musical,
    querida Carla, e psico-social também. Porque qualquer que tenha sido obrigado a aprender a dançar em público (e em frente a toda a turma numa discoteca para adolescentes, ai mãezinha) com os Dee-Light nunca na vida de adulto teve um complexo.



    Por Rititi @ 2007/11/23 | 4 comentários »


    que se fodam os anos 80 snap power pois

    QUE SE FODAM OS ANOS 80


    Snap – The Power

    Pois é, a única geração de jeito é a que teve 15 anos em 1990. Quem sobreviveu, como eu, à adolescência com os cabelos cardados, enchumaços XXL, calças de ganga pelo tornozelo lavadas a pedra, é feito de outra matéria. Já gostaria eu de ver os putos de agora a marmelar com os slows de Rick Asley (ou o que é bastante mais asqueroso: ao som dos inenarráveis Trovante, arrrrg…) enquanto bebem aquela bebida radioactiva chamada pisangambom… Não há quem nos chegue aos calcanhares, por muito que os adoradores dos anos 80 insistam em fazer-nos acreditar na magia daquela década decadente e bizarra (nota mental: já repararam que os adoradores dos anos 80 não sabem dançar?). Sim, amores, já podem ir mandando bitaites que não têm razão: os que nasceram antes de 1970 são uns cotas que deveriam deixar de invejar-nos e tentar ser felizes com a maturidade e a calvície. De preferência podiam ir deixando espaço na pista de dança e ir para casa lamber capas dos Clash ou o que raio ouvissem quando eram jovens. Os que nasceram depois de 1980 são uns pintelhos insignificantes ao nosso lado. Não vale a pena: vão beber copos para Santos.


    Por Rititi @ 2007/11/21 | 23 comentários »


    20 n pergunta que diferenca ha entre

    20-NPergunta:

    Que diferença há entre estes nostálgicos franquistas…


    e estes simpáticos jovens sonhadores da esquerda?…



    (ver também este fenomenal video)

    Resposta: a nossa estúpida e burguesa indulgência.



    Por Rititi @ 2007/11/20 | 5 comentários »


    mi favorita hola yo aqui donde me veis

    MI FAVORITA


    (¡Hola!)

    Yo, aqui donde me veis, tan peinada y señora de mi misma, siempre he sido muy de Elena, no sólo porque sea fea (que también), sino porque es la única princesa de verdad que nos queda en este mundo perro y ordinario. Miradla bien, hermanos ignorantes, pues yo os digo que infantas así ya no quedan ni en la Pérfida Albión, donde la Reina sólo se deja sacar retratos si se pone la corona de zafiros. Sí, soy devota de la hermandad elénica porque a cada uno le ha tocado una vida que vivir y ella no podría ser nunca otra cosa que noble, aristócrata y requetemegapija de la muerte, hija, nieta y hermana de reyes, con la sangre más azul que el logo de telefónica y sin ansias de burguesía y normalización. Elena de Borbón no es de este mundo llano, de televisión y autobuses, rebajas del zara y colecciones de cavalli a precio de pobre, y eso, queridos, se le nota y se le agradece barbaridades que no se finja uno de nosotros, normalita, con pisito y los niños en colegios como los demás niños del mundo, con cocina alicatada y problemas con las chachas colombianas. Si su hermana va de curranta democristiana catalana y a su cuñada Leti no se le han bajado todavía los humos de nueva rica, a mi favorita, a la fea de los Borbones, a la que debería ser reina, no se le pasa siquiera por esa cabeza entrenzada imaginarse de la plebe. Para qué, si se viste de Lacroix y su ex es divino y veranea de yaterío y sus amigos están forrados?
    Amamos esta sinceridad tan poco allana-complejos que tanto se lleva, amamos su cara de cachonda mental y el tipazo que luce en Mallorca, amamos sus zapatos, sus abrigos, sus vestidos de goyesca y a Victoria Federica, amamos que sea princesa siempre y no nos ordinarie el Hola, amamos que un día se haya casado con Marichalar y que él le haya enseñado a llevar tacones, amamos que sea igual a los cuadros de Goya y que hable portugués cuando va a Cascais, amamos que sea divinadelamuerte y que la copien las palomascuevas de este mundo, amamos que sea Borbona de verdad y que no le de verguenza tener pedigree, glamour y dinero. Viva Elena, y olé, que hasta para ser feo hay que tener estilo!




    Por Rititi @ 2007/11/15 | 6 comentários »


    uma outra espanha e possivel ferran

    UMA OUTRA ESPANHA É POSSIVEL

    Ferrán Adria segundo Muchachada Nui, ou a sensação do momento nas terras Zapateras*

    (*mentira, a sensação do momento é a separação de Elena e Marichalar, mas eu agora não tenho tempo)



    Por Rititi @ 2007/11/14 | 4 comentários »