Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • PENTHOUSE DE SETEMBRO: NEM SEI QUE VISTA

    Durante anos a minha caixa de e-mail não parou de receber convites para concertos, estreias de cinema, alguma outra que festa em bares da moda, exposições e lançamentos de livros. Mas nos últimos tempos a temática deu um giro admirável e agora dou por por mim a abrir correios electrónicos de gente que não conheço de lado nenhum mas que insiste em solicitar-me para pertencer a “clubes fashion” (seja lá o que isso signifique) ou a unir-me a redes de “pessoas com estilo”. Estou que nem me acredito, juro pela minha saúde. Ora, eu que sabendo-me relativamente gira (tenho dias), mais ou menos magra (isto depende do século com que se me compare) e com algum jeito para combinar cores às sete e meia da manhã para não ir trabalhar feita um trambolho, nunca pensei que fosse estilosa. Ou fashion. Quanto menos glomourosa. Sou uma mulher de 36 anos que, como todas as mulheres, gosta de sair de casa a sentir-se bonita e sexy e que compra a roupa que acha que lhe assenta razoavelmente bem, após uma dura aprendizagem de anos e anos sobre o próprio corpo, com muitas asneirada pelo meio quando insistia que pesava cinco quilos menos e as minhas mamas eram as da Cindy Crawford. Se gosto de sapatos? Ó pá, sim, mas também gosto de ler livros e de beber copos.
    Mas devo ser a única. Passeando pelos blogues nacionais não há gaja que não publique a vestimenta diária, como se ver uma miúda com jeans e t-shirt da HM fosse fundamental para os destinos do género humano. Mas lá estão centenas de comentários a celebrar a sandaloca de plástico e a pulseira de três euros. Alucinante. As miúdas já não se vestem: têm estilismos, mesmos que estes sejam pavorosos, baratos e repetitivos. Já não há catálogos de colecções das marcas de roupa: há look books. Nem sequer se pode arranjar roupa de verão no verão: em Abril as lojas estão a abarrotar de taradas com cartões de crédito na boca a comprar o que hão de vestir em Agosto, pelo que o simples acto de arranjar um bikini a meio do Julho transformou-se numa odisseia de dimensões bíblicas. Já não se trata de tirania da moda, mas de uma total obsessão do zé povinho em ser um trendsetter da periferia. Haja paciência.
    E esta paranoia, desgraçadamente, já não é exclusivo delas. Qualquer gajo que se queira moderno e cool deve aspirar a estar a par das tendências, do último grito em tamanhos de relógios, dos óculos escuros mais cool da temporada. Até as revistas objectivamente masculinas não renegam da sua secção de moda. Se derem uma volta por uma discoteca da moda entenderão do que estou a falar: tipos cheios de pose e ar enjoadinho que parece que, mais que engatar, estão à espera de ser chamados para a passarelle de Paris, todos eles calcinha arregaçada, lencinho absurdo e um olhar de nojo para todas miúdas que não tenham aspecto famélico e ultra-fashion. Não me tomem por reaccionária, obviamente prefiro um homem bem vestido a um andrajoso cheio de nódoas de tosta mista na camisola da Universidade da Beira Interior, mas às vezes tenho saudades de ver gajos vestidos de gajos, com as suas calças de ganga, a sua camisa, as suas botas, que nem sabem muito bem a razão do que levam em cima, gajos que não passaram três horas em frente ao espelho debatendo-se se levar ou não meias com os seus novos sapatinhos oxford. Gajos que quando abrem revistas femininas só vêm gajas boas e não tendências e estilismos. Aliás, tenho saudades de gajos que acham que estilismo é uma nova marca de vodka.



    Por Rititi @ 2011/09/29 | 24 comentários »

  • Maria says:

    Adorei o teu post.

  • Dudu says:

    Gosto mesmo de te ler e sinto-me um bocadinho assim.
    Ah trendsetter da periferia é muito bom.

  • Juanna says:

    Ohhh mas eu prefiro como a malta anda agora, mais cuidada. Em Lisboa antes era um susto ver as gajas a passar, agora vão arranjadinhas. Embora sejam clones umas das outras, sim.

  • Sem tirar nem pôr. Adorei o post. E concordo plenamente com a Juanna: “Embora sejam clones umas das outras, sim.” !!!

  • Subscrevo! Principalmente a parte que fala dos homens. Eu não percebo a enchente de Cristianos Ronaldos que povoam as nossas ruas. Diria que são uma praga…

  • Crocante says:

    Apoiadíssimo.

  • Li says:

    Tá tudo dito, concordo :)

  • LTavaresDias says:

    Não tenho grande opinião sobre as miúdas que vestem t-shirts da zara e calças da h&m e acham que são trendsetters ou que usam casios e acham que têm um estilo vintage – passam me ao lado.
    Mas como boa apreciadora de homens, apesar de bem comprometida, irrita-me imenso ver gajos giros, mas que se vê claramente que de manhã devem demorar umas boas horas a arranjar-se… Chamem-me antiquada, mas gajo deve: tomar banho, lavar os dentes e… pronto. Ocasionalmente aceita-se remoção de pêlos caso se justifique (nada de peitinhos e perninhas completamente depiladas) e uns cremes. Nada demasiado exagerado. Não quero um homem que discuta produtos de cosmética comigo, porra!

  • Patrícia says:

    Mais alguém que constata que anda por aí mt(a) desocupado(a) que pouco faz de útil para a sociedade, embora pense que sim…ah doces ilusõessssss! ACORDAiiiiiiiiiii minha gente que o país está em crise e o mundo não se muda com devaneios e com gente que vive na sombra daquilo que os cartões de crédito dos pais podem pagar?!

  • Mokittas says:

    Olá,
    Leio com alguma frequência o teu blog mas nunca comentei… Hoje não resisti, pois ri com as verdades que escreves! Vivemos uma epoca de clones, que falta de personalidade! Prezo a individualidade e a diferença!
    Bjs

  • Frutinha says:

    Não podia concordar mais contigo!

  • bem passada says:

    Eu nao suporto os homens com as sombrancelhas arranjadas….

    já as mulheres quando exageram ficam com um ar de ovo escalfado…. mas os homens…. muito na moda na Alemanha e em Hamburgo…em Portugal tb se vai vendo

  • paula says:

    e fatos de banho ou bikinis em agosto?? hum…isso é que era bom!
    vai uma gaja depois de ter deixado passar a loucura das promoções comprar um e nada, nem um de tamanho decente.
    encontrei as lojas cheias de malhas, e eu lá quero saber de malhas quando vou a caminho da praia? endoidaram todos por aqui?
    juro por deus que este ano vi em pleno arreal duas gordas a arranjar as unhas dos pés sem depilação :P
    vim para casa a querer imigrar durante a época balnear, não voltei à praia, nem seuqer foi pelas tristes figuras que vi, mas sim porque nehuma mulher deve passear pelo arreal em fato de banho olimpico.
    juro que mato que me contestar

  • M says:

    Na mouche.

  • marta says:

    E que tem mal isso? So mostra que as pessoas evoluiram. Seja para o bem como para o mal, mas aprenderam a cuidar-se. Não foi isso que os jornalistas lhes ensinaram nas revistas de moda e lifestyle? Ou sera que os jornalistas acham que so eles é que podem ter estilo, usar roupa de marca, frequentar os sitios mais in, comer nos melhores restaurantes. Porquê esse despreso pelo “zé povinho”, o povo somos todos nos, ou acha-se algum ser superior?

  • Tina says:

    Adorei o teu post. É verdade que é muito bom ver a crescente preocupação das pessoas em andarem mais arranjadas e com um aspecto mais cuidado, mas não entremos em exageros, please!
    Não há paciência para esta epidemia parva e despropositada de “trendsetter” sem graça absolutamente nenhuma, muito menos para essa legião de homens que se medem de alto a baixo para ver se a calça do outro é mais fashion ou se os (abomináveis) óculos enooooooooormes de massa (que não ficam nem nunca ficarão bem a ninguém) lhe tapam mais a cara. Assim, meio em jeito de piada (e sem querer candidatar-me a troglodita), costumo dizer que homens que demoram mais tempo que eu a arranjarem-se antes de sairem de casa, interessam pouco à humanidade. E eu não demoro mais de 15 minutos.

  • Viva o império Inditex, viva a loja do chinês! Vivam os cartões de crédito, mais a roupicha da moda…
    E assim se ajuda o país (not!):
    O pessoal em vez de produzir, produz-se;)

  • Rita says:

    Muito bom! Gostei imenso do que disse :)

  • Inês says:

    Carissima,
    Adorei o post. Enquadra-se no espírito de um livro que li em tempos, “A ditadura da beleza” de Augusto Cury.

  • [...] post tem piada. Gostar disto:GostoBe the first to like this post. Esta entrada foi publicada em [...]

  • Cabelos says:

    Gostei… adorei

  • Kldssd says:

    As I website owner I conceive the subject material here is
    very great, regards for your efforts.

  • Dessie says:

    Hello I am so glad I found your weblog, I really found you by accident,
    while I was researching on Yahoo for something else, Anyhow I am here now and would just like to
    say many thanks for a tremendous post and a all round exciting blog
    (I also love the theme/design), I don’t have time to go through it all
    at the moment but I have bookmarked it and also included your RSS feeds, so when I have time I will be back
    to read much more, Please do keep up the superb work.

  • Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *

    *

    You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>