Este site foi concebido para ser visto num browser dentro dos limites da caducidade: infelizmente não é o caso do seu. Assim, a sua experiência de navegação será seriamente afectada. Sugerimos a instalação de um browser mais séc. XXI, se lhe for possível: http://www.mozilla.com/firefox . Mas qualquer outro serve.

Rititi

Rititi

INÍCIO

  • Pânico na creche

    Quando acreditava que o Mundo não pode ser mais absurdo, que o nível de anormalidade tinha atingido o limite e que ainda havia uma pequena esperança para o género humano, então leio que numa aldeia de Espanha um bebé de 15 meses fui expulso da creche por morder outros meninos. Expulso durante uma semana como medida provisória. Te cagas. A mãe da criatura foi levar o puto-mordedor à creche e levou com a porta nos cornos e agora, lá anda a desgraçada sem sitio onde o deixar, só porque um casal de pais fez queixas à Câmara Municipal (wtf?) porque o puto mordeu três vezes o resto das crianças. Aaaah, as crianças e os seus direitos. Aaaah, a violência infantil. Aaaaah, o caralhinho! Dizia um amigo no twitter que esta era uma cena mais típica do Carnage que de uma relação normal entre pais. Porque ir directamente aos Serviços Sociais fazer queixa de um bebé de 15 meses (15 MESES!) é de uma imbecilidade tão atroz que só se resolve com um par de estaladas e uma semana de internamento dos amantes paizinhos num campo de concentração da Coreia do Norte. Mas que gentinha é esta? O que querem que faça um puto de ano e meio senão morder e dar pontapés e correr e fazer birras? Como acham estes puritanos que se relacionam e brincam os bebés? Mas é verdade, nada como proteger os nossos filhos até ao infinito, mesmo que esse infinito seja o mais perigoso dos ridículos. Perigoso porque cria um ambiente de medo social, de pânico e de policiamento. Pior do que a maluqueira destes devotos pais só mesmo a estupidez do vereador da Câmara Municipal que expulsou o bebé-mordedor. Será que faz o mesmo quando uma mulher se apresenta na Câmara cheia de nódoas negras no corpo causadas pelo marido? Mostrará idêntica diligência quando os jovens da aldeia apanham nos carros no sábado à noite para ir beber copos e engatar gajas da aldeia do lado? Não acredito. O que sim me parece é que quando se trata da educação de crianças qualquer teoria é boa para levantar o véu do histerismo, mesmo quando se trata de um bebé de 15 meses que morde. Este mereceu a expulsão. Se continuar a morder a mãe ainda perde a custódia da criança. Apostamos?



    Por Rititi @ 2012/07/11 | 15 comentários »

  • Luna says:

    Faz-me lembrar uma amiga minha que tem um miudo grande (o pai tem dois metros), e que a certa altura teve as educadoras da creche a queixar-se que ela tinha de falar com ele e explicar-lhe que era maior que os outros meninos, e que ao lutar por um brinquedo e agarrando-o, nao devia arrastar o outro miudo também agarrado ao brinquedo atrás.
    A minha amiga com muita paciência lá lhes disse que se era para o repreender tinha de ser na altura e que elas o deviam fazer, já que explicar a uma criança de menos de dois anos que nao devia fazer algo 6 horas depois do acontecido era um bocado inútil e impossível.

  • Maria Helena says:

    Pais que não tratam as crianças como crianças mas como experiências que vão demonstrar a verdade de teorias elaboradas nos chats e nos spas.Gente que promove a maior infelicidade nos filhos porque não experimentaram mais nada, em termos humanos.

  • É assustador o modo como se criam, hoje em dia, as crianças. Quais seres superiores isentados de frustações… Receio verdadeiramente os adultos em que se transformarão. Tivesse eu dinheiro e montava um laboratório farmacêutico. Suspeito que os ansiolitos e antidepressivos se vão vender como pão quente.
    Os meus filhos morderam, ouvem diariamente “nãos”, têm obrigações e deveres e reservo-lhes o direito de, de vez enquando, não terem nada para fazer. Largueza!!!

  • TATA says:

    Foda-se…

  • Vava says:

    É típico. Também já ful explusa (tenho 35 anos) de uma creche, porque (e pasme-se) nasci de cesariana e por isso era hiperativa e os outros paizinhos achavam que eu era um foco perturbador. Tem tudo a ver, cesariana, hiperatividade. Enfim, dementes. São todos dementes. As crianças assumiram um poder tal, que os pais se subjugam literalmente aos pequenos tiranos. Se um morde é porque se calhar tem problemas, se grita é porque a mãe trabalha fora, se esperneia é porque os pais se divorciaram, enfim, estes miúdos-horribillis não podem privar com os filhos de gente superior, porque os filhos dessa gente, são seres ultra-perfeitos, como diz o outro: o pináculo da criação. Um pano encharcado em mijo naquelas trombas, era pouco!

  • Dudu says:

    Anda tudo maluco e ainda bem que o meu sobrinho anda numa cresce em Portugal, pelo andar da carruagem era expulso do privado e do público.

  • Mum says:

    Oi? Como é? Conta lá de novo? Porra que isto não se aguenta. E o papel da própria creche em gerir estas coisas todas? Educar é com os paizinhos, sim, mas estas cenas são o pão nosso de cada dia. Tal como as birras ou o desfralda na turma dos 3 anos.
    E já agora, sabe-se o que é que a dita creche faz com os putos que recorrentemente ficam com febre às 10h da manhã? (pq as 6,30 lhes enfiaram um benuron e está a aguentar até à hora do almoço)? O quê? Nada??????????

  • MJ says:

    Pois eu cortei relações com uma tipa, uma directora comercial de uma seguradora qualquer de renome de Lisboa, que se dizia minha amiga, quando disse que odiava o meu filho (na altura com 2 anos)porque ele tinha arranhado o filho dela na creche. No entanto o filho dela apanha todos os dias, não brinca em casa para “não desarrumar” e “se se portar mal não come chocolate” e “é um menino mau”. Bipolaridades de gente que se diz educada e com valores.

  • bee says:

    acho um absurdo! pais com ideias idiotas, não faltam por aí. mas seria de esperar que a polícia e a própria creche soubessem lidar de outra forma com a situação.
    ora vamos começar a expulsar todas as crianças de 15 meses que mordem os outros, a ver quantas crianças sobram por essas creches fora….

  • Juanna says:

    Em Spain is different nada me choca, nada mesmo. Talvez em Pt seja a mesma coisa mas eu não vivo lá e só falo deste país que conheço. Mas desde que, aqui, comecei a ver miúdos a batar nos pais na rua e o neto (4 anos) do meu vizinho dizer à avó que lhe cortava o pescoço (assim mesmo) porque ela o repreendeu… nada me choca.

  • Cat says:

    Absolutamente ridiculo. Estou para ver no que esta geracao se vai tornar. Super-protegidos, a poder fazer tudo sem consequecias… Nao se augura nada de bom.

  • Carochinha says:

    É um facto; há sempre alguém que nos consegue surpreender com novos níveis de imbecilidade!

  • Maria says:

    Bem vejamos para quando uma situação destas em Portugal. Enfim…

  • Li O says:

    IMPORTA-SE DE REPETIR?!?!
    Imbecis há por todo o lado, o que seria de esperar era que imbecis com responsabilidades, câmara, creche, educadores, ass. de pais, tanta gente meu deus, fossem postos no sitio antes de uma coisa destas acontecer! Alguém aqui devia ter levado uma dentada e ido para a rua, mas não era a criança!

  • Atag_40 says:

    Muito bem posted e muito bem escrito, partilho totalmente a indignação :) :)

  • Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *

    *

    You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>