Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • machista nao e so quem bate na mulher

    MACHISTA NÃO É SÓ QUEM BATE NA MULHER

    As mulheres, duas ou três que por lá andam (na revista Atlântico) escrevem umas coisitas sobre a vida mundana. (…) E os homens atlânticos aplaudem-nas como cãezinhos, neste caso cadelinhas, amestradas que brilham com os seus truques de circo. Bravo.

    Cara Ana de Amsterdam, tem toda a razão. A minha estupidez genética (sabe, sou mulher) e total incapacidade de apreender qualquer informação digna de ser vomitada num artigo da imprensa escrita obriga-me a escrever sobre idiotices, banalidades da vida mundana. Deve ser o hábito de ser aplaudida como a uma vaca que acabou de ganhar o primeiro prémio na feira Agropecuária de Beja, não me leve a mal: cá em casa é assim, cada vez que abro a boca atiram-me moedas de dez cêntimos que vou amealhando para comprar mais uma Hola, a minha bíblia vital.
    Suplico-lhe, porfavorporfavor, que tenha compaixão de mim, pois não passo de uma fútil rapariga a quem os ovários, as mamas e a obrigação de pôr máquinas a lavar negaram a profundidade para dissertar sobre temas verdadeiramente importantes e publicáveis. Graças a Deus existem homens que escrevem nas revistas, e nos blogues, e nos livros – sabe-se lá a rebaldaria de sentimentos que esta merda não seria. E graças a Deus que temos por cá mulheres como a estimada Ana, que nos lembra ao resto do gajedo que a futilidade não nos é permitida, que escrever (e ser paga por isso) sobre sapatos ou filhos é para donas de casa mentais, sopeiras que não ouvem músicas em francês, analfabrutas sem acesso aos cursos de mestrado na Universidade Nova e que só seremos respeitadas quando nos comportarmos como homens e aprendamos a mijar de pé e a escrever sobre grandes assuntos da Humanidade (quem sabe se crónicas sobre futebol e charutos não nos dignifiquem). Só não lhe perdoo a comparação com as cadelinhas: tive uma rafeira chamada Leidi que era muito mais inteligente que maior parte dos bloggers que poluem a internet pátria, por muito Coetze que leiam. Bom Ano.



    Por Rititi @ 2008/01/06 | 10 comentários »

  • A miúda das letras says:

    Olha… fiquei sem palavras! Não teria dito melhor!
    Muito bem.

  • Isabela Figueiredo says:

    O que mais me irrita é estares contra os cursos de mestrado na Nova. Invejosa!

  • Formiga Rabiga says:

    Minha querida, isto nem parece teu, então não sabes o nome da feira?! É Ovibeja, não é feira Agropecuária de Beja. Só te preocupas com coisas fúteis e depois dá nisto 😉
    Beijos, muitos. Segue email já a seguir.

  • cs says:

    porrab logo agora que eu estava a pensar fazer o mestrado na Nova. Você é um corte…

    CS

  • chiqui says:

    eu devo ser a rainha do vazio… leio a Hola aqui do outro lado do mundo. De Espanha a California vai um mundo… de futilidade!
    😉

  • vieira do mar says:

    Tinha-a lincada: acho que escreve bem, apesar do azedume que esguicha sobre a humanidade em geral. Mas no fundo não passa de uma personagem desagradável e mesquinha, sobrevalorizada por certa parte da blogoesfera dita intelectual que vibra com a sua suposta desarmante "sinceridade". Ao contrário do que ela gostaria, não é deprimida: é apenas deprimente – o que se torna repulsivo, ao fim de algum tempo. Já a inveja, essa, é uma grande chatice, parece-me.

    Ah, minha querida, o deslinque é, como o zapping: uma actividade tão democrática quanto libertadora. E pronto, já está. 🙂

  • via says:

    ena, isto de ter mamas é complicado, sobretudo para correr `*a vassourada com algumas gaijas com asserto de gaijaas, mas a aposta foi francamente ganha!

  • Rui Vasco Neto says:

    rit,

    «Deve ser o hábito de ser aplaudida como a uma vaca que acabou de ganhar o primeiro prémio na feira Agropecuária de Beja, não me leve a mal: cá em casa é assim, cada vez que abro a boca atiram-me moedas de dez cêntimos que vou amealhando para comprar mais uma Hola, a minha bíblia vital.»

    Palavra de honra: acabei de atirar uma moeda de 2 euros, que esta merece (mesmo sendo a Ovibeja, sim, formiguita, mas who gives a shit?).

    Nunca tinha lido 'vá à merda' em tantas e tão oportunas palavras.

  • liliana_lourenco says:

    Ahahaha!
    Beeeem… não estou por dentro do conteúdo deste blog, apanhei este post meio ao acaso e parei para ler.

    Está muito bom!
    Muito boa a resposta!
    É assim mesmo pah! :p :p :p

    **

  • hey says:

    Quality articles or reviews is the important to invite the people to pay a visit the web page, that’s what this site is providing.|

  • Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *