Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • devo ser eu que dou muito valor ao meu

    Devo ser eu, que dou muito valor ao meu dinheirinho

    Que esperavam os 90.000 marmelos que pagaram 50 e tal aurélios para ver uma gaja objectiva, pública e sinceramente alcoólica e cuja canção mais conhecida diz alguma coisa assim como rehab, no, no, nooo? Um espectáculo das princesas da disney sobre o gelo, coca-colas e pipocas, uma declaração amor ao chá de limão, um pedido de desculpas? Devem estar a gozar comigo! Cambada de ofendidinhos com excesso de sobriedade, é o que é.


    Por Rititi @ 2008/05/31 | 9 comentários »


    gente normal na televisao matinal uma

    GENTE NORMAL

    «Na televisão matinal uma senhora de bata e permanente ao mais puro estilo salão de beleza Linda Cristina fala dos direitos das famílias a veranear sem serem agredidas na sua sensibilidade visual. Parece que esta senhora é a representante para os meios de comunicação de um grupo de banhistas que se faz chamar (aproximadamente) Associação para a Protecção das Praias Familiares e que defende a decência nas areias espanholas pejadas de rabos, mamocas e carnes no seu esplendor. “As famílias normais”, sincera-se esta senhora com óbvios motivos abdominais para não vestir um biquíni se tiver testemunhas por perto, “temos direito a passar um dia na praia sem sobressaltos. Por isso queremos que se proíbam nas praias familiares o top-less e o fio dental. Por agora”. Estas declarações provocam-me sempre o mesmo pensamento: há gente com demasiado tempo livre. E estas donas de casa armadas em porta-vozes de associações demagógicas vêm demonstrar a urgente necessidade de pôr o maior número possível de mulheres no mercado de trabalho a fim de evitar o aparecimento deste tipo de ligas da moral e do que é pior, da defesa da família». ()
    (O resto da crónica, no Pnet Mulher)



    Por Rititi @ 2008/05/30 | 2 comentários »


    sydney pollack 1934 2008 nos sopranos

    Sydney Pollack (1934-2008)

    Nos Sopranos, como o médico-assassino Warren Feldman que tenta inutilmente um diagnóstico redentor para o cancro de Johnny Sack. Uma personagem deliciosa para o final de uma vida.


    Por Rititi @ 2008/05/27 | 2 comentários »


    e portugal um pais de gente estupida

    É PORTUGAL UM PAÍS DE GENTE ESTÚPIDA?

    Não? Então que caralho de inquérito é este no Correio da Manhã?

    » VOCÊ DECIDE

    Cristiano Ronaldo pode sofrer com Núria por perto?


    Por Rititi @ 2008/05/27 | 5 comentários »


    tirorirooooo tirorirori tiroriro

    Tirorirooooo, tirorirori, tiroriro, tiroritorirori

    Europe – The Final Countdown

    We’re leaving ground
    Will things ever be the same again?
    It’s the final countdown…

    É o único que se me ocorre dizer a um mês de parir. Mas sem laca. Tirorirooooo.



    Por Rititi @ 2008/05/26 | 6 comentários »


    vernice priscilla comentadora politica

    Vernice Priscilla, comentadora política

    “Desde que devido a esta prenhez que me ocupa deixei de poder ver o meu corpo debaixo da zona do umbigo e muito menos tocar, cortar e pintar as unhas dos pés, tive que recorrer aos serviços de restauração física da dona Vernice Priscilla Souza Jatobá, uma brasileira emigrada ilegalmente das terras para lá do sol posto, ou como ela própria diz, “dum lugar de onde não falam nem as novelas da Globo”. E posso dizer, sem que se me caiam os anéis e com certo orgulho cosmopolita, que entre a dona Vernice Priscilla e eu se estabeleceu uma espécie de relação íntima derivada não só da purificação dos poros faciais ou da depilação com cera e mel natural, como da análise económica, social e sobretudo política da realidade espanhola e europeia. Não há tema que se nos escape nas nossas sessões de pedicura e o nível de profundidade nas reflexões é tal que uma vez por semana sou obrigada a recorrer à sua perspicaz opinião para poder escrever aqui, manter uma conversa num restaurante ou até entender o que nos jornais internacionais vou lendo. Os resultados são óbvios, nunca antes tive a pele tão tersa e as ideias tão fundamentadas, pelo que se estiver por aí um director de algum programa de debates da televisão por cabo que me queira contratar, está à vontade: garante-se uma opinion-maker bonita, depilada, com os pés em perfeito estado e com conhecimento total dos males que corrompem do mundo”.
    (o resto da crónica, no Pnet Mulher)



    Por Rititi @ 2008/05/23 | 4 comentários »


    vida de prenha as aulas de prepacao

    VIDA DE PRENHA: AS AULAS DE PREPAÇÃO PARA O PARTO (II)


    (era mais ou menos isso, querida Sofia)

    As aulas de preparação para o parto (daqui para a frente O Mestrado) deveriam ser obrigatórias para qualquer prenha pós-moderna, urbana, arejada da hormona e que se queira livre de complexos sobre fatos de treino e tishertes de algodão. Se estiver por aí uma grávida saberá do que falo: depois de 36 semanas a sofrer uma estrita dieta saudável (PRECISO DE COMER JAMÓN!!!!) e abstinência total de bebício e fumício, o desaparecimento da cintura, a transformação de seios sensuais em imensas glândulas mamárias, a leitura enciclopédica de manuais sobre gravidez, parto, pós-parto, aleitamento e criança de bebés, aprender a discernir entre roupinha amorosa e panos objectivamente pirosos e, como não, levar com os sábios conselhos, caganças e opiniões de qualquer ser humano que se aproxime a um perímetro mínimo de cinco metros, depois de oito meses de gravidez, digo, o único que nos apetece a qualquer incubadora humana é que nos tratem com normalidade. E sem essa condescendência irritante das experientes, essas vacas que não só se esqueceram das suas próprias dúvidas e medos quando estavam grávidas como ainda nos tratam às prenhas primeiras como histéricas incapazes de relativizar, uma doidas, enfim, com demasiado tempo para pensar. Talvez nos odeiem porque (ainda) não somos umas mulheres com um bebé pendurado da mama. Não sei se me aguento por mais tempo, palavra de honra, mais uma palmadinha nas costas e mando a experiente relativizar para a putacapariu.
    Por isso estou tão encantada com o meu Mestrado: duas horas semanais de vídeos, ginástica para velhas, treinos com bonecos e respirações e, sobretudo, duas horas para comprovar que não tem mal nenhum estar cagada de medo, que as minhas dúvidas são as mesmas que as daquela mamalhuda que não pára de tirar apontamentos (???) e, o melhor de tudo, que há gajas a quem a prenhez lhes assenta bem pior e que, comparada, ai eu, sou das grávidas com o melhor corpo da zona. Aqui entre nós, até estou bem boazuda, não tenho celulite, os meus braços continuam magros, as pernas firmes e meu rabo incrivelmente no sítio. Obrigada, creme hidratante! E tudo dentro de um ambiente esterilizado, em palestras dadas por parteiras e ginecologistas, profissionais do útero, enfim, e as únicas pessoas do universo a quem eu, a um mês de parir, dou importância, ouvidos e razão.
    Porque os gajos, por muito que queiram, ao máximo que chegam, e ai deles, é a gostar muito de nós, a aconchegar-nos os temores e a beberem o máximo de uisques possíveis até à hora do parto. Uma grávida precisa de um homem sensato ao lado e não de um marido cagado de medo por osmose, que sinta as nossas mesmas contracções, hiperventile ou tenha medo de entrar na sala de partos. Para nervos bastam-me os meus, que histerismo.


    Por Rititi @ 2008/05/21 | 8 comentários »


    que se fodam os anos 80 6 bjork big

    QUE SE FODAM OS ANOS 80 (6)

    Björk – Big Time Sensuality (Debut, 1993)

    E que me dizem desta explosão de música de dança sem complexos, culta e divertida e banda sonora da última geração, a nascida nos fabulosos 70, que saiu à noite sem precisar que os pais lhes esperassem às quatro da manhã à porta da nisconaite? Saberão os menininhos de vinte e tal pedir um táxi?


    Por Rititi @ 2008/05/18 | 5 comentários »


    o sexo cidade e o direito amar jimmy

    O Sexo, a Cidade e o direito a amar Jimmy Choo




    Uma vida como a das espectadoras, mas melhor vestida. Porque este foi o grande segredo da série: apresentar ao mundo existências que repetem tópicos universais (o amor, a segurança, a família), mas metidas num embrulho mais bonito, mais limpo e mais caro. Nós já sabemos que a vida é uma merda, que há pessoas que morrem de cancro e de amores impossíveis, que há desemprego, alzheimer, ordens de despejo, frustrações, celulites e cornos, que nem todas podemos ficar grávidas e as que ficam nunca mais voltarão a caber numa 38. Mas quem é que gosta de ver filmes de Ken Loach? Eu, sinceramente, prefiro rir-me, fantasiar, e chorar com aquele último capítulo da série, quando o conto de fadas de cada uma das personagens se faz realidade e o mundo volta a ser um lugar que, apesar de doloroso e frustrante, nos pode fazer felizes. Eu não tenho complexos nenhuns com isto, era o que mais faltava.
    (E o resto da crónica, já sabem, segue no Pnet Mulher. Façam o favor)


    Por Rititi @ 2008/05/16 | Sem comentários »


    rititi educa o povao mesmo gira

    RITITI EDUCA O POVÃO: MESMO GIRA


    Scarlett Johansson – Falling Down

    E canta bem, até o críptico Tom Waits. E é dona de um estilo sofisticado, refinado e fresco. Uma diva como deve ser, impecável, limpa e original. Gostamos muito. Mesmo.


    Por Rititi @ 2008/05/16 | 3 comentários »