Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • que fartura dos golpes de peito dos

    Que fartura dos golpes de peito dos indignados com os indignados (como diz a Carla numa Bomba de Ouro com a que estou completamente de acordo) por causa daquele quadro tenebroso de um francês de quem nao tinha ouvido falar na vida graças à ignorância pictórica que me caracteriza. Observando estas declaraçoes sexualmente inflamadas sobre este caso de liberdades púbicas até parece que Portugal é uma espécie paraíso da porno-chanchada, onde milhares de fotos de grelos superlativos decoram as paredes dos supermercados e as mentalidades dos casais de meia idade roçam a modernidade nórdica graças às lúdicas mas nao por isso menos educativas partilhas erótico-festivas com os vizinhos do terceiro esquerda. E pelo que leio nas crónicas, posts e comentários, Portugal tem uns pensadores super prá frentex, pá, que representam o povinho e o povao, uns felizardos do sexo que até já me fazem pensar que vivo há demasiado tempo desterrada nesta terra: pelos vistos em Portugal nao só se deve foder muitíssimo bem, como também se encara o sexo como uma parte natural da vida mesma. Como respirar. Como meter baixa à segunda. Como comer bacalhau. Imagino os cronistas com uma vida sexual saudável, rica, estimulante e sobretudo generosa, capazes até de dar um raspanete sexualmente pedagógico e libertador às desgraçadas e, acham estes jedis da pichota, pouco satisfeitas maes de Braga. Que grande Portugal! Como mudaste! Vivam os dildos com forma de galo de barcelos!
    Mas nao, amigos, Portugal é o que é: um país de patetas onde as revistas masculinas nao resistem contratar gajas que escrevam sobre broches e mamas para garantir ao leitor habitual de Vilar do Agriao, Bragança, grandes momentos de onanismo enquanto a mulher dá de jantar aos filhos. Um país onde qualquer programa de televisao tem o êxito garantido se o tema for entrevistar parolos nas ruas do suburbio que nao sabem situar o clitoris na entreperna da namorada. Um país onde os modernos fazem documentários com altas doses de intelectualidade e pedantice nas filmagens de filmes pornográficos. Um país que deixa de respirar cada vez que uma marca de roupa interior feminina lança uma nova campanha publicitária. Um país onde os posts dos blogues femininos sao lidos sempre três vezes pelos gajos à cata de uma segunda intençao nas vírgulas, como se as letras fossem mamilos escondidos. Um país onde os cronistas mais sérios e sisudos dedicam horas e páginas à firmeza das ancas de Scarlett Johansson.
    Sim, é muito bonito parecer muito resolvido de cama de páginas para fora e criticar as histéricas das maes que chamaram a polícia porque acharam que aquilo era pêlo e vulva a mais para a sensibilidade dos filhos (delas, que convém nao esquecer). Só que a mim nao me enganam que eu já cá ando há muito tempo a ler o que escrevem. E a maior parte das vezes nao parecem nada resolvidos, antes pelo contrário.


    Por Rititi @ 2009/02/27 | 14 comentários »

  • Isa says:

    Ng comenta, comento eu:
    muito bem, subscrevo total.
    Bjs

  • Miss Spring says:

    muito bom. tudo sintomas de provincianismo e de repressão mal contida.

  • Ana says:

    Excelente texto. É isso mesmo!

  • Portaria59 says:

    Mosteiro dos Jerónimos à venda, vai ser arrasado para se fazer um campo de golfe, bom preço e bom investimento veja aqui o resto: http://portaria-59.blogspot.com/

  • Maria de Fátima says:

    Viva!
    Gostava de recolher opiniões sobre este texto
    agradeço e desejo um bom domingo

  • Miguel says:

    Cara Rita. Apesar de ser um leitor assíduo do seu blog, comento hoje pela primeira vez para lhe dizer que, também pela 1ª vez, não concordo com a sua opinião. Não é tanto a ignorância dos pais de braga ou a indignação perante a anatomia feminina (porque é disso que se trata), afinal estamos perante os mesmos que originaram o movimento anti-alternadeiras Mães de Braga. Falamos de homens que procuram o broche fora de casa porque a sua esposa não pode, deus nos livre, conspurcar a boca com que beijam os filho. O que é revoltante é a atitude de declarada censura das autoridades. E só.

  • Dinha BS says:

    Bom Rititi, o quadro do Courbet é horrível, sempre foi considerado porno-erótico foleiro e posso compreender que o chui (também ele foleiro)que apreendeu o book em Braga tenha ficado uma bocado em transe… O que me espanta é a loucura de artigos e reportagens nos jornais e nas TVs sobre um fait divers tão ridículo. Por isso recomendo a leitura do artigo a propos do Pacheco Pereira ontem no Público.

  • Carlos Pires says:

    Há pessoas para quem imoral é sinónimo de sexual – mesmo que se trate de uma mera imagem e não da coisa em si (por assim dizer).
    Para elas o que se passa no Darfur ou mesmo na Coreia do Norte não é imoral (é a vida difícil que Deus nos deu para nos pôr à prova). Mas um quadro com uma mulher nua… Isso já é pecado.

  • mim says:

    Ah ah ah ah ah!!! Na mouche!!

  • S says:

    menina tenha paciência e rebobine. isto nem parece seu. credo!
    desde quando é que "os mal-resolvidos na cama" estão impedidos de opinar sobre uma coisa tão escabrosa como é a censura?! e quanto ao resto da argumentação…olhe nem comento.

    e eu que gosto tanto de a ler…

  • alice says:

    A verdade é que já há poucas pessoas neste país que se lembrem de ver a polícia a apreender um livro, seja por que razão for.
    Eu nunca pensei que fosse ver tal coisa.

    E de facto, penso que a onda de choque foi gerada não pela imagem apreendida, mas sim por ter sido um acto ilegal.

    Por mim podiam ter apreendido um livro do Calvin&Hobbes por denúncia de alguém que gosta mais do Cebolinha.

    Continua a ser ilegal e contra isso não há argumentos.

  • ana pilares says:

    A Alice disse tudo.
    Este caso é tragicómico por todos os seus contornos, e denotador de uma mentalidade ainda muito salazarenta da parte de muitos.
    Confesso que tenho adorado quase tudo o que tenho lido sobre o assunto, daria matéria para um aprofundado estudo sociológico sobre o povo cá do Burgo.
    Há que reconhecer, no entanto, algo positivo, toda a gente ficou a conhecer Coubert e isso é uma mais valia, muito raros são os fait divers que contribuem para alargar os horizontes culturais do cidadão, essa é que é essa.

  • ana pilares says:

    Courbet. Perdão.

  • Mad says:

    Quanto a mim, quem disse tudo foi a S. O problema não foi se a imagem era pornográfica ou não, foi o facto de ter sido confiscado um livro. UM LIVRO. E isso parece-me que até virgens recalcadas conseguem ver que está errado.

  • Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *

    *

    You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>