Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • gran via mendigos abrigados do clima

    GRAN VIA

    Mendigos abrigados do clima debaixo de mansões de cartão, saxofonistas pretos sem partituras à porta do metro, japoneses sequestrados por agências de viagens num autocarro caminho do Vale dos Caídos, gays caminho de Chueca, modernos caminho de Malasaña, inglesas gordas caminho de um balde de tequilha em Huertas, funcionárias caminho do autocarro, malucos caminho de sabe-se lá onde, putas na esquina de Montera, chulos à porta do MacDonalds, bichas para entregar um formulário num qualquer ministério, bichas para atravessar um semáforo, bichas para comprar o bilhete na penúltima sala de cinema que resta dos tempos em que Madrid sonhava em ser Nova Iorque, nostálgicos do preto e branco escondidos da ordinarice destes novos tempos no Café Chicote, restaurantes agora conhecidos como asiáticos de decoração quase hospitalar, tapas para a nova fornada de executivos estrangeiros que se comportam como estudantes Erasmus milionários, franchinsigs de casas de sandes ou de sumos ou de hambúrgueres ou de cafés do mundo, a gente já nem distingue, a versão do ócio adolescente que saltita do MacDonalds ao HM a golpe de mesada sem terem passado uma única disciplina, senhoras e senhores que combinam ao domingo à tarde para namorarem num salão de baile, musicais de Brodway dobrados ao espanhol, chineses que vendem chapéus de chuva no inverno, chineses que vendem abanicos no verão, chineses que vendem cervejas e sandes de plástico às quatro da manhã aos resistentes das últimas discotecas imprescindíveis da modernidade madrilena, concentrações contra as touradas, o dia do Orgulho Gay, a manifestação contra o matrimónio gay, as curvas da América do Sul embutidas em metro e meio de vestidos justíssimos e semi-transparentes, sotaques do Este que às vezes parecem portugueses, os morangos do nordeste no pior bar brasileiro do mundo, gente, a toda hora, em todas as estações, gente que enche as ruas, que atravessa a estrada, que espera, que se vai embora, que chega à Gran Via. E assim durante 100 anos. Parabéns.


    Por Rititi @ 2010/04/06 | Sem comentários »


    teste

    teste



    Por Rititi @ 2010/04/06 | Sem comentários »