Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • declaracao de voto com o carro atrelado

    DECLARAÇÃO DE VOTO

    Com o carro atrelado de berço, carrinho, banheira, cadeirinha que vibra, mantas, biberões, medicamentos e todos os extras a que dão direito um bebé de três meses e meio lá vai o jovem casal Pinheiro mais o Rititi-Boy a caminho das terras lusitanas por uma semana. Se a polícia não nos parar na fronteira por tentativa de contrabando de utensílios infantis espinharemos, primeiro, para depois levar o criaturo à Grande Alface. Já sabem: se me querem oferecer emprego, uma coluna num jornal ou revista de relevância nacional, entrevistar para uma radio local, convidar para um gelado ou combinar para adorar o menino, apitem. Também agradeço quem queira ficar de beibisiting, que o casal bem precisa de um momento a dois.
    (não vou escrever nada sobre a votação de hoje, a declaração de voto ou matrimonios gays. O blogger não resistiria a quantidade de palavrões. Esta merda rebentava toda.)



    Por Rititi @ 2008/10/10 | 15 comentários »

  • Fernando Alves says:

    S.O.S.

    vou 3 dias para madrid com o alves-boy (que tem 2 anos).

    preciso de saber onde ir e o que fazer sem entra em espirais de loucura…

    Obrigado!

    Ps. Aproveito para lhe dizer que o seu blog faz parte da minha lista de blogs preferidos.

  • Miss Candy says:

    Humm… babysitting… pois… não. Mas… Boas Férias! ;) Bjs!*

  • SD says:

    Olá,

    Conheci o rititi hoje: e gostei!!!
    Revejo-me nele :)
    Bjs

  • Renata says:

    Conheci a rititi hoje e gostei mas porque nao me revejo nada nela…. Curioso observar este estilo que conheço tao bem de pessoa rititi com a obsessao pelo cool…que chama sopeira a qualquer igual que nao segue o seu estilo…
    Sao geralmente meninas muito mimadinhas pelos pais e pleos avos, nunca tiveram que partir uma unha na vida. Isto da-lhes o luxo de ser "foritas" quanto baste e a liberdade de seres frontais e divertidas mas tambem bastante crueis…
    Conheci o Blog por causa da alimentaçao materna….percebi que as rititis desta vida tem em mim uma potencial "psicopata da mama" porque gosto de amamentar a minha filha! Isto alertou-me mais uma vez para o fenomeno "mae rititi" que alastra nas portuguesas. Aproveitando que fui insultada por esta menina queque ja agora insultaria tambem de "egoistas materialistas compulsivas" estas maes rititi. Sao gaijas que tem os filhos basicamente para poderem passar ao nivel seguinte do Cool: serem mais Coolls e tambem para poderem fazer mais compras, atençao tudo compras coll com montes de design! Adoram andar a passear o bebe, coitadinho cheio de colicas do biberon e do leite da vaca, mas num carrinho super cool e com uma bolsa cheia de merdas para o bebe, tudo comprado que isso e´que e´bom! Dizem as rititis que o bebe esta bem se a mae esta feliz…de acordo! Acontece e´que estas putas precisando de muuuuuuuuuuuuuuuuuuuito para estarem felizes: tem que ir ao cabeleireiro, ao ginasio, depilar os pelos do cu, abanar a peida na dança do ventre e sobretudo no perder o concerto da madona. Epa senao entram logo em depressao pos-parto! nem com a ajuda do companheiro, nem das duas avo´s, da vizinha e da prima elas conseguem ter suficientemente tempo para elas proprias, ai coitadas! Oh minhas amigas dos oculos de massa pois nos as maes psicopatas da mama estamos felizes a dar de mamar aos nosso filhos. Sem glamour princesas, somos mamiferos! Preferimos isso a ir fazer madeixas e por as unhas quadradas desculpem la´a sopeirada!
    Nao nos custa assim tanto ter menos tempo para nos proprias uns anitos! Por isso a todas as rititis rototos e rututus so´digo, se nem um filho vos descentra do vosso umbigo gigante o que podemos esperar para o futuro?! um mundo pior concerteza! Continuarei a visitar o blog pontualmente para saber a que andam as rititis, posso ter que me cruzar com estreloucada destas!

  • rititi says:

    Cara Renata, seu ser anónimo.
    Nao lhe apago o comentario precisamente para que o mundo veja a sua loucura profunda, a idiotice das suas palavras, o fundalmentalismo do seu pensamento. Passe bem lá com a sua mama e os seus pelos, porque pelos vistos voce, de tai pouco cool, nenm se depila.
    Chaué.

  • Rui Figueiredo Vieira says:

    Impecável. Adorei o espaço. Parabéns pelo blog. Cumprimentos

  • rititi says:

    Obrigada!

  • Eva says:

    Bem, que comédia…
    O que vale é que como estás a residir no estrangeiro já não te deve ser tão penoso (ortograficamente falando, claro!) responder maravilhosamente a maravilhas como esta!
    Será que alguém me consegue explicar porque é que a maior parte do pessoal se acha no direito de julgar e/ou insultar todos aqueles que não pensem da mesma forma. Afinal onde é que pára a liberdade?
    É que, se bem me lembro, o post relativo à "mama" constituía um desabafo perante a recusa da farmacêutica em vender um biberon!
    Imagino que as defensoras do aleitamento materno ficariam satisfeitas se, após o parto, descobrissem que a instituição que as assistiu seguia uma hipotética orientação clínica que as impedisse de amamentar enquanto ali permanecessem!tidas`lhe fosse clinicamente imposto

  • Eva says:

    As palavras a seguir ao ! estão a mais – não pretendia seguir o estilo dos comentários que comentei (perdoa a redundância).

  • VDA says:

    Mas isto é fenomenal!!!
    Venho eu ávida de um BOM TEXTO e deparo-me com o mesmo (pois, as férias) mas reparo que o número de comentários aumentou e vou espreitar.
    Ó Rita, santa paciência!
    Quer dizer, ao mesmo tempo isto é fenomenal!
    Ó Rita, veio uma gaja chamar-te puta no teu próprio blog, que é, simplesmente o blog que mais devia inspirar o mulherio português!
    Vamos lá então:
    Sou um portuguesa bem do interior de Portugal. Estudei em Lisboa e fiz erasmus em Bruxelas. Tirei Sociologia (só para que se conste, embora não me sirva de muito)Teimei em regressar à terrinha onde até se vive bem, apesar de alguma falta de visão geral.
    Fui jornalista, com carteira profissional e tudo e agora sou técnica de comunicação numa câmara. Não sou muito burra nem particularmente inteligente. Sou como sou.
    POR VOLTAS INEXPLICÁVEIS E FANTÁSTICAS DO DESTINO veio o o HOMEM mais fantástico do Mundo parar aqui à terra depois de toda uma vida na África do Sul.
    Casámos. Temos dois filhos, um dia deste hão-de ser três. Estamos a fazer uma linda casa de madeira e pedra, somos felizes. Mas a que se deve esta conversa toda?!!
    Cara Renata: a minha mãe ensinou-me que aos homens não se diz tudo, que uma mulher quando não gosta de alguma coisa amua e faz pressão ap marido. De preferência usando os filhos que estão sempre do lado da mãe contra o pai que faz coisas que a mãe não gosta.
    A minha mãe ensinou-me que que é preferível tomar conta da casa do que de nós.
    Eu cresci gorda, com buço e a fazer depilação com gilette.
    Cara Renata, eu adoro a minha mãe, do coração. Transmitiu-me o que lhe ensinaram a ela.
    Felizmente conheci um HOMEM que me ensinou o que é respeito por nós e pelos outros. Ensinou-me que uma mentira/omissão ao marido machuca mais um casamento que o ultrapassarmos, A DOIS, um problema ou situação mais desagradável. E ensinou-me também que temos que defender as nossas ideias e falar sobre elas com a pessoas com quem dividimos a vida. E que temos que gostar de nós pois só assim gostaremos dos outros.
    E quando o leite me começou a faltar não insistimos para que continuasse, sorrimos juntos pois as minhas maminhas e a nossa intimidade voltaram a ser só nossas.
    O que eu gosto de ler/ver na Rititi, cara Renata, é que ela não é fútil nem mimada, é uma mulher que sabe o que quer e sabe o que diz, e diz o que pensa.
    Sinceramente, minha cara, tenho cá para mim que o filho dela há-de ser mais feliz e equilibrado que muita criança que por aí há.

    Rititi, desculpa a invasão! Eu sei que não precisas que "te defendam" mas há coisas que me enervam e hoje acordei para aqui virada.

  • rititi says:

    Vera, que querida!
    Beijos grandes

  • edelweiss says:

    Quando o meu filho nasceu,no Hospital de Santa Maria, as enfermeiras obrigavam-me a tentar tirar leite com a bomba, pois o bébé era prematuro e não conseguia mamar. O problema é que eu não tinha ponta de leite e as maravilhosas enfermeiras adeptas do leite materno recusavam-se a ver o óbvio. Para me darem um biberão de leite para o bébé, tinha que jurar a pés juntos que tinha tentado tirar leite e nada. Isto durou uns dias até eu enlouquecer e a médica chefe descobrir o que se passava e mandar-me imediatamente secar o leite por inutilidade óbvia. Já passaram alguns anos, e continuo traumatizada com a experiência aflitiva que é não ter leite e estar dependente de atrasadas mentais para me fazerem o enorme favor de me deixarem alimentar o meu filho com biberão. E tinham um enorme cartaz que dizia: "hospital amigo dos bébés – incentiva a amamentação materna". Nem que seja, claro, à custa de torturarem as mães. Nunca mais consegui superar o ódio aos fanáticos da amamentação materna.

  • Eva says:

    Rita, vou (ab)usar a tua caixa de comentários para…
    Vera, o que escreveste é pura e simplesmente…lindo.
    E comoveu-me porque…
    Também eu fiz uma licenciatura, pós-graduação, Erasmus, vivi sozinha, regressei à terrinha(que é no litoral mas onde a falta de visão geral é bem mais grave do que já tenho encontrado no interior profundo)e, por isso, tudo o que ficou para trás apenas serve para conseguir o vulgarmente designado "pão nosso de cada dia" que, ainda assim, como eu até sou uma "piquena poupadinha" me permite ter uma razoável qualidade de vida.
    Eu "nasci" alta, magra e até bonita (é o que dizem!!!) mas podia ter ficado gorda, desleixada e até feia pois a minha mãe, embora tenha tido condições para me ensinar e exemplificar que uma mulher deve pugnar pela independência a todos os níveis pois só assim pode enfrentar o mundo com tudo o que isso implica de dar e receber, acha que cuidados são vaidade;a verdade é que, de uma forma ou de outra, ao longo da vida vamos descobrindo que ninguém é perfeito e os pais tão-pouco e não vamos recriminá-los por isso mas sim amá-los e fazer-lhes saber que fizeram o melhor que podiam e sabiam e que nos cabe a nós apreender do exterior tudo o que nos permite evoluir.
    Parece, no entanto, que para nós, mulheres, isto é mais fácil, os homens ficam muito mais "presos" ao modelo parental e,infelizmente, a mãe do meu marido sempre lhe serviu de exemplo desses "valores" que dizes que a tua te transmitiu e acredita que, por vezes, já não sei como conseguir que ele interiorize que a sinceridade, cumplicidade e companheirismo são o "cimento" de uma relação,que eu não faço chantagem emocional (quando estou aborrecida estou mesmo e não a tentar conseguir algo!) que eu não tento competir intelectualmente ou em relação ao que quer que seja, que só quero que alguém esteja ao meu lado enquanto esse alguém lá estiver porque também quer, que a maior parte das coisas que faço as faço antes de mais por mim e para mim e que muitas vezes por isso é que também agradam aos outros, que quando faço certos e determinados sacrifícios por aqueles que amo não espero agredecimentos nem recompensas, que aceito que a maldade faz parte do mundo( e que por vezes até se vem a revelar indispensável para nos fazer "arrepiar" certos caminhos que nós escolhemos e por qualquer motivo não eram os nossos!) o que não quer dizer que conviva com ela propositadamente e de bom grado, que os rituais sem conteúdo nos deixam vazios também a nós, que considero mais importante gostar do que tenho do que ter o que gosto, que sou uma mulher e não uma adolescente mimada (porque de facto há quem nunca deixe de o ser!).
    Aproveita tudo o que tens de bom para ser muito feliz (parabéns pela casa de madeira e pedra e obrigado por não serem mais uns a contribuir para encher este país de cimento).
    Beijos.

  • SD says:

    Rititi:

    Definitivamente GOSTO DESTE BLOG!!
    Beijinhos

  • Bruno Fehr says:

    Minha cara Rititi, ainda bem que deixou o comentário da Renata, pois ele não está de todo ofensivo. Pois na verdade, eu também acho que o seu ego é maior do que a embalagem. No entanto, temos de saber aceitar criticas e não só os comentários concordantes com tudo o que dizemos.

    Passei por aqui, para agradecer o seu esclarecimento, perdido no meio de um comentário um pouco infantilizado, sem sentido, nem conhecimento de causa. Eu aceito criticas, respondo-lhes se erradas e corrijo-me quando certas. No seu caso corrigi-me e corrigi-a. É um processo de aprendizagem. A maneira como você foi parar àquele texto antigo, é para mim um mistério, mas há coisas que é melhor ignorar.

    Quanto a este texto, deixo uma questão no ar: A senhora recorre muito ao uso da palavras „beibisiting“, que é um termo Romeno. Apesar do Romeno derivar do Latim e ter muito em comum com o Português, não acho que exista a necessidade de importar mais um estrangeirismo.

    Boa sorte para o seu espaço.

  • Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *

    *

    You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>