Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • Os meus amigos são melhores que os teus

    A minha amiga Leo não é melhor porque tenha uma marca de sapatos na Dinamarca. Nem porque seja a responsável pela escolha dos materiais, desenho, exportação e distribuição dos sapatos pela Inglaterra, Alemanha, Espanha e os países nórdicos. Ela não é melhor por ser talentosa, bonita, cheia de estilo, sobradinha de pinta e bom gosto desde que a conheço há vinte e tal anos. Para mim o conceito trendsetter foi inventado pela Leo, algures nos anos noventa quando um dia decidiu cortar o cabelo e vestir o casaco de peles da mãe. Ou no dia do meu casamento, quando apareceu com um mini-vestido estupidamente simples e curto pendurada sobre uns saltos assassinos. Se eu me apresento nesses preparos num casamento sou expulsa aos pontapés, mas ela ia fabulosa. A isso chama-se ter estilo. Mas nem sequer por isso é melhor. A Leo sonhou ter uma empresa, empenhou-se num objectivo, fartou-se (e farta-se) de trabalhar, investiu o dinheiro dela, passou fins de ano sozinha numa fábrica de sapatos em Alicante, sacrificou-se. E agora tem a Emma Go Shoes. Eu já vi a colecção de outono/inverno e são um espanto, só vos digo. Quando chegarem a Portugal eu já vos aviso.



    Por Rititi @ 2011/03/30 | 4 comentários »


    PENTHOUSE DE FEVEREIRO – SEXO DO BOM

    No programa da televisão italiana “L’Infedele” debatia-se o penúltimo escândalo político-sexual do Primeiro-Ministro, quando um telespectador indignado chamado Silvio Berlusconi entrou em directo e começou a disparar insultos contra o apresentador, as teses discutidas, o programa em geral e as mulheres que estavam presentes em particular, a quem, segundo Il Cavalieri, nem se podiam chamar de senhoras. “Isto é um prostíbulo televisivo!”, exclamou, pouco antes de desligar o telefone. Todas as mulheres são putas, portanto. Não me estranha: esta é a reacção natural num senhor de 74 anos que está a ficar mundialmente famoso por, supostamente, organizar festas em residências oficiais (ou seja, em edifícios públicos), com miúdas com idade de serem suas netas, algumas menores de idade, que estariam dispostas a agradar e animar sexualmente a uma corja de velhos bronzeados a troco de verdadeiros balúrdios de dinheiro e algum ou outro favor policial.

    Este é o homem mais poderoso de Itália, um líder do Primeiro Mundo, com direito a honras em Bruxelas, lugar fixo no G-8, apoiado pelo Vaticano e que, segundo leio na imprensa, ganharia de novo as eleições se se efectuassem hoje. Itália, esse estranho país que se divide entre a sofisticação do Norte e a balbúrdia do Sul, quando não aplaude a este senhor cujo aspecto mais lembra a um capo da Mafia que a um estadista respeitável, assiste a um deterioro da vida política nacional cujos protagonistas parecem sacados de um filme pornográfico. Para fazer tudo isto mais surreal, nem o famosíssimo actor porno Rocco Siffredi deixou escapar a oportunidade para elogiar o Cavalieri porque, atenção, “todos os italianos estão orgulhosos” dele porque “faz sexo aos 74 anos”.

    Sim, o homem faz sexo aos 74 anos, mas pagando, o que não faz dele um semental, que digamos. Sexo a troco de dinheiro conta? Lamento, mas não. Porque por muito macho que se sinta o Silvio rodeado de velinas nuas nos jacuzzis de palácio, o facto é que elas só estariam dispostas para as orgias e demais festarolas porque são pagas. Que tipo de homem precisa de pagar para ter sexo? Um Adónis irresistível? Um líder com um carisma indiscutível? Não parece que Silvio Berlusconi seja nada disto. Não passa de um idoso que luta cirurgicamente contra o tempo, implantando-se cabelo, botox e dentes, eternamente bronzeado para parecer o que não é – um jovem vigoroso e desejável – e que usa e abusa de um harém de Barbies recauchutadas como prolongação da necessidade genital de exercer o poder, partindo da lógica de que quem paga quer, pode e manda, sem precisar de satisfazer a outra parte. E a isto não se chama ter sexo, mas sim aliviar-se.

    Longe ficou o tempo em que a prostituição tinha essa aura romântica, quase pedagógica. A memória dessas casas de meninas que serviam para que jovens imberbes descobrissem os segredos da cama graças à generosidade de experientes meretrizes que tanto faziam de amantes como de confidentes, desvanece-se nos romances de uma época em que, dizem, o sexo dava medo, ou era pecado ou impossível de encontrar nas raparigas decentes e casadouras. Mas agora, nos tempos de correm, achar que os puticlubes cumprem uma função social, porque ali os desgraçados dos gajos encontram o que em casa lhes é negado é, quanto menos, ofensivo para os próprios homens. Então um homenzarrão de pêlo no peito não tem boca para pedir? Ou será que este tipo de homem – esse habitual da casa de alterne, o que faz a despedida de solteiro no puticlube de estrada, o que acha que as mulheres que só servem para foder – tem um conceito pecaminoso do sexo, como se fosse algo ilegal, sujo, uma coisa que não se faz com a mulher legítima, com a mãe dos filhos?

    Porque recorre um homem ao putedo? Não deve ser por falta de oportunidades: há bares, discotecas, ginásios, redes sociais, clubes de swingers, páginas web de encontros e engates, olhares fortuitos no metro, colegas do trabalho, viagens organizadas para solteiros e muita, mas muita mulher disposta a ter sexo – sexo genuíno, o quem vem do desejo entre dois iguais, da urgência da sedução. Sexo do bom, e que ainda por cima é grátis.



    Por Rititi @ 2011/03/26 | 6 comentários »


    E agora?

    Quem ganha com a demissão de Sócrates? Que programa apresentará o PSD? Haverá uma aliança dos partidos de esquerda? Quem está preparado para descer o défice, o desemprego, as taxas de juro? Pode Portugal suportar outra campanha eleitoral? Quem investirá num país neste estado de abandono? A quanto subirá a dívida? E o que é mais importante: o meu novo cartão do cidadão ainda serve?



    Por Rititi @ 2011/03/24 | 3 comentários »


    Belezas assim



    Por Rititi @ 2011/03/23 | 1 Comentário »


    Ajudem esta emigrante desgraçada

    O que está a acontecer em Portugal? Já caiu o Governo? Vai cair? O PSD vai apresentar um projecto de resolução do quê? E o que diz o Cavaco? Vá lá, que esta desgraçada começou a trabalhar ontem e não tem cabeça para ler sobre intrigas parlamentares. Muita agradecida.



    Por Rititi @ 2011/03/22 | 5 comentários »


    Girl Power!

    Ana Pastor, jornalista da Televisão Pública espanhola, entrevistou hoje esse grande líder democrático e altamente pacifista chamado Ahmadineyad quem, entre outras pérolas, afirmou que a visão de Ocidente sobre o mundo é colonialista, culpou das revoltas nos países árabes aos americanos, comparou a oposição iraniana aos “separatistas” bascos e disse que os partidos políticos europeus estão reféns do poder sionista… O costume, por tanto. O que já não é habitual é ver uma jornalista mandar calar o ditador, dizer-lhe “não sei aqui, mas em Espanha os jornalistas não respondemos as perguntas: fazemo-las“, que em Europa ninguém vai para a prisão por escrever um livro, questionar directamente pelos opositores desaparecidos, a sobre a perseguição a mulheres e gays…

    Começou a entrevista com a cabeça coberta por um lenço e o pano foi escorregando até que ficou pousado sobre os ombros. Nota-se que alguém lhe faz notar o deslize e ela, diz que sim, mas continua a entrevista com o cabelo solto, ignorando o risinho nervoso do ditador, concentrada únicamente em obter alguma resposta lógica de um homem preso na sua demagogia. Continua sem desviar o olhar, valente, profissional. Um exemplo de verdadeiro jornalismo e de dignidade. Sem véu porque nada, nenhuma ideologia nem religião nos deve cobrir nunca a cabeça e muito menos as ideias. Grande Mulher!



    Por Rititi @ 2011/03/15 | 9 comentários »


    Os meus amigos são melhores que os teus

    Psycho-lettes from Pedro Temboury on Vimeo.

    Dentro desta semana da gaja e aproveitando o talento, o sentido de humor e criatividade do meu amigo Pedro Temboury , o grande mestre do cinema de série Z espanhol, deixou-vos Psycho-lettes, uma curta-metragem absolutamente alucinada sobre uma banda feminina de motociclistas que de se dedica a cortar as pilinhas de incautos andaluzes para produzir um elixir mágico. Sem desperdício, só vos digo. E com uma banda sonora do melhorzinho que já se viu. Enjoy!



    Por Rititi @ 2011/03/10 | Sem comentários »


    Vão insultar o caralhinho

    Só queria informar os idiotas que chegam a este blogue com a vã tentativa de me insultar que eu apago os comentários que considero ofensivos. Assim, sem direito a contraditório, ai coiso e tal, mas tu e eu e o caneco. Apago e pronto. Vão-se catar, mas é.



    Por Rititi @ 2011/03/10 | 8 comentários »


    Equals?



    Por Rititi @ 2011/03/09 | 2 comentários »


    Dia Internacional do Gajedo

    Over my dead body, Mona Hatoum – Exposição “Heroínas” no Museu Thyssen Bornemizsa.



    Por Rititi @ 2011/03/08 | 2 comentários »