Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • vida de prenha serie inevitavel ai que

    VIDA DE PRENHA – A SÉRIE INEVITÁVEL

    Ai, que complexa é esta vida da prenha e deste corpo que de repente já não me pertence. Que se desenganem as moçoilas parideiras, uma grávida nunca é a verdadeira dona do seu corpo, quanto mais do útero e do que lhe vai crescendo lá dentro. Olhem para mim, uma noite era essa gaja boazuda que fazia a prova do predictor e ao dia seguinte passei a engrossar as filas das mulheres-incubadoras, esses seres abstractos portadores de vida e portanto sujeitos a análise (ao sangue, ao mijo, à tensão, à tesão e ao peso) e ao escrutínio dum povão que poderá não ter acabado a quarta classe e jurar a pés juntos que Judeia é um centro Comercial algures no Feijó, mas que domina como um Licenciado em Medicina Cum Laude na Univeridade de Harvard o sempre fascinante (?) tema da prenhez da outra.
    Não há quem se resista a dar uma opiniãozinha baseada em princípios fundamentais como o empinanço da barriga, a qualidade da pele do cu, o crescimento das unhas, a posição da Lua e dos satélites de Marte em relação à folhagem do Passeio do Prado ou o resultado de uma equação que mete o número do sapato, as quartas-feiras do ano e a idade da bisavó quando engendrou o décimo filho. A ciência é fodida, mas todos sabem mais que o meu ginecologista, coitado do home, nem sei porque insisto em pagar-lhe. E não importa a relação, a intimidade, o grau de parentesco que os outros tenham comigo, sempre há alguma coisita a dizer, mais uma sentença a cagar, em voz alta, com público e à procura de outros peritos na gravidez alheia que confirmem tamanhas certezas. Se a minha barriga é redonda, é menina, e se é bicuda também, porque o importante são os tornozelos, os pulsos e o branco dos olhos, e quanto pesas já, porque estás gorda, é melhor andares muito, mas não nades que ainda tens alergias e se és alérgica ao presunto o melhor é congelar, mas pouco, ou muito, porque depende, mas as meias que sejam de grávida por causa das varizes, e as calças que não te apertem e tem cuidado com as estrias, posso tocar, e senão também toco, e não podes fazer madeixas, nem depilar-te a cera quente, nem vás ao ginásio, nem à sauna, e não comas sushi, nem ostras, e as saladas lava-as com lixívia, e vê lá se usas creme para a barriga, e que marca, e como o espalhas, que não seja o mesmo das mamas, porque as mamas, estás cá com umas mamas, ai Rititi, que grandes estão as tuas mamas, toquem toquem…
    Ai, as mamas. Só o tema (e o tamanho) das mamas poderia alimentar o meu blogue (e metade do continente africano) até ao nascimento do Rititi-Boy. Mas atendendo ao que sempre foram, não entendo tamanha preocupação: era inevitável que atingissem esta dimensão de hipermercado lácteo. Meus queridos amigos/colegas/familiares em terceiro grau: não se ralem que eu não caio de boca. E até dizem que já inventaram os aparelhos chamados sutiãs que dão muito jeito nestes casos determinados. E aliás, a única pessoa interessada neste tema não só não se queixou como parece estar bastante satisfeito com a evolução da coisa.


    Por Rititi @ 2008/01/28 | 11 comentários »

  • Carolina Julien e Sebastião says:

    Minha querida

    Lindo 100% de acordo onde é que eu ja ouvi isso

    este post está lindo

    beijinhos pa si e pó Sr Pinheiro de terras Francesas

  • SMS says:

    Rititi! Estás grávida, 'melher'? Nunca mais falámos… desde os tempos idos – e glórios – do DNA. Parabéns! Também já fui uma pança, duas vezes. E uma vaca leiteira, duas também. Agora sou só uma vaca, que isto dos quilos demora a regredir. Beijos! E, como diz o povo, uma hora pequenina para ti. Da Sónia (Morais Santos)

  • sem-se-ver says:

    :))))))

    muitos parabéns!!

  • Rita says:

    Espera até te começarem a mexer na barriga como se fosse do domínio público!!! É que não só sabem tudo como se acham no direito de te tocar. Passava-me com essa merda.

    Quanto ás mamas, my dear, digo-te que Mr. Pinheiro ainda não viu nada. Quando chegar o leite, ó filha, aí vais poder alimentar os 5continentes!!!!!!! E ainda sobra!!!!

  • Mindericus Vulgaris says:

    E vão-lhe chamar rabuda qq dia 🙂

  • JoãoG says:

    Não, não! Come ostras: estão repletas de ácido fólico. E ácido fólico é bom, dizem agora os médicos, mas só agora, porque amanhã o que é bom são ovas de caranguejo do Alasca, alguém dirá, e, portanto, também eles, os médicos, dirão.

    Tudo de muito bom!

  • Eva Lima says:

    😉 O que é verdadeiramente necessário é manteres esse bom humor!!!

  • cs says:

    e qd a criança chegar todos sabem mais sobre ela do que nós mesma.lolll

    um abraço e parabéns.

  • shakermaker says:

    Ora viva!

    Confesso que tenho pavor de mulheres grávidas – e não estou a falar na óptica do emprenhador – mas porque fico deveras incomodado na presença duma grávida.

    Então, e se por acaso estiverem com a barriga apontada na minha direcção: é um pernas para que te quero! Gosto de grávidas, claro que sim, sobretudo porque fazem-me lembrar um pack de felicidade, mas não me chego perto.
    Isso é que não!

    Um abraço…
    shakermaker

    http://shakermaker.blogs.sapo.pt

  • Pi says:

    Vai-te habituando. Segundo li algures, pior do que uma barriga – para suscitar o "aconselhamento imediato do perito que há em cada um de nós" – só mesmo um carrinho de bebé! Cumprimentos "prenhais".

  • Leave a Reply to cs Cancel reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *