Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • manel trata bem do teu nome manel

    MANEL

    Trata bem do teu nome, Manel, porque nele estão escondidas as histórias de todos os outros Manéis que te compõem mesmo sem tu saberes, de Manéis anteriores mas importantes e antigos, que foram à guerra e cruzaram oceanos para voltar atrás, Manéis que se enamoraram cantando nas ceifas, de ontem, de um passado a preto e branco, que perduram em molduras velhas, de Manéis de hoje, generosos e optimistas, orgulho fraterno e vontade de abraços, e até de Manéis que não foram nunca, que ficaram pelo caminho antes de ser. Tem o teu nome, Manel, a importância dos que estão chamados a ser eternos, porque nele está guardado o eco dos heróis da nossa família, lendas na maioria, mas lendas nossas, que se vão passando como tesouros à hora da sobremesa, relíquias de copo vazio e cinzeiro cheio. Lembra-te que a nós não nos interessam contos inúteis, mas sim saber da razão das coisas, dos nomes que nos compõem, tão importantes como as ossadas que nos sustentam. O teu nome, Manel, é exclusivo, único, mesmo que se vá repetindo de geração em geração, como a estrofe de uma canção nossa que todos devemos aprender para não morrer sem saber o que somos, de onde viemos, o que queremos que digam de nós. Manel, que inveja têm os outros do teu nome e dos amores que representam. Não deixes, Manel, de saber de nós quando fores grande e importante, não permitas que a vida te afaste do que és, da herança do teu nome, da raiz do que cada um de nós é feito. Não tenhas medo das tuas moléculas, que não te assustem as sendas do teu genoma, filho, porque delas aprenderás a corrigir-te, a corrigir-nos a todos que te antecedemos, a corrigir os erros de todos os Manéis, que como tu, vieram para ser recordados, para pertencer à galeria dos imortais, para ser amados sem tempo.



    Por Rititi @ 2008/09/03 | 4 comentários »

  • Nuno says:

    Como, como no te voy a querer!

    Um beijoooo grande, aqui do atlântico à chuva!

  • Isa says:

    Eh pá, mulher, pra que precisas tu de fumar chiribitis, por amor de deus, que coisa mais linda e bem escrita. Parabéns.
    O meu pai Manel é isso tudo. O meu irmão mais novo tb…
    Bjs miúda e tudo de bom pra vcs três.

  • macaca grava-por-cima says:

    Este post está qqr coisa!
    Sou filha de um Manuel que já só vive nas memórias de quem o conheceu…
    Quero muito vir a ter um filho rapaz e dar-lhe esse nome, aproximá-lo dos 2 avôs e do peso desse nome que tão bem transmites neste texto.
    Muitas felicidades para o Manel e para a mãe

  • Seamoon says:

    Olá,já venho a este blog á muito tempo,e por aqui me perco encanto e rio.
    Hoje resolvi deixar-te um beijinho muito grande para ti e para o novo e estreante portador do nome Manel.
    Adorei o texto e todo o sentimento de perpetuação no tempo que nele transmitistes,o sentimento de familia,de história,de raizes…muito bom!
    Lá por casa temos os Nicolaus,e agora a caminho tambem pela primeira vez uma leonor :)
    Bjs.

  • Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *

    *

    You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>